AirAsia Airbus A320 216 PK AXC 600x448 - Encontrados os destroços do Airbus A320-200 da AirAsia que desapareceu com 162 pessoas a bordo no dia 28/12
Aeronave acidentada: Airbus A320-216 PK-AXC / Foto: Tsuyoshi Tsuda

Autoridades da Indonésia confirmaram nesta terça-feira (30) que foram encontrados no mar de Java destroços do Airbus 320-200 pertencente à empresa malaia AirAsia, desaparecido no último domingo com 162 pessoas a bordo. A Marinha da Indonésia informou que mais de 40 corpos foram recuperados no mar.

Autoridades do país afirmam que o logotipo da companhia asiática foi identificado em alguns dos objetos localizados no mar, conforme o jornal local “Detik”.

indonesia plane fran 1 600x450 - Encontrados os destroços do Airbus A320-200 da AirAsia que desapareceu com 162 pessoas a bordo no dia 28/12
30/12 – Comandante indonésio apresenta objetos retirados do mar que pertenciam ao voo 8501 da AirAsia, como uma mala azul e o que parece ser um tanque de oxigênio, na base aérea de Pangkalan Bun (Foto: Dewi Nurcahyani/AP)

“Por enquanto, podemos confirmar que se trata do avião da AirAsia e o ministro de Transportes partirá em breve para Pangkalan Bun”, na região onde os destroços foram detectados, disse Djoko Murjatmodjo, diretor-geral da aviação civil da Indonésia.

As partes do avião foram localizadas no estreito de Karimata, que separa as ilhas de Bornéu e Belitung, próximo de uma base aérea que serviu como ponto de decolagem para os aviões que participam da operação internacional de busca e resgate.

Familiares das 162 pessoas que viajavam no avião se abraçaram e choraram em Surabaia, de onde o avião decolou rumo a Cingapura, ao ver pela televisão as imagens de um corpo flutuando no mar.

2014 12 30t093613z 55158156 600x418 - Encontrados os destroços do Airbus A320-200 da AirAsia que desapareceu com 162 pessoas a bordo no dia 28/12
Familiares de vítimas do voo da AirAsia choram após saberem da localização dos destroços da aeronave nesta terça-feira (30) (Foto: Beawiharta/Reuters)

A confirmação de que os destroços pertenciam ao voo QZ8501 ocorreu horas depois de as autoridades divulgarem que um pescador tinha encontrado vários objetos no mar de Java. Helicópteros e navios foram enviados ao local para recuperá-los e determinar sua procedência.

“Avistamos cerca de dez objetos grandes e outros muito menores, de cor branca, que não pudemos fotografar”, indicou o oficial Agus Dwi Putranto, membro da Força Aérea da Indonésia, em entrevista coletiva.

O voo QZ8501 da AirAsia havia saído no domingo de Surabaia, na Indonésia, com destino a Cingapura, onde pousaria duas horas depois, segundo a previsão da companhia.

No caminho, o piloto chamou a torre de controle e pediu permissão para mudar a altitude de 32 mil para 38 mil pés para evitar uma tempestade.

Porém, dois minutos depois, quando os controladores tentaram comunicar a autorização para que o avião subisse aos 34 mil pés, não houve resposta. A aeronave sumiu dos radares e não foi emitido nenhum sinal de socorro.

O avião transportava 137 adultos e 18 crianças, além de sete tripulantes. Entre eles há 155 indonésios, 3 sul-coreanos, 1 britânico, 1 francês (copiloto), 1 malaio e 1 cingapuriano.

Ao menos 30 navios, 15 aviões e 7 helicópteros participam das operações de busca e resgate, sob coordenação da Indonésia, com a ajuda da Austrália, Cingapura, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Malásia, Nova Zelândia e Tailândia.

A companhia AirAsia tinha até então um histórico de segurança excelente, sem nenhum acidente fatal envolvendo seus aviões.

 

FONTE/IMAGENS: BBC Brasil, UOL, Reuters, AFP – EDIÇÃO: Cavok

Anúncios

18 COMENTÁRIOS

  1. Mais um com grande número de vítimas para a triste estatística de 2014. Para a aviação comercial 2014 não deixará saudades.

  2. Grandes desastres. Grandes perdas. Eu também tive minhas perdas pessoais. Um ano para ser esquecido.

  3. Pergunta:
    O piloto queria subir mais para evitar a tempestade, ele estava em cruzeiro e nivelado, o fato dele subir expusera a aeronave em que sentido?

  4. se ele estiver a baixa velocidade ele pode ter perdido a sustentação

  5. Ano para esquecermos, nunca vi ano tão ruim como este. Poderiam acelerar um pouco e acabar com este ano um dia antes. 2014 não deixará saudades! Tomará que 2015 nos traga pelo menos esperança, pois até isso foi nos roubao neste ano de 2014.
    Feliz Ano Novo Cavokianos!

  6. Galileu, segundo a imprensa foi negado a mudança de altitude devido ao risco de colisão com outra aeronave. Acredito que nesta situação deveria existir mais liberdade a tripulação para mudança de aerovia, mudança de rota ou altitude, afinal os transponders e sistemas anti colisão existem para este tipo de situação. Não sei não, mas são muitos acidentes nesta área do Globo o que pode indicar falhas graves dos sistemas e procedimentos na região.

  7. Wolf,
    Não sabia disso, e como você disse é no mínimo estranho tantos acidentes na região.

    Outra coisa que não entendi, no caso do Airbus da airfrance que caiu no atlântico, antes da queda a aeronave enviou um sinal de alerta para a central da fabricante, mas no caso desse acidente da airasia não, porque não?

  8. Wolf,
    Não sabia disso, e como você disse é no mínimo estranho tantos acidentes na região.

    Outra coisa que não entendi, no caso do Airbus da airfrance que caiu no atlântico, antes da queda a aeronave enviou um sinal de alerta para a central da fabricante, mas no caso desse acidente da airasia não, porque não?

  9. Eu acredito que grandes companhias como a AirFrance ou mesmo a Azul aqui no Brasil tem em seu centro de comando a telemetria em tempo real das aeronaves. açredito que a IATA ou algum orgão internacional irá obrigar em breve este tipo de telemetria em todas as aeronaves. somente especulando, mas o que penso nesta situação da AirAsia é coincidências grandes com o vôo da AirFrance AF447, AirBus, cumulonimbus a frente, co-piloto francês, queda no mar, e me parece que existiu estolagem, mas sem a destruição completa da aeronave com o choque com o mar. Situação terrível! Mais uma vez vem a cabeça a falta de treinamento da tripulação do Air France frente aquela situação do AF447, manetes joystick sem repetição piloto co-piloto, e caos completo de comunicação e entendimentomda situaçãomda aeronave. Um horror completo, coitados daqueles que se foram dentro destas aeronaves. Vai 2014 e não me volte nunca mais ano ruim!

Comments are closed.