Do outro lado da lua, o Lander e o Rover da China atingiram a marca de um ano em operação.

No ultimo dia 3 de janeiro a China atingiu um marco histórico na lua, com a missão Chang’e 4 comemorando seu primeiro ano inteiro explorando o lado ‘oculto da lua’.

A sonda chinesa Chang’e 4 e seu veículo espacial Yutu 2 completaram oficialmente seu 13.º dia lunar na quinta-feira (02, no fuso horário de Pequim), segundo a Agência de notícias estatal Xinhua . A dupla entrou no modo inativo para “dormir durante a noite lunar”, de acordo com a CNSA (China National Space Administration – Agência de Administração Espacial da China).

A sonda Chang’e-4 foi lançada à Lua no dia 8 de dezembro de 2018 e fez a primeira aterrissagem suave no lado oculto da lua no dia 3 de janeiro de 2019. A sonda pousou na cratera Von Kármán na Bacia do Pólo Sul-Aitken lunar, onde estão desde então.

Recorde

Na sexta-feira (03), o veículo espacial Yutu 2 percorreu 357,69 metros no lado oposto da lua. O Yutu-2 (Coelho de Jade-2) inicialmente foi projetado para uma vida útil de três meses, tornando-se assim o rover mais antigo da Lua.

Os cientistas da missão Chang’e-4 batizaram seu local de desembarque, Statio Tianhe, que em mandarim “Tianhe” significa Via Láctea e “Statio” é o latim para a estação.

O veículo espacial Yutu 2 fez várias descobertas no outro lado da lua. Entre eles, constatou que o regolito lunar ao redor da sonda Chang’e-4 contém os minerais olivina e piroxeno, que vieram do fundo da lua.

Com a Chang’e-4 do outro lado da lua, a CNSA conta com um satélite de retransmissão chamado Queqiao, que está estacionado além da lua em um ponto estável chamado de Lagrange (ponto onde a gravidade da Lua e da Terra se equivalem – NE), a cerca de 500.000 km da Terra. É possível que Queqiao consiga ficar estável neste ponto por mais de 10 anos.

Vamos deixar Queqiao funcionar o máximo de tempo possível. Também poderia fornecer comunicação para sondas de outros países, se eles pretenderem explorar o lado oposto da lua durante a vida útil do satélite“, disse um pesquisador da Academia Chinesa de Ciências.

Enquanto a missão Chang’e-4 continua, a China está preparando a próxima missão lunar: Chang’e-5. Essa nova missão, que deve ser lançada em 2020, pousará outro veículo espacial e rover na lua, porém dessa vez amostras lunares serão trazidas à Terra.


Com informações de Space.com


Que acompanhar as principais missões espaciais de 2020? Clique aqui.

Anúncios