Buscando substituir seus Eurofighters, a Espanha quer participar do FCAS.

A Espanha se juntará a um projeto franco-alemão para construir um novo caça para substituir o Eurofighter e o Rafale, informou o Ministério da Defesa espanhol na segunda-feira.

A Ministra da Defesa, Margarita Robles, assinará uma carta de intenções com seus colegas franceses e alemães na quinta-feira à margem de uma reunião da OTAN em Bruxelas, disse um porta-voz.

O projeto lançado em julho de 2017 é conhecido como o Sistema Futuro de Combate Aéreo (FCAS), que além de uma nova aeronave de combate também planeja incluir drones e mísseis de cruzeiro.

O novo jato de combate substituirá o Eurofighter, que é montado na Alemanha, Grã-Bretanha, Espanha e Itália, e o francês Rafale, por volta de 2040 e competirá com o F-35 dos EUA ou seu sucessor.

A Dassault apresentou uma proposta do FCAS.

Um primeiro contrato no valor de 65 milhões de euros foi concedido à Airbus e à Dassault Aviation em fevereiro para desenvolver o projeto do sistema de combate.

A Espanha, que realiza a montagem dos aviões de transporte militar A400M da Airbus, enviou uma carta em dezembro a Paris e Berlim pedindo para ser associada ao projeto.

O FCAS tem um rival – o projeto britânico Tempest, concedido à BAE Systems, e ao qual a Itália e a Holanda também aderiram.

Em um comunicado divulgado em dezembro, o Ministério da Defesa da Espanha disse estar “convencido de que os dois programas acabarão se fundindo, dados os enormes investimentos necessários em seu desenvolvimento”.


Fonte: AFP

3 COMENTÁRIOS

  1. Muito lógico: a CASA não virou pó, ela passou a fazer parte da EADS, todo mundo sabe — e tal lá, como cá, os projetos para a Força Aérea só tomam corpo com a participação ativa (grana) do governo…

    Tomara que os franceses da Safran aceitem alguma colaboração da MTU (parceira de longa data das RR, P&W e GE), pois seus motores são muito bons, mas não excelentes, nem adianta soterrar os outros com folderes.

    Só tenho dó dos Bergeracs solitários da Dassault, que futuramente serão lanche dos franco-alemães.