MIR space station
A Estação Espacial MIR operou na órbita baixa da Terra entre 1986 e 2001, de propriedade da União Soviética e depois da Rússia. / Roscosmos

A proposta será apresentada durante a próxima reunião do grupo, que acontecerá na Rússia, em julho de 2015.

A ideia é criar uma estação orbital tripulada conjunta, com a participação de cada país membro do BRICS, sobretudo China e Índia, que já possuem programas espaciais ativos.

Soyuz_acoplada_MIR
Nave Soyuz TM-24 acoplada na Estação Espacial MIR, vista desde o ônibus espacial Atlantis, em 21 de setembro de 1996. / NASA

A Rússia enxerga a iniciativa como parte de uma estratégia comum de criar alianças tecnológicas.

 

FONTE: ITAR-TASS – EDIÇÃO: CAVOK

IMAGENS: Roscosmos, NASA, e meramente ilustrativas

Anúncios

124 COMENTÁRIOS

  1. Acontece que aqui falta verba para modernizar os AMX's, os últimos F-5's, Prosuper empacou. Agora imagina os outros projetos que precisam ser tocados: FX-2, Prosub, Sisfron, etc. A coisa é simples, se colocarmos os pés no chão, que é onde eles devem estar, constatamos que não tem como o Brasil entrar de cabeça numa empreitada dessas. Se for o caso, no máximo só para aperecer na foto praticamente (o que já é alguma coisa, hehe).

  2. Acho que nem desenvolver alguma tecnologia critica a partir de um laboratório espacial é factível. Há três problemas que bloqueiam essa possibilidade. Antes de desenvolver alguma tecnologia é preciso ter um meio acadêmico capaz de gerar pesquisa de alto nível que necessite/utilize dessa infraestrutura espacial, ter infraestrutura em solo que valide e justifique esses experimentos e orçamento de pesquisa capaz de dar suporte a essa pesquisa, além de ter capacidade de absorver o conhecimento gerado, tanto a industria como pelo próprio meio acadêmico. O "turista" brasileiro que levaram ao espaço (por um ingresso de 20 milhões) teve que plantar feijão pra passar o tempo por falta de pesquisa significativa enquanto outros astronautas estudavam a resiliência de novos polímeros condutores, comportamentos magnéticos de materiais expostos a radiação espacial e etc. Outro problema é a infraestrutura da própria estação (equipamentos e possibilidades de experimentos a serem feitos). Sem experiência alguma na área e atraso em pesquisa, sua concepção e montagem seria especificamente montada para atender os interesses dos que que a montam e entendem dela, russos e chineses, pra atender suas linhas principais de pesquisa. E o último problema é pensar nos resultados como tecnologia crítica, sendo que na sua vasta maioria seria de pesquisa não tão significativa ou de rápido retorno. Nem quem torra dinheiro consegue resultados significativos em experimentação espacial. Há sim ganhos na pesquisa espacial mas leva tempo, custa caro (desenvolver experimentos no espaço, mesmo algo simples) e os ganhos geralmente são modestos. Acho que não há ganho nem na construção de uma estação ou na sua utilização.

Comments are closed.