O escorregador de evacuação do 767 no quintal de um morador de Boston. (Foto: Kevin Brown)

Um voo da Delta Air Lines vindo de Paris (França) sofreu um incidente incomum no dia 1º de dezembro de 2019, quando perdeu uma parte da aeronave ao se aproximar de Boston (EUA).

O incidente foi talvez mais incomum para aqueles que encontraram o enorme escorregador de evacuação do avião no quintal de casa. A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) agora está investigando como a parte da aeronave poderia ter caído do Boeing 767 da Delta no meio do voo, aterrissando em uma área residencial em Massachusetts.

O voo DL405 da Delta Air Lines, operado em um Boeing 767-300 (registro N1607B), decolou do Aeroporto Paris-Charles de Gaulle (CDG) no dia 1º de dezembro de 2019, em direção ao Aeroporto Boston Logan International (BOS), onde estava programado para pousar por volta do meio dia. Segundo a FAA, como citado pelo The Boston Globe, ao se aproximar do aeroporto, o piloto relatou um “ruído alto”. Depois que a aeronave pousou em segurança, descobriu-se que estava faltando o escorregador de evacuação da traseira direita.

O escorregador de evacuação inflou durante o voo e foi arrancado da aeronave pela corrente de ar, caindo no chão. O escorregador aterrissou no quintal de uma casa em Milton, uma cidade localizada a cerca de 16 quilômetros ao sul de Boston, no estado de Massachusetts. Depois que o escorregador foi encontrado, a polícia de Milton alertou a Polícia Estadual de Massachusetts no Aeroporto Boston Logan e a FAA, que abriu uma investigação sobre o incidente. Felizmente, não houve feridos ou danos à propriedade, como indicam os relatórios.

A Delta Air Lines também abriu uma investigação sobre o incidente e disse que as equipes de manutenção estavam inspecionando o avião.

“A Delta está investigando o escorregador inflável que foi recuperado após o pouso de uma aeronave no Aeroporto Logan de Boston”, disse a companhia aérea em comunicado. “O voo pousou sem incidentes e taxiou até o portão com a força de seus motores”.

O Boeing 767-300 envolvido no incidente tem 19,7 anos em serviço. A companhia aérea ainda opera as variantes 767-300 e 767-400 mais antigas.

Aparentemente, esses casos de peças de aviões se desprendendo e caindo no chão não são uma ocorrência incomum, tanto que a indústria ainda tem um acrônimo para esses casos – PDA, que significa “Parts Departing Airplanes”, de acordo com o Boston Herald. De fato, essas ocorrências estão aumentando globalmente, principalmente na Europa e nos EUA, de acordo com um estudo recente da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO).

Há apenas duas semanas, em 19 de novembro de 2019, um grande pedaço de um avião de teste da Airbus foi encontrado por um habitante da vila de Daux, perto do Aeroporto Toulouse-Blagnac (TLS), França. “Confirmamos que uma parte da aeronave foi encontrada e estamos investigando o problema internamente”, disse a Airbus.

Anúncios

1 COMENTÁRIO