O segundo voo do novo foguete chinês Long March 5 foi marcado por uma falha, causando a perda de um satélite de comunicações e causando um golpe nas ambiciosas espaciais do país.

Levando um satélite de comunicações experimental, o foguete partiu às 7h23min (hora local) em direção ao céu limpo do centro de lançamento espacial Wenchang, no sul da China, em Hainan, mas 40 minutos depois, a agência estatal de notícias Xinhua publicou uma manchete declarando uma falha, sem fornecer detalhes.

Medindo 5 metros de diâmetro e 57 metros de altura, o foguete LM-5 foi projetado para colocar até 25 toneladas de carga útil na órbita baixa da Terra, mais do que duplicando a capacidade de elevação anterior do país.

A falha no lançamento significa um novo atraso para uma série de empreendimentos espaciais chineses planejados, incluindo seu programa lunar, robótico e tripulado. O foguete não foi capaz de alcançar a órbita planejada.

Com o LM-5 sendo uma nova tecnologia, o fracasso indica que a ciência do foguete é extremamente difícil e porque mais países não possuem a tecnologia“, disse Joan Johnson-Freese, professora do US Naval War College e especialista no programa espacial da China

Antes da tentativa de lançamento, Johnson-Freese disse que o foguete daria a China “capacidades de elevação pesada” necessárias para desenvolver uma grande estação espacial, bem como novas capacidades para alcançar destinos interplanetários.

A China anunciou planos para pousar uma sonda robótica no lado escuro da lua no final deste ano e alcançar Marte em 2020.

Todas essas missões futuras dependerão do LM-5. Representantes do governo disseram recentemente “que este lançamento ajudaria a aperfeiçoar o desenho do foguete, inclusive permitindo que ele colocasse uma estação espacial em órbita em um ano ou dois“.

Anunciado em 2001, o projeto LM-5 sofreu longos atrasos devido a estouros no orçamento e dificuldades no desenvolvimento de novas tecnologias para o primeiro lançador chinês a usar um propulsor líquido. O LM-5 finalmente voou pela primeira vez em novembro de 2016. O vôo foi considerado um sucesso.

Seus criadores disseram que as capacidades do LM-5 são as mesmas do foguete Delta IV dos EUA, considerado o mais poderoso do mundo.

Os dois foguetes estão no mesmo nível, embora uma combinação de propulsão significa que o Delta ainda é um pouco mais eficiente“, disse um projetista do LM-5, antes do lançamento. “O Delta teve anos de experiência, enquanto este é apenas o segundo lançamento para o LM-5 – então vamos continuar modificando e melhorando para tornar nosso foguete mais maduro e confiável“.

A China chegou tarde à Corrida Espacial. Seu primeiro satélite só foi enviado para o espaço em 1970, logo após os Estados Unidos colocar o primeiro homem na lua, mas nas décadas passadas, a China injetou bilhões de dólares em pesquisa e treinamento.

Desde 2003, a China já realizou uma ‘caminhada espacial’, pousou um rover na lua e lançou um laboratório espacial que espera abrir o caminho para uma estação espacial de 20 toneladas. Também enviou cinco equipes para o Espaço no mesmo período de tempo, tornando-se apenas o terceiro país do mundo a realizar tal façanha.

O centro espacial Wenchang, concluído em 2014, é o quarto e mais novo do país. Ao contrário dos outros três locais construídos sob as regras da Guerra Fria – no deserto ou nas montanhas – a localização costeira de Wenchang permite o transporte fácil de foguete e carga útil por mar.

Sua proximidade com o equador também beneficia os lançamentos espaciais, adicionando velocidade orbital ao foguete, à medida que a Terra gira mais rápido no equador.

Os meios de comunicação estatais expressaram a esperança de ver Wenchang virar a Cabo Canaveral da China, uma das principais atrações turísticas do estado da Flórida nos Estados Unidos, graças a dois grandes centros de lançamento espacial nas proximidades.

A cooperação bilateral em programas espaciais entre Washington e Pequim é inexistente desde que o Congresso dos EUA proibiu em 2011 a NASA de trabalhar com a China por questões de segurança nacional.


FONTE: CNN

Anúncios

15 COMENTÁRIOS

  1. O homem nunca pousou na Lua, se a NASA é incapaz de guardar projetos do modulo lunar, foguetes, e gravacões originais de um dos maiores da historia e seu maior "feito", imagina pousar na Lua. É bom lembrar o mico da pedra "lunar" do museu holandes que tinha um seguro de mais de 150mil reais e na verdade era madeira petrificada.

      • Quem disse que a URSS não questionou ? procure de informar pela URSS e não pelo o os Americanos dizem, inclusive em 2015 teve varias noticias dizendo que a Rússia iria abrir uma investigacao pra saber mesmo se o homem pousou na Lua.

      • A NASA perdeu o projeto, se ela quiser construir um Saturno V ela não vai poder pq perdeu os BluePrints ….

    • Tem razão cara , outra farça é essa história de que a terra é redonda , e nitido pra mim que a terra é plana . Aqueles imperialistas europeus criaram esta mentira e até hoje todo mundo acredita nisso.

      • Aí já posso concordar, pelos meus estudos a terra é quadrada.

    • Fizeram uma lavagem cerebral, e todo mudo acredita que realmente aconteceu uma viagem à Lua.
      Também estou duvidando cada vez mais que a Terra é da forma como nos foi ensinado, porque ao se aprofundar em estudos e mapas antigos, todos os mapas eram com a Terra Plana.

      • Verdade também, quando eu fiz o prézinho na sala de aulas tinha um mapa mundi pendurado na parede e não era redondo. Sempre desconfiei daquele mapa…

    • Verdade? Então a estória que o Edwin Eugene Aldrin Jr. foi o primeiro homem a fazer "xixi" na Lua é mentirosa?
      Sempre duvidei do Buzz…

Comments are closed.