Dois helicópteros NH90 (HT.29 Caimán) das Forças de Aviação do Exército Espanhol. (Foto: Airbus)

O governo espanhol informou no dia 10 de setembro que o seu Conselho de Ministros autorizou a aquisição de um segundo lote de helicópteros NH90, e também a modernização dos seus helicópteros de transporte CH-47D Chinook.

De acordo com a publicação Jane’s, o sinal verde para o Ministério de Defesa veio depois que o novo governo socialista Partido Socialista Obrero Español assumiu em junho, dizendo que cortaria os maiores gastos com defesa prometidos no início do ano pelo governo anterior do conservador Partido Popular (PP).

A Espanha deve adquirir 23 novos helicópteros NH90 da Airbus, designados localmente como HT.29 Caimán, incluindo no programa um desenvolvimento adicional da versão naval do NH90 para a Armada (Aviação Naval Espanhola).

Atualmente a Espanha possui seis NH90 operacionais, todos atribuídos ao BHELMA III, na base aérea de Logroño, junto à Fuerzas Aeromóviles del Ejército de Tierra (FAMET, Aviação do Exército Espanhol). Outros cinco estão sendo preparados para entrega na fábrica da Airbus Helicopters em Albacete (Espanha).

A Espanha deve também iniciar o programa de modernização de seus CH-47D (designados localmente HT.17s) para uma nova configuração, provavelmente a CH-47F.

Helicóptero CH-47D Chinook (HT.17) espanhol durante missão no Afeganistão.

Em abril de 2018, os EUA aprovaram uma possível venda militar estrangeira (FMS) para a Espanha de dezessete CH-47F em um contrato avaliado em US$ 1,3 bilhão. Dezessete Chinooks estão em uso com o BHELTRA V, sediados em Madri.

Uma declaração do gabinete enfatizou que a atualização de Chinook foi “necessária” para “manter a capacidade operacional dos helicópteros de transporte pesado do exército”. Incluirá atualizações dos sistemas de segurança, equipamentos de suporte no solo, planejamento de missão e sistemas de simulação fornecidos pelo fabricante, a Boeing.

A segunda parcela dos NH90s também foi necessária para “garantir potenciais capacidades de missão”.

O pacote liberado para compras militares inclui ainda a compra de navios de ação marítima, investimentos em programas de combate a incêndio e 7 fragatas.

A ministra da Defesa, Margarita Robles, disse em julho que o governo reduziria os gastos prometidos pelo PP em novas ordens de defesa em 2018 para cerca de 5 bilhões de euros (US$ 5,8 bilhões) para cobrir os programas prioritários.

SEM COMENTÁRIOS