A NASA revelou os primeiros astronautas a voar em espaçonaves privadas construídas pela SpaceX e pela Boeing.

A NASA fez o anuncio no dia 3 de agosto no Centro Espacial Johnson, com a Agência revelando os oito astronautas da “casa” e um astronauta da Boeing diante de uma multidão de legisladores, dignitários e crianças agitando cartazes e bandeiras americanas. Os astronautas serão os primeiros americanos a entrar em órbita a partir do solo norte-americano e voando numa nave americana desde que o programa de Ônibus Espaciais da NASA foi desativado em 2011.

Este é um grande negócio para o nosso país, e queremos que os americanos saibam que estamos de volta“, disse Jim Bridenstine, administrador da NASA.

As missões de teste tripuladas da Boeing e da SpaceX são, sem dúvida, os voos de teste de espaçonave mais esperados neste século. Há quatro voos no total – dois para cada empresa, com a SpaceX voando a sua nave Crew Dragon a Boeing a sua CST-100 Starliner. As naves estão programadas para serem lançadas em 2019 rumo a Estação Espacial Internacional (ISS), logo que os voos de testes forem concluídos.

O primeiro voo tripulado será na CST-100 Starliner, que levará os astronautas da NASA, Eric Boe e Nicole Aunapu Mann e o astronauta da Boeing, Chris Ferguson. Ferguson é um ex-astronauta da NASA e já foi comandante de Ônibus Espacial.

Os veteranos astronautas da NASA, Bob Behnken e Doug Hurley, voarão no primeiro voo tripulado da SpaceX, com a Crew Dragon. Sua missão está prevista para abril de 2019.

É absolutamente a oportunidade de uma vida“, disse Mann, um tenente do Corpo de Fuzileiros Navais que se juntou à NASA em 2013.

Quando os primeiros voos de teste da tripulação estiverem completos, mais duas tripulações voarão com a Crew Dragon e a Starliner para missões de longa duração na estação espacial.

Em setembro de 2014 a NASA anunciou pela primeira vez que a SpaceX e a Boeing voariam com astronautas da NASA para a Estação Espacial Internacional. Na época, a Crew Dragon da SpaceX (antes chamada de Dragon V2) e o Starliner da Boeing (apenas CST-100 naquela época) venceram uma competição de quatro anos – e contratos no valor de bilhões – para levar os astronautas ao Espaço.

Então, em julho de 2015, a NASA ofereceu mais uma pepita: quatro de seus astronautas foram escolhidos para começar a treinar na Crew Dragon da SpaceX e no Starliner da Boeing.

O anúncio da tripulação para os voos de teste da SpaceX e da Boeing é um passo importante para a iniciativa da NASA de restaurar a autonomia do acesso tripulado dos EUA ao Espaço. A última missão espacial da NASA, o voo STS-135 foi em julho de 2011. Desde então, a NASA depende dos russos e sua nave espacial Soyuz, pagando US$ 70 milhões por assento.


FONTE: Space.com

5 COMENTÁRIOS

  1. No papel a ideia de delegar à iniciativa privada os vôos até a ISS é boa pois libera a NASA para outras atividades mais complexas. Resta saber se na prática será assim

  2. O espaço só será verdadeiramente explorado quando houver rentabilidade que justifique projetos privados.

  3. É isto o que ocorre num país onde existe um forte ideal de que a iniciativa privada deve participar com destaque no progresso tecnológico e científico. Surge uma variedade de opções e possibilidades e estão sempre na vanguarda. O oposto da visão monocromática e sob o jugo do estado dos roskovs e xipings e do monopólio da Airbus na Europa, já tudo que se intenta por lá fica sob seu domínio.

    • Daí não entendem porque quase todas as empresas de tecnologia e inovação aparecem no mesmo lugar.

      Lembrando que um brasileiro cofundou o facebook e um russo o google.

Comments are closed.