O lander Chang’e-4 e seu rover Yutu-2, no outro extremo da Lua, estão agora “tirando uma soneca do meio-dia” como precaução contra as altas temperaturas.

A sonda Chang’e-4 fez sua aterrissagem histórica a 177,6º de longitude leste e 45,5º ao sul dentro da cratera de Von Kármán, na bacia do Pólo Sul-Aitken, após duas semanas em órbita lunar.

O rover foi desdobrado da sonda pouco menos de 12 horas depois, na manhã do dia 3 de janeiro. O rover também recebeu oficialmente o nome Yutu-2 (Coelho de Jade 2).

Depois de atingir um ponto pré-determinado, o Yutu-2 entrou em modo de espera para se proteger de temperaturas de 200 ºC, segundo o Programa de Exploração Lunar da China, sob a Administração Nacional do Espaço da China (CNSA).

O rover de 140 kg, que tem seis rodas direcionáveis para permitir o giro, retomará as atividades no dia 10 de janeiro, horário de Pequim.

Zhang Yuhua, vice-comandante-chefe e desenhista da missão, disse à mídia estatal chinesa que a próxima missão do veículo será viajar adiante da sonda e filmar a nave.

Depois disso, o rover irá para sua área planejada e iniciará uma série de projetos de exploração científica na cratera de Von Kármán, como planejado pelos cientistas“, disse Zhang.

Shen Zhenrong, diretor de design do jipe Yutu-2, disse à China Central Television que a equipe adotou um novo método para operar os equipamentos. O rover da Chang’e-3 (Yutu) percorreu apenas 114 metros antes de parar em definitivo durante o segundo dia lunar no Mare Imbrium no início de 2014.

As preparações para entrar em um estado dormente para a noite lunar acontecerá no dia 12 de janeiro, quando as temperaturas podem cair para cerca de menos 180º Celsius. Durante esse tempo, a sonda – que possui um pequeno gerador termoelétrico radioisotópico – será capaz de funções limitadas.

Desde o pouso, ambas as naves espaciais têm testado as cargas úteis, as comunicações e os sistemas ópticos.

No lander, as três antenas de 5 metros do espectrômetro de baixa freqüência para astronomia pioneira foram implantadas, o que será visível em futuras imagens Yutu-2 da frente da sonda.

A câmera de topografia da sonda também foi testada e transmitiu imagens de volta à Terra. A câmera pancromática do Yutu-2 e o radar de penetração lunar.

Robert F. Wimmer-Schweingruber, da Universidade de Kiel, Alemanha, que desenvolveu o experimento Lunar Lander Neutrons and Dosimetry (LND) no lander, disse que o instrumento havia sido ligado antes da descida da sonda e novamente testado após a implantação do rover.

Como entendemos, o LND está saudável e trabalhando nominalmente“, disse Wimmer-Schweingruber.

O LND buscará entender a radiação à qual os solos e rochas lunares estão expostos, em preparação para a potencial exploração humana, bem como detectar a água sob a superfície.


FONTE: Space News


NOTA DO EDITOR: O texto original diz que a sonda voltará a ativa no dia 10 e que começará os procedimentos para a “noite lunar” no dia 12 do mesmo mês. Serão 14 dias de escuridão. Pelo visto, o tempo de utilização e exploração será bem limitado, pois nos 14 dias de luz, uma parte não é possível operar por causa do calor.

2 COMENTÁRIOS

  1. Só um comentário, a quantidade e diversidade de instrumentos que esta missão está levando é surpreendente!!!

    E os equipamentos são de tamanho relativamente pequenos como o rover Yutu-2 de apenas 140 kg.

    A maioria dos rovers marcianos (a exceção do pequeno Sojourner de 10,5 kg) é de mais de 180 kg…

    Os chineses não estão para brincadeira…

    • Não tem nada de excepcional aí Giba. fora o mesmo antiamericanismo surrado e a vontade histérica de elogiar uma ditadura totalitária.

Comments are closed.