1673109
AIDC F-CK-1 “Ching kuo”

O AIDC F-CK-1 “Ching kuo” é uma aeronave de combate multifuncional de 4ª geração desenvolvida pela AIDC (Aero Industry Development Center), em cooperação com a General Dynamics, para suprir as necessidades da Força Aérea da Repúplica da China, ROCAF (Republic of China Air Force).

Matéria divulgada originalmente em novembro de 2014, por Anderson LaMarca (in memoriam) e reproduzida para comemorar os 10 anos do Cavok.

Até a década de 1970, os EUA reconheceram a República da China, em Taiwan, como o governo legítimo da China continental e não mantiveram relações diplomáticas com o regime comunista de Pequim. Em meio à Guerra Fria, a cisão sino-soviética forneceu aos EUA uma oportunidade aproximação com a República Popular da China, como meio de conter a URSS. Como fruto dessa aproximação, houve o estabelecimento de relações diplomáticas entre os dois países, ocorrido em 1º de janeiro de 1979, ao mesmo tempo em que EUA e Taiwan rompiam suas relações.

Ainda no início de 1979, o presidente americano Ronald Reagan, “preocupado com a segurança de seu antigo aliado”, promulgou a Lei de Relações com Taiwan (TRA – Taiwan Relations Act), através da qual era possível aos EUA continuar fornecendo equipamento militar para as forças armadas taiwanesas, independente do status formal nas relações diplomáticas entre os dois países.

2116591A grande verdade por trás desse ato, entretanto, era o desejo de Washington em continuar fornecendo seus equipamentos militares, afinal, Taiwan era um importante cliente. Pra se ter uma ideia, em 1960, a ROCAF adquiriu 282 caças Lockheed F-104, e, entre 1974 e 1986, aproximadamente 300 caças Northrop F-5 haviam sido construídos localmente sob licença.

Preocupado com as relações entre EUA e China, e temendo pela segurança de seu próprio país, em 28 de agosto de 1980, o então presidente de Taiwan, Chiang Ching-Kuo, solicitou que a AIDC iniciasse o processo de desenvolvimento de um caça-interceptador nacional. Àquela altura, já estavam em andamento dois projetos, XF-6 e XA-3, mas ambos foram cancelados, pois eram considerados pela ROCAF como sendo de alto risco e de desempenho duvidoso.

Naquele mesmo período, Taiwan manifestou interesse em comprar aviões de combate dos EUA, para substituir os seus obsoletos Northrop F-5 E/F e Lockheed F-104. Os americanos, empenhados em melhorar suas relações com Pequim, negaram o pedido de Taiwan para aquisição de caças F-16 A/B, e, subsequentemente, em julho de 1982, bloquearam a venda de 100 caças F-20 Tigershark. Diante desse impasse, ainda em 1982, Taiwan iniciou o processo de desenvolvimento do seu próprio caça, num projeto inicialmente denominado IDF (Indigenous Defence Fighter).

 

Em 1983, a AIDC foi escolhida para ser a responsável pelo desenvolvimento da aeronave, com ampla assistência por parte de empresas americanas, lideradas pela General Dynamics.

1752860
AIDC AT-3 “Tzu Chung”

O projeto foi, então, dividido em quatro frentes de trabalho, com as seguintes áreas de atuação:

  • “Ying Yang” (Soaring Eagle): fuselagem, em cooperação com a General Dynamics
  • “Yun Han” (Cloud Han): motorização, em cooperação com a Honeywell
  • “Tien Lei” (Sky Thunder): aviônica, em cooperação com a Westinghouse Company / General Electric
  • “Tien Chien” (Sky Sword): mísseis ar-ar

O desenvolvimento da aeronave também sofreu com as limitações impostas pelos EUA, que, apesar de participarem do programa, impunham certas restrições. Um grande desafio, por exemplo, foi encontrar um motor adequado.

Sob pressão de Pequim, Washington vetara o fornecimento à Taiwan de motores avançados, como o General Electric F404 e o Pratt & Whitney F100. Os motores General Electric J85 e J79, que equipavam os caças F-5 e F-104, estavam, no entanto, disponíveis, mas não atendiam aos requisitos de desempenho especificados pela ROCAF.

1213946A AIDC chegou a buscar, sem sucesso, auxílio de empresas europeias que atuavam no segmento. Restava apenas o mercado americano. O acesso a motores mais modernos não foi possível, o que deixou o novo caça de Taiwan limitado à utilização do motor Garret, equivalente ao que já tinha sido incorporado no treinador AT-3 “Tzu Chung”, e que também é empregado em jatos executivos de pequeno porte.

O motor TFE-731 (ITEC-124/125), que recebeu a adição de um pós-combustor, foi bastante modificado, com um aumento considerável de potência, garantindo um desempenho mais adequado a uma aeronave militar.

 

1372516Apesar de impor algumas restrições, os EUA concordaram em repassar aos taiwaneses os códigos fonte do sistema fly by wire do F-16.

