Sonda lunar da Índia caiu na lua ao tentar um pouso suave.

O programa espacial da Índia se recuperará fortemente do aparente fracasso da tentativa de pouso lunar na sexta-feira”, disse o Primeiro-Ministro Narendra Modi.

A sonda lunar Chandrayaan-2 lançou um módulo chamado Vikram em direção à superfície lunar na tarde da sexta-feira (06). Tudo correu bem por um tempo, mas os controladores da missão perderam contato com Vikram quando a nave estava a apenas 2.100 metros acima da superfície lunar.

A Organização Indiana de Pesquisa Espacial (Indian Space Research Organisation – ISRO) demorou em declarar oficialmente a perda da Vikram, mas afirmou que os dados de descida ainda estão sendo analisados. Porém os comentários do PM Modi sugerem fortemente que a Vikram e Pragyan – o veículo espacial que deveria ser implantado a partir da sonda – estão mortos.

Chegamos muito perto, mas precisaremos cobrir mais terreno nos próximos tempos“, disse Modi durante um discurso à nação que foi transmitido ao vivo no sábado pela manhã no horário da Índia. “Tão importante quanto o resultado final é a jornada e o esforço. Posso dizer com orgulho que o esforço valeu a pena e a jornada também“.

O Primeiro-Ministro também elogiou a equipe Chandrayaan-2, enfatizando que os cientistas e engenheiros estavam buscando inovações ambiciosas – o primeiro pouso na lua da Índia e a primeira tentativa de pouso tão perto do pólo sul lunar. Os indianos foram ousados. O local de descida da Vikram ficava a 70,9 graus de latitude sul.

Para nossos cientistas, quero dizer, a Índia está com você. Vocês são profissionais excepcionais que deram uma contribuição incrível ao progresso nacional“, disse Modi.

O Primeiro-Ministro disse ainda que o país continuará a explorar a fronteira final. “Os aprendizados de hoje nos tornarão mais fortes e melhores. Há um novo amanhecer e um amanhã mais brilhante em breve“, disse Modi. “Estamos confiantes de que, quando se trata de nosso programa espacial, o melhor ainda está por vir“.

De fato, a Índia planeja desenvolver a missão lunar Chandrayaan-3 nos próximos anos, e a nação também pretende colocar humanos na superfície lunar em algum momento. A ISRO também está trabalhando para enviar um segundo orbitador para Marte em meados da década de 2020. A primeira sonda do país ao planeta Vermelho, Mangalyaan, estuda Marte em órbita desde setembro de 2014.

Mas Chandrayaan-2 não é uma perda total. O orbitador da missão, que continua na órbita da lua, está programado para operar por pelo menos um ano. A sonda está usando oito instrumentos científicos para estudar a lua de várias maneiras – criando mapas detalhados da superfície lunar, por exemplo, e medindo a presença e abundância de gelo d’água, especialmente na região polar sul.

A missão Chandrayaan-2 da Índia capturou esta fotografia da lua em 21 de agosto de 2019.

Até o momento, apenas três nações pousaram na Lua uma sonda espacial – União Soviética/Rússia, Estados Unidos e China.

A organização sem fins lucrativos israelense SpaceIL e seu parceiro Israel Aerospace Industries tentaram fazer de Israel a quarta no início deste ano, mas a sonda Beresheet caiu durante sua tentativa de aterrissagem em abril passado.


Com informações de Space.com

Anúncios

15 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns aos indianos e a Narendra Modi pelo apoio incondicional a seus cientistas. Certamente irão muito mais longe.

    Enquanto isto por aqui, além do ridiculamente vergonhoso nível de subdesenvolvimento em pesquisas aeroespaciais, estamos assistindo agora a uma verdadeira caça às bruxas contra cientistas, dados científicos e investimentos em bolsas e pesquisas.

    • Eu até acho que deveria ter o que não temos que é um "filtro" para aprovar o que é pesquisa util e assim liberar o financiamento, muita coisa inutil era/é aprovada, mas não é exclusividade desse governo, nunca foi e nunca será o foco do país investir em ciência, o que é compreensível visto que quanto mais alto o cargo público geralmente mais burro é o cidadão.

