A Eslováquia decidiu adquirir caças F-16 Block 70/72 da Lockheed Martin.

A Eslováquia decidiu por adquirir jatos de combate F-16 da Lockheed Martin ao invés de uma oferta concorrente do Saab JAS-39 C/D Gripen para substituir sua frota de antigos jatos MiG-29. A Eslováquia comprará 14 aeronaves F-16 Block 70/72 por um valor estimado de 1,589 bilhão de euros (US$ 1,86 bilhão) pelas aeronaves, munição, treinamento de pilotos e serviços de logística por dois anos.

Um F-16 holandês voa em formação com um MiG-20 eslovaco.

“Com base em análises completas, escolhemos a melhor solução, porque são máquinas modernas que não têm concorrência em termos de preço, qualidade e capacidade, e o que podemos ter para o país”, afirmou o ministro da Defesa Peter Gajdos, em comunicado.

A oferta dos Estados Unidos foi mais vantajosa para a República Eslovaca em termos de todos os parâmetros, e nesse sentido o ministério rejeitou qualquer especulação de que a razão para escolher a aeronave F-16 seja posterior entrega e, assim, prolongar a dependência da tecnologia russa. “Enquanto o tratado com o governo dos EUA está pronto para assinatura, o lado sueco insistiu na negociação de detalhes somente depois que uma decisão do governo fosse tomada. Quando as datas de entrega de ambas as aeronaves dependiam da assinatura do contrato”, disse Gajdos.

Além disso, se uma oferta sueca fosse aceita, parte do material teria que ser entregue por um terceiro, o que atrasaria a entrega. Não ficou imediatamente claro quando os jatos F-16s podem ser entregues. Gajdos disse que o governo dos EUA está pronto para assinar um acordo com a Eslováquia.

Caças F-16 da Guarda Aérea Nacional dos EUA.

“Ao considerar e levar em conta todos os parâmetros, a oferta dos EUA foi mais barata. O Departamento de Defesa comparou preço, munição, custos de treinamento de pilotos e equipe terrestre, logística, conclusão da infraestrutura, prazos de entrega e outros custos operacionais até o horizonte de 2040”, ele adicionou.

Dado o ciclo de vida de mais de 30 anos dos caças americanos, o lance americano é 8% mais barato do que o da Suécia, acrescentou o primeiro-ministro. No entanto, o investimento inicial apenas nas aeronaves dos EUA é várias centenas de milhões de euros superior ao dos jatos Gripen suecos.

Ele também agradeceu aos EUA e ao governo sueco por ofertas e negociações sérias.

A decisão do governo de comprar os caças norte-americanos também ecoou na atual cúpula da OTAN em Bruxelas, disse o presidente Kiska durante as negociações dos chefes de estado e primeiros-ministros dos países membros da OTAN no mesmo dia.

MiG-29 Fulcrum da Força Aérea da Eslováquia.

O presidente eslovaco destacou que ele mencionou esse fato durante seu discurso de abertura. Ele acrescentou que tais compras não são excepcionais do ponto de vista da aliança e dos países vizinhos, porque os países maiores empurram grandes quantidades de equipamento militar.

Questionado sobre o que pensa sobre a seleção de caças F-16, Kiska respondeu que a equipe escolhida de especialistas fez uma seleção clara e transparente e escolheu a melhor opção possível do ponto de vista do país. Ao mesmo tempo, ele acrescentou que é um bom sinal para os aliados ao ter caças de alta qualidade.

25 COMENTÁRIOS

  1. Eita F-15, F-16 e F-18 que não vendem mais, que ninguém mais quer!!! Só dá Sukhoi e Chengdu vendendo mais que geladinho de caipirinha em dia de 40 graus em "Ipanhêma"!!!

    • É J-qualquer-coisa vencendo todas as concorrências. Os chineses nem estão dando conta das vendas.

        • Consequência é zero

          Interesse não é venda.

          Péssimo lugar pra usar carros de combate pois o país é montanhoso.

          Sistema de defesa aérea como o nome diz é uma arma defensiva. Ninguém quer invadir o Paquistão.

    • Europa não costuma comprar equipamento chinês.
      E os ex-comunistas estão evitando equipamento russo.
      Mas, o que valeu foi a sinceridade do sujeito. 'Somos pequenos. Foi o que deu para comprar'.
      Meio vergonhoso, né?

      • Quase ninguém compra equipamento chinês. China vende clone de mig21 pra nação africana com propina.

          • Para quem usa Mig-29 esse F-16 bloco 70 é uma revolução. Vem com radar mais moderno que o do Su-35.

            • E a união do útil ai agradável: Falta de dinheiro aliada a um produto mais antigo e barato. Só isso.

              • De acordo com vc, Mig 31 recauchutados são vetores fantásticos.

                Mas F16 novos são "antigos".

                Só fala asneiras.

              • É aquela coisa, cada um sabe até onde vão suas pernas. Ir contra isso é a receita do desastre. Basta ver a Venezuela, que comprou os Su-30 sem condições de operá-los. O resultado é que os aviões não voam e quando voam caem.

                • Devo concordar de novo contigo. América do Sul não tem necessidade de aviões caros e complexos, visto a realidade do continente. Realidade em todos os sentidos, não só militar.

  2. Entre Gripen C/D e F-16 Block 70 eu também iria de F-16.
    Já se entre o mesmo F-16 e o Gripen E/F a coisa muda de figura.. Sou mais o Gripen E/F.

    • Com o F-16, a Embraer iria montar um centro de desenvolvimento? Projetar a versão biplace? No máximo adquirir uma cópia do ferramental da Lockheed para algumas peças

  3. Simples, prático, eficaz e mortífero, este é o F-16 e sábia escolha desta Força Aérea, que torna-se muito capaz com a aquisição deste ícone.

  4. Agrada ao Trump duplamente: mostra que o país leva a sério a participação na Otan, ao investir, e ainda garante empregos nos EUA.

    Agora, o avião é excelente: não deve existir alguém, com algum conhecimento, que não reconheça isso…

  5. Esses Fulcrum poderiam ser vendidos para empresas prestadoras de serviços militares… hehehehehe eu adoraria poder comprar um, se tivesse grana. 🙁

    • Estas empresas como a ATAC e Draken dão preferencia a monomotores de manutenção mais barata, usam/usaram L-39, L-159, A-4, Kfir, Cheetah, Draken, Mig-21 e Mirage F1.

    • Mig 29 só é econômico pra esquadrilha da fumaça, pois já vem com gerador de fumaça de fábrica.

Comments are closed.