Escolha de sistemas israelenses para o LCA Tejas pode levar a HAL a perder o pedido de 83 caças Mk-1A feito pela Força Aérea da Índia.

A estatal indiana Hindustan Aeronautics Limited (HAL) concluiu um acordo no final de outubro com a subsidiária Elta Systems, da Israel Aerospace Industries (IAI), para a compra de 83 radares AESA (matriz eletrônica ativa) ELM-2052 e suítes de guerra eletrônica (EW) EW-8222WB que serão integradas às aeronave de combate leve (LCA) Tejas Mark-1A, de acordo com relatos da mídia local.

A Elta foi selecionada por dois empreiteiros europeus de defesa, Thales e Saab, para fornecer seus sistemas à Força Aérea Indiana (IAF). A seleção de Elta foi recebida com críticas por vários analistas de defesa da Índia. Existe alguma preocupação de que a IAF não seja capaz de adquirir o míssil ar-ar além do alcance visual (BVRAAM) Meteor para sua frota de LCA Mark-1A.

“A MBDA, o consórcio europeu que constrói o Meteor, disse repetidamente à IAF que só caberia esse míssil em um caça com um radar aéreo europeu”, escreveu Ajaj Shukla do Business Standard, no início desta semana. “Escolher um radar AESA da Elta para o Tejas Mark-1A, portanto, exclui o Meteor e, com ele, qualquer esperança de que a IAF compre o Mark-1A em números significativos.”

A IAF já está comprando o Meteor BVRAAM para seus 36 caças Dassault Rafale. No entanto, a MBDA notificou o governo indiano de que não integraria mísseis em nenhuma plataforma israelense ou russa. Isso poderia representar um problema para a eficácia de combate do Tejas Mark-1A, uma variante atualizada do Tejas Mark-1 com várias atualizações, incluindo um sistema de radar AESA, um conjunto EW e uma capacidade de reabastecimento em voo.

Enquanto a Tejas LCA está programado para ser armada com a BVRAAM I-Derby, fabricado pela empresa de defesa israelense Rafael Advanced Defense Systems, a IAF estipulou em 2017 que a variante atualizada do LCA Tejas deveria ter o Meteor, assim como o ASRAAM (avançado míssil ar-ar de curto alcance) da MBDA. Por um lado, o alcance do I-Derby – a variante de alcance estendido da arma pode atingir alvos até uma distância de 100 quilômetros – não pode igualar a faixa de 200 a 250 quilômetros do Meteor.

O Ministério da Defesa indiano encomendou 40 Tejas LCA Mark-1 com a HAL Até o momento foram produzidos 20 Tejas LCA na configuração operacional inicial, sendo 16 monopostos e quatro treinadores. Notavelmente, o fabricante da aeronave não conseguiu cumprir a quota de oito aeronaves por ano. Apesar disso, o Ministério da Defesa concordou em fazer um pedido para 83 Tejas LCA Mark-1A adicionais, sendo 73 Tejas LCA monopostos e 10 aviões de treinamento com dois lugares. No entanto, um pré-requisito para a encomenda Mark-1A é que a aeronave receba o Meteor.

Consequentemente, ainda não está claro se o Mark-1A jamais entrará em serviço com o IAF. Ao mesmo tempo, o Tejas Mark-1 ainda não conseguiu a liberação operacional final pela Agência de Desenvolvimento Aeronáutico (ADA) da Índia.


Fonte: The Diplomat

Anúncios

18 COMENTÁRIOS

  1. O Tejas é um caça da terceira linha de defesa da Índia, em tese, não necessita operar o Meteor. O I-Derby e o míssil BVR local já seriam mais do que suficientes.

  2. Que interessante: a estatal fabricante faz o que quer, sem consultar o cliente inicial/final, que ENCOMENDOU todo o programa…

    Muito bisonho.

  3. E o F-35 deles vai indo devagar e sempre como seus homólogos americanos. Mas acredito que uma hora dessas deslancha assim como os F-35 vai se desmanchando também na marra mesmo.

    • Desempenho inferior ao mirage 2000, não tem motor, radar… Tudo comprado. Intensa consultoria estrangeira. Nem sabem que armas usará.

      Substitui e supera uma dúzia de caças e vai atender uma dúzia de países. Tem motor, radar, eletrônica… próprios. Já opera.

      É a mesma coisa.

  4. Ué? A MBDA está boicotando Israel. Jurava que só os americanos faziam esse tipo de restrição.

    • Mas a restrição europeia é puramente comercial. Querem meus mísseis, usem meu radar. Simples assim. Nada de ideológico/político.

      • O que é ideologia?

        Posso te dar uma lista de vendas vetadas por motivos políticos. O parlamento alemão é pródigo em vetar vendas de armas.

        • Me referia a esta em questão. E sim, os alemães tem bode na sala, então devem ficar espertos nas vendas deles. O passado os precede.

    • Os europeus são bastante parcimoniosos em relação a integrar seus mísseis em caças que não sejam de países europeus

      soube que a FAB queria o Meteor para o Gripen E, mas os alemães em particular não queriam liberar a integração nos gripen Brasileiros DE JEITO NENHUM. Me parece que foi contornado, mas deixa bem claro o que eles acham

  5. Meu deus q salada de confusoes! Para esse filme que jah nao to entendendo mais nada.

  6. Daqui 20 anos o Tejas estará pronto
    Mas se em 2019 ele já está defasado imagina em 2039?

    Até lá teremos F-35/E

  7. Muito parecido com alguns programas brasileiros. Mesma filosofia, mesmo resultado. Mas a culpa é da falta de verbas, dos EUA, dos Illuminatis, da direita, dos astros…

  8. HAL decidir sem consultar a IAF é um grande erro mesmo. será que tem chinês na empresa.?

  9. Olha… aqui no Brasil as coisas não são bagunçadas só falta aqui é honestidade, sempre tem um ou vários querendo tirar uma vantagem em tudo. Mas na Índia…. meu amigo… além de ter corrupção também é tudo uma bagunça! O trânsito Indiano é que a India é: um caos!

  10. O Governo indiano só quer se livrar desse abacaxi. Poderiam até concordar com o Derby (O que já está de bom tamanho) mas dai perderiam essa chance. Nem com Derby, nem com Meteor, o Tejas não presta pra nada mesmo…

Comments are closed.