O primeiro lançamento de foguete de 2020 pela Agência Espacial chinesa foi uma carga misteriosa, com a mídia estatal e analistas independentes fazendo afirmações diferentes sobre o objetivo da missão.

A China iniciou o ano de 2020 com um lançamento misterioso. O satélite é chamado TJS 5.

A mídia chinesa disse que um foguete Long March 3B transportou um satélite ao Espaço na manhã (horário de Pequim) da terça-feira (07). Segundo os jornais, o satélite foi colocado em órbita geoestacionária a 36.000 quilômetros.

Será usado em comunicação, rádio, televisão e transmissão de dados, bem como num teste de tecnologia de alto rendimento“, afirmou a Agência Espacial, que declarou a missão um sucesso.

Como a China geralmente não identifica quem possui ou usará seus satélites, e o país permaneceu calado sobre esse último lançamento, os analistas teorizam que talvez a série TJS possa ter um aspecto militar.

Em 2017 o satélite TJS 2 foi lançado sem nenhum anúncio específico sobre sua missão. Na época, analistas disseram que ele poderia fornecer serviços como detecção de mísseis, mas isso não foi confirmado.

Espera-se que a China implante mais de 40 satélites em 2020. O último trimestre de 2019 foi muito movimentado para este país, pois começou a lançar várias missões em pequenos intervalos de dias ou horas. Num destes, o país lançou dois foguetes com apenas seis horas de intervalo, e isso a partir da mesma base de lançamento.


Com informações de Space.com

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Pergunta de leigo: qual é a vida útil de um satélite? E depois de aposentado o que é feito com ele? Pq eu entendo que dê tempos em tempos a órbita de um satélite precisa ser corrigida, correto? Então se ele é aposentado ou simplesmente para de funcionar ele deveria ir perdendo altitude com o tempo até reentrar na atmosfera da terra e ser pulverizado por ela. Procede?