A Itália fez uma parceria com uma empresa polonesa para desenvolver o novo helicóptero de ataque AW249. (Foto: Leonardo)

A Leonardo e o Polska Grupa Zbrojeniowa S.A. (PGZ) assinaram uma Carta de Intenção (LoI) que verá as duas empresas colaborarem no desenvolvimento do AW249, o único novo helicóptero de combate atualmente sendo projetado, visando atender a exigência do Exército Polonês para um novo helicóptero de combate.

Com esta carta de intenção, a Leonardo e o PGZ irão explorar a colaboração em várias áreas, incluindo design, fabricação, montagem final, marketing e suporte pós-venda para o helicóptero AW249.

O documento reforça o interesse comum do PGZ e da Leonardo no desenvolvimento e produção de um novo helicóptero de combate, criado para as necessidades do Exército italiano, e sua variante polonesa, que está sendo considerada no âmbito do contrato “Kruk” da Polônia.

Graças a essa colaboração, a indústria de defesa da Polônia terá a oportunidade única de participar de um novo programa de desenvolvimento de helicópteros, ao mesmo tempo em que contribuirá para os planos de modernização das Forças Armadas polonesas com uma nova plataforma de última geração.

Gian Piero Cutillo, diretor administrativo da Leonardo Helicopters, disse: “Este acordo é um marco significativo na cooperação em andamento entre as indústrias de defesa italianas e polonesas, envolvendo o mais recente e mais importante programa de helicópteros de combate em andamento. A Leonardo, através da PZL-Swidnik, trabalha há anos com o Ministério da Defesa Nacional polonês e este acordo abre novos caminhos de resposta ao programa Kruk, permitindo-nos abordar o futuro da defesa polonesa junto com o PGZ.”

Jakub Skiba, presidente do Conselho de Administração do PGZ, disse: “O acordo de hoje abre novas oportunidades para as empresas do PGZ no domínio da aviação. A cooperação com a indústria italiana no desenvolvimento conjunto de soluções para nossas Forças Armadas no programa “Kruk” nos permitirá expandir nossas capacidades e envolver nossas empresas – em estreita cooperação com a planta PZL-Swidnik de Leonardo – no programa AW249. Este programa de alta tecnologia, liderado pela Leonardo, também será promovido em outros mercados”.

O AW249 apresentará todos os desenvolvimentos tecnológicos mais recentes em seu segmento de mercado e se beneficiará da ampla experiência operacional registrada pelo AW129 da Leonardo e do know-how da empresa nesse setor específico de helicópteros.

Com um peso máximo de decolagem na faixa de 7-8 toneladas e carga útil acima de 1.800 kgs, o AW249 terá velocidade e resistência capazes de sustentar as operações de apoio aéreo aproximadas e operações de escolta armada mais difíceis. O AW249 contará com sistemas de comunicação e de gerenciamento de campo de batalha de última geração; seu sistema de missão é capaz de operar e gerenciar UAVs e apresenta uma série de ajudas de conscientização situacional para reduzir a carga de trabalho do piloto e aumentar a segurança. Além disso, graças às suas tecnologias avançadas e filosofia de design, o AW249 terá melhorias significativas nos custos do ciclo de vida em relação aos helicópteros da geração anterior.

Além de uma torre com canhão, o AW249 terá um sistema de armas flexível com seis estações de armazenamento nas asas que podem transportar uma combinação de mísseis ar-terra ou ar-ar, foguetes não guiados / guiados ou tanques de combustível externos. Dois motores potentes permitirão operações em todas as condições ambientais (frio, quente e alto e marítimo).

A Leonardo e o PGZ têm um diálogo estabelecido sobre cooperação industrial de defesa e segurança, com múltiplos acordos assinados em 2016, 2017 e 2018. O objetivo desses acordos é fortalecer a cooperação entre o Grupo PGZ e a Leonardo, particularmente em relação aos helicópteros oferecidos pela Leonardo ao Ministério da Defesa polonês.

Se a Leonardo for selecionada pelo Ministério de Defesa polonês para as novas exigências de helicópteros, as empresas do Grupo PGZ participarão da fabricação e manutenção dos helicópteros.

A Leonardo assinou um contrato plurianual com o Ministério da Defesa italiano em janeiro de 2017, com o objetivo de atender à exigência do Exército italiano de substituir a atual frota de AW129s, que deverão ser retirados do serviço até 2026, após 35 anos de operação.

Isso permitirá que o serviço introduza um produto ainda mais tecnologicamente avançado, com maior desempenho e menores custos operacionais, para atender às necessidades emergentes em cenários em evolução nos próximos 30 anos.

3 COMENTÁRIOS

  1. É um projeto promissor. Os Mangustas italianos terão que ser substituídos, ou pelo menos suas vidas úteis estendidas. Se a Embraer tivesse continuado e fechado uma possível parceria com a Leonardo, ainda em 2012/2013, ela também poderia entrar e assim interessar o EB, que tenciona obter helicópteros de ataque, bem como fomentar uma nova indústria de asas rotativas, diminuindo a dependência da Helibras (Airbus Helicopter).

  2. Coisa q a bell poderia fazer pra aprimoriar e tirar do catalogo o tiger

  3. Os italianos estão atirando para todos os lado e isso é bom — uma hora acertam.

    Em 2016, o comandante da Aviação do Exército Italiano, o Major-general Antonio Betelli, deu entrevista enchendo de elogios a participação do Exército Brasileiro na Itália na II Guerra Mundial e oferecendo ao Brasil, além do mais potente dos Mangustas italianos (o AW-129 International), sociedade num novo helicóptero, baseado nesse produto.

    Agora, olha ele aí. Só que não parece muito "novo". Mas entrou a Polônia. Se virar um consórcio sem franceses e alemães, decola. 😀

Comments are closed.