A Blue Origin testará o motor da sonda lunar que a empresa está desenvolvendo em um laboratório de foguetes da Força Aérea dos EUA.

Em dezembro de 2019, a Blue Origin, uma empresa de voos espaciais fundada pelo bilionário Jeff Bezos, assinou um contrato de pesquisa e desenvolvimento cooperativo (cooperative research and development agreement – CRADA) de 15 anos com o Laboratório de Pesquisa da Força Aérea (Air Force Research Laboratory – AFRL). O contrato estabeleceu planos para o teste do motor BE-7, que será usado no módulo lunar da empresa. O motor será testado em um local da AFRL na Base Aérea de Edwards, na Califórnia.

Embora os termos financeiros específicos do contrato não tenham sido tornados públicos, a AFRL compartilhou num anúncio que a Blue Origin fornecerá “melhorias de capital” para 1-42 (Complexo de Propulsão para o Ambiente Espacial), a instalação onde os testes nesse mecanismo serão realizados.

Como o 1-42 cria condições atmosféricas ou de vácuo, atualmente a instalação pode testar motores de foguetes e peças de naves espaciais. As melhorias nas instalações que permitirão testar de maneira otimizada o motor BE-7 incluem novos recursos de hidrogênio líquido e propulsor de oxigênio líquido, juntamente com outras atualizações da instalação, dizia o anúncio.

Essas atualizações e adições permitirão 1-42 criar um “ambiente semelhante ao Espaço”, ideal para testar o mecanismo. As melhorias nas instalações do AFRL também estarão disponíveis para uso de outras empresas em testes futuros.

O redirecionamento da infraestrutura no local de teste 1-42 nos permite acelerar o desenvolvimento do motor BE-7 para o nosso módulo lunar Blue Moon“, disse Eric Blumer, diretor do programa de motores da Blue Origin. “Ele desempenhará um papel crítico no apoio da Blue Origin ao programa Artemis de enviar mulheres e homens à Lua até 2024“.

Em maio de 2019, Bezos anunciou os planos da empresa de pousar uma espaçonave chamada Blue Moon na superfície lunar, revelando também o conceito de design do veículo. Em outubro do mesmo ano, Bezos apresentou seu “time dos sonhos” para colocar astronautas na lua com o módulo de aterrissagem.

O envolvimento da Blue Origin no retorno de missões tripuladas à Lua é a resposta da empresa a um pedido de propostas que a NASA fez ao parque industrial dos EUA para enviar conceitos de pousos lunares para o programa Artemis.


FONTE: Space.com

NOTA DO EDITOR: Agora imagine, apenas imagine, se o programa não houvesse sido cancelado. Se a propostas de von Braun para um voo lunar anual tivesse sido aceita…

NOTA DO EDITOR: Se os EUA estão tendo de reaprender a voar até a lua, por terem relegado ao limbo tudo que aprenderam, o quê dirá nossa Marinha sem porta-aviões e sonhando com segunda frota…

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. A agência espacial norte-americana poderia passar a ser chamada de NASA S/A. A participação da iniciativa privada nos programas só fortaleceu o aprimoramento das tecnologias envolvidas. E isso faz crer que muito mais avanço virá.