 

Por influencia da General Dynamics, o IDF possui diversas similaridades com os projetos de aeronaves americanas, o que reduziu substancialmente o tempo de desenvolvimento da aeronave e os custos do programa.

aidc_fck1_ching_kuo_l3

  • Nariz, layout das asas, estabilizador vertical, tailerons e freios aerodinâmicos se assemelham aos utilizados no F-16, que posteriormente também foram empregados no Mitsubishi F-2;

avf16_4_3 (2)

  • Os bocais de entrada de ar do motor possuem design e posição similares aos utilizados no F-18 Hornet;

4

  • O cockpit também se parece bastante com o do F-16, sendo equipado com um HUD grande e angular, dois Displays Multifunção (MFD), controle Sidestick e comando HOTAS.

AIDC_F-CK-1A_(cockpit)

O primeiro protótipo (10001), que foi informalmente designado como A-1, foi apresentado ao público em 10 de dezembro de 1988, numa cerimônia presidida pelo então presidente Lee Teng-hui. A aeronave foi formalmente nomeada “Ching Kuo”, em memória do falecido presidente Chiang Ching-kuo.

Prototype 10001 FCK1
Apresentação pública do 1º protótipo, em 10 de dezembro de 1988

Posteriormente, o ministério da defesa o designou como F-CK-1, onde o F representa Fighter, CK, Ching Kuo, e o numero 1 simboliza o primeiro caça desenvolvido no país.

O primeiro voo da aeronave ocorreu em 28 de maio de 1989, às 10:21hs, tendo ao comando Coronel Kang-Ming Wu. A programação era para um voo com duração de 1 hora, entretanto, devido a um possível problema detectado pela equipe em terra, o IDF 10001 pousou às 10:43hs, apenas 22 minutos após a decolagem.

Foram construídos quatro protótipos:

PROTÓTIPOS
o 2º protótipo foi perdido num acidente ocorrido em 07/12/91, o piloto morreu

10002

10003

10004_112600
o 4º protótipo era biplace e já saiu de fábrica nas cores da ROCAF

A construção das aeronaves de pré produção foi iniciada em 1990, com a entregas ocorrendo entre os anos de 1992 e 1993, tendo sido produzidas 10 aeronaves (6 monoplace e 4 biplace).

abertura opção 3

Estava prevista a construção de 250 caças F-CK-1 para a ROCAF. Em 1991, entretanto, com a suspensão do embargo que impedia a venda de aeronaves militares a Taiwan, esse número foi reduzido para 130 aeronaves (101 monoplace e 29 biplace, já incluindo os protótipos).

1
Foram produzidas apenas 130 aeronaves (101 monoplace e 29 biplace, já incluindo os protótipos). A frota da ROCAF foi, posteriormente, complementada por 150 caças F-16 A/B Block 20 e 60 Mirage 2000-5E.

A última unidade foi entregue em 14 de janeiro de 2000. Em julho desse ano, todas as aeronaves já estavam implantadas em suas unidades operacionais.

2018957

1404682

Graças ao barramento de dados MIL-STD 1553 B, o F-CK-1 pode ser adaptado para utilizar a maioria dos armamentos disponíveis no mercado, entretanto, sua configuração original prevê a utilização, na arena ar-ar, no cenário WVR, do míssil TC-1 sky sword 1 (Tien Chien I), que possui um alcance máximo de 15 km, e, no cenário BVR, do míssil TC-2 Sky Sword II (Tien Chien II), que possui um alcance máximo de 60 km.

2a

Na arena ar-superfície, o caça pode ser equipado com bombas de queda livre MK-82/83/84, bombas de fragmentação GBU-87, bomba inteligente Wan Chien (guiada por satélite), com alcance de 100 a 250 km, mísseis AGM-65 B Maverik, com 27 km de alcance, míssil anti navio Hsiung Feng 2 (guiado por sistema inercial, radar e por um sensor infravermelho), com alcance máximo de 160 km, o que lhe confere uma excelente precisão e resistência a contramedidas. O F-CK-1 pode transportar até 3 mísseis Hsiung Feng 2, o que lhe confere um excelente poder de dissuasão eventuais ameaças. O canhão utilizado na aeronave é o M61A1 Vulcan, de 20 milímetros, que pode disparar até 6.000 projeteis por minuto.

1401659

A partir de 2001, iniciou-se o desenvolvimento de um novo padrão que serviria para a modernização dos caças já fabricados. Designada F-CK-1 C/D Ying Hsung, a nova aeronave seria equipada com um novo computador de controle de voo de 32-bits, novo computador de missão, novo head-up display, novo radar de controle de fogo, maior capacidade de transporte de mísseis (4 Tianchien , em vez de 2 nas versões anteriores), com integração de novos armamentos.

idf-11

Também foram realizadas melhorias estruturais, além do desenvolvimento de tanques conformais (CFT) com capacidade para 771 kg de combustível/cada.

