O Equador está interessado em adquirir 12 caças Atlas Cheetah, fabricados na África do Sul.

A Força Aérea Equatoriana – FAE deu início à renovação da frota de caças de combate após receber formalmente a autorização do Ministério das Finanças na semana passada. O Governo do Equador deverá mobilizar fundos no valor de 80 milhões de dólares com vistas a substituir os caças Mirage F1 que operaram no país desde 1979. Esse novo pedido de 12 aeronaves aumenta a intenção anterior do Equador que estudava adquirir 9 unidades do caça sul-africano, conforme divulgamos aqui.

Desta forma a Força Aérea Equatoriana poderá dar segmento a análise técnica que selecionou os caças Denel Cheetah de origem Sul Africana. A previsão para o recebimento do primeiro lote das 12 aeronaves é o primeiro trimestre de 2011. O Cheetah permitirá que a Força Aérea Equatoriana mantenha a sua capacidade de defesa aérea e dissuasão nos próximos sete anos.

Fabricado na África do Sul, pela empresa ATLAS, hoje Denel, o Chetaah é uma versão do Mirage-III construida sob licença na África do Sul. O desenvolvimento e entrada ao serviço do Chetaah, é resultado do isolamento internacional da África do Sul que se seguiu à saída dos portugueses de Angola e de Moçambique em 1975 e ao embargo internacional que se seguiu em 1977 em razão da política do Apartheid.

As diferenças de tamanho entre a versão do Kfir e as duas versões do Cheetah.

O Primeiro Cheetah foi apresentado em 1986, e era na prática um Mirage-III dos que a África do Sul tinha ao serviço, equipado com sistemas mais modernos. A segunda série de caças Cheetah, versão C e D (monoplace e biplace respectivamente) foram totalmente produzidos na África do Sul.

Os 80 milhões dólares a serem empregados na aquisição dos aviões sul africanos incluem a manutenção da aeronave por cinco anos pela fabricante peças e treinamento.

Segundo a fabricante sul africana (a DENEL) o Cheetah é plenamente compatível em termos de eletrônica e armamento com os caças Kfir CE, atualmente em operação na Força Aérea Equatoriana.

Mesmo os aviônicos da década de 90, integrados no Cheetah, já estão ultrapassados.

Em paralelo, a FAE ganha novo fôlego para no futuro empreender o plano de renovação da frota que nos próximos cinco anos, será substituída pelo Mirage 2000 ou F-16.

Fonte: Confirmado.net/ El Universo / FAE, via Hangar do Vinna

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Interessante notar nesse modelo da foto, o parabrisas em peça única e assento ejetável Martin Baker MK10.

  2. Um coronel amigo meu vôo essa aeronave, falo que e, um puta avião, melhor ate que o Kfir Israelense, que ele vôo também, o Brasil na época estudava a possibilidade de compra uns Denel Cheetah, para isso enviou pilotos para o testalos

  3. O Brasil tem que aprender a decidir sobre compra de caças, por que, que esses paíseszinhos borrrabotas, compram, f-16 C/60/50 , su-35/27, f-2000, e enquanto o Brasil nada.

Comments are closed.