      Um comentário aparte é sobre o Marcos Pontes, manchou a biografia dele sendo Ministro.

    • O Brasil tem pesquisas de alto nível como essa:
      https://www.gazetadopovo.com.br/educacao/em-unive

      O meu estado mantem duas universidades estaduais. Todos os estudos que o governo precisa são feitos pela FGV que é privada.

      Universidade pública tem autonomia e a usa para beneficiar sua própria agenda. Por experiência própria,90 porcento da "pesquisa" é inútil. Quando o tema não é ridiculo, o cara fica 20 anos sem apresentar nenhum resultado e não há cobrança alguma.

      • Sim, também ja vi tanta pesquisa bosta ao longo da vida, tudo por bolsa do governo, lamentável, pelo que vi essas bolsa são liberadas (pra variar) na base da indicação, não há filtro ou regra alguma, se há ela fica só na teoria.

        • Universidade faz o que quer e não dá satisfação. Acho que todas deviam virar fundações. As verbas do ministério da CT e educação chegariam via edital.

          O edital prescreveria os objetivos e prazos. A instituição teria ao menos que provar agiu com a intenção de cumpri-los. Como é hoje, é jogar dinheiro fora. Tem gente séria, tem. Mas é minoria.

          Onde trabalho pegaram três verbas para pesquisa. Metade do dinheiro sumiu. Houve desvio de objetivo no que foi feito. A prestação de contas foi uma piada.

          • Na época da facul eu fui convidado para fazer iniciação científica e depois entrar no ciência sem fronteiras, deu entender pelo que o coordenador disse que a universidade tem "cotas" e quem decide como usar é o coordenador do curso, se ele for com sua cara, enfim, sem parâmetro algum como você disse.

            Agora um breve comentário sobre o ciência sem fronteiras, esse é o "programa social" menos social que eu vi na vida e nada de científico ahah. Para entrar nele o requisito era o seguinte, falar ingles fluente ou outra lingua do país pretendido e passar no teste. Quem fala fluente uma lingua quase sempre é rico, o que eu vi de classe média alta e rico morando 6 meses a um ano nos states e canadá, tudo na nossas custas, ah, e não precisavam estudar nada, era so frequentar aula, e depois soube que nem isso precisava comprovar. Uma conhecida de familia rica usou esse programa, so postava foto das viagens pelos states ahahah
            Quando esse programa maldito acabou, essa conhecida ficou toda fula da vida, escrevia post reclamando e tal ahahahha.

            Como dizia um prof.que tive, o pobre tem benefício, o rico sonega e tem beneficio (refis e etc) e a classe média paga a conta.

  2. Sinceramente, com os recursos comp utacionais e de simulação que dispomos hoje, entendo essa missão como um fracasso vergonhoso para Índia. Um desperdício de recursos caros ao povo indiano. A missão Apolo colocou um homem na lua há 50 anos, com dez missões de preparativo, mas quando decidiram pousar na lua, o fizeram com toda a certeza do sucesso. Para mim, foi uma propaganda negativa da capacidade da engenharia indiana. Desculpe as paquitas, mas se não sabe não invente, e se for tentar, teste exaustivamente, em simulações e testes físicos.

  3. Parabéns aos indianos. Há 72 anos atrás sequer eram independentes e hoje são uma potência militar regional e com um programa espacial de dar inveja a muitos outros países, apesar dessa falha. Mas quantas falhas os americanos e soviéticos tiveram antes de terem êxito em seus empreendimentos espaciais. Só erra quem tenta!

  4. Os blogs paquistaneses estão praticando zoando os hindus direto!

    "Não basta cair na Terra, tem que cair na lua!"

    "Por que avião indiano tem dois motores? Se um falhar, o outro leva até o local da queda…"

    Ahahahahaahaha…

    • Boa tarde amigo, recentemente vi uma publicação sua neste blog, onde você mostrava uma coleção das revistas querra nos ceus. sou colecionador desta revista e perdi o fasciculo 36. estou procurando quem possa me ajudar par que eu possa terminar e encadernar esta valiosa coleção. se vc puder me ajudar. agradeço
      preciso de uma cópia do fasciculo 36 para poder impimir em uma grafica e fechar os volumes.
      se puder me ajudar fico grato