100_3558

idf-12

idf-8

O primeiro protótipo F-CK-1 C 10005 (monoplace) voou pela primeira vez em 9 de outubro de 2006, seguido pelo primeiro voo do F-CK-1 D 10006 (biplace) em 27 de março de 2007.

Ambas as aeronaves foram demonstrados em uma cerimônia realizada no dia 27 de março de 2007, nas instalações da AIDC, em Taichung, com a presença do presidente de Taiwan, Chen Shui-bian.

FICHA TÉCNICA

  • Velocidade máxima: Mach 1.65 (2.021 km/h)
  • Razão de subida: 15.240 m/min
  • Potencia: 0.93
  • Fator de carga: 9 Gs
  • Raio de ação/alcance: 550 km/1100km
  • Radar: General Electric AN/APG-67 – Multi-modo/Pulso Dopler (Alcance médio: 136Km)
  • Empuxo: 2 X ITEC TFE1042-70 (F125-GA-100) com 27kN de potencia a seco e 42kN com pós-combustão

DIMENSÕES

  • Comprimento: 14,21 m
  • Envergadura: 9,46 m
  • Altura: 4,42 m
  • Peso vazio: 6.468 Kg
  • Peso máximo de decolagem: 12,200 Kg

ARMAMENTO

  • Mísseis Ar-Ar: WVR TC-1 sky sword 1 (Tien Chien I), BVR TC-2 Sky Sword II (Tien Chien II)
  • Ar-Superfície: míssil AGM-65 B Maverik, Hsiung Feng 2
  • Bombas: GBU-87, MK-82/83/84
  • Bomba Inteligente: Wan Chien (guiada por satélite), com alcance de 100 a 250 km
  • Interno: Um canhão M61A1 Vulcan de 20 milímetros

Capacidade de carga/armamento: 4.080 kg de carga distribuídas em 8 pontos fixos (2 nas pontas das asas para mísseis ar-ar, 4 sob as asas e 2 sob a fuselagem).

O F-CK-1 pode ser equipado com 3 tanques externos (1 sob a sessão ventral e 2 sob as asas) com capacidade para 1.041 litros/cada. Na versão C/D o mesmo pode ser equipado com dois tanques conformais (CFT) com capacidade para 771 kg de combustível/cada.

Segundo informações da imprensa especializada, em janeiro desse ano foram recebidas as primeiras unidades dos caças F-CK-1 modernizados, de um total de 56 aeronaves atualizadas que devem ser entregues à ROCAF ao longo de 2014.

0379447

Desenvolvido para substituir os caças F-5 E/F de 3º geração e o F-104 de 2º geração, em operação na ROCAF, o “AIDC F-CK-1 Indigenous Defense Fighter” foi um programa ambicioso, ainda assim de custo relativamente modesto, se comparado com outras aeronaves, como por exemplo o Mitsubishi F-2 japonês. Na época, cada F-CK-1 custou aos cofres taiwaneses a quantia de aproximadamente US$ 30 milhões. A aeronave era de projeto simples, com baixa utilização de materiais compósitos. Mesmo usando basicamente a mesma instrumentação empregada nos F-16, estima-se que aproximadamente US$ 1 bilhão tenha sido investido em aviônica e na motorização (uma das maiores fraquezas da aeronave é justamente a inadequada propulsão do motor). Estava prevista a posterior substituição dos motores por outros mais avançados, mas ideia foi abortada em face da entrada em operação na ROCAF das aeronaves F-16 e Mirage 2000.

Quando foi desenvolvido, F-CK-1 era superior a qualquer aeronave produzida e empregada pela China. O objetivo de ROCAF era garantir a superioridade aérea no estreito de Taiwan, Mar da China Meridional, localizado entre a ilha de Formosa e a China continental, uma área que possui cerca de 180 km de largura média, sendo a largura mínima de 131 km.

Naquela época, a PLAAF (Força Aérea Chinesa) era equipada basicamente com aeronaves Chengdu J-7 (versão local, construída sob licença do MiG-21) e Shenyang J-8 (interceptador chinês desenvolvido com base nos projetos do Mikoyan-Gurevich Ye-152 “Flipper” e Sukhoi Su-15 ‘Flagon-A’, da URSS).

O “AIDC F-CK-1 Indigenous Defense Fighter” representa o compromisso do governo taiwanês de manter as capacidades de defesa da República da China, aprimorando também a capacidade do país em produzir aeronaves de combate por conta própria.

divider 1

TEXTO: Anderson LaMarca

IMAGENS: Coleção particular do Editor e Internet


ESTE MÊS O CAVOK COMEMORA SEUS 10 ANOS, SEMPRE TRAZENDO AS NOTÍCIAS MAIS INTERESSANTES DO MEIO AERONÁUTICO. VAMOS RELEMBRAR OS MELHORES ARTIGOS QUE PASSARAM POR AQUI DESDE 2009, ESCOLHIDOS PELOS NOSSOS EDITORES E COLABORADORES.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns aos editores. Reverência ao saudoso LaMarca! Vida longa ao Cavok!

    CM

Comments are closed.