A nave Enterprise realizou seu último voo, "nas costas" de um Boeing 747 especialmente modificado pela NASA, até Nova York, onde agora ficará exposto no Intrepid Air Space Museum. (Foto: Wagner Damasio / Cavok)

Pouco menos de um mês atrás, desde as primeiras horas da manhã centenas de pessoas, dentre elas curiosos, entusiastas e imprensa enfrentavam o frio (que nas margens do Hudson, chegava a sensação de 0º graças ao vento congelante), o cansaço, e o aperto no deck de observação do Battery Park em Nova York. Alguns lá estavam por patriotismo, outros por amor a aviação e alguns tantos apenas por curiosidade, mas todos esses sentimentos eram impulsionados por um mesmo evento, “O Último Vôo da Enterprise”. Acompanhem esse relato através da matéria e fotos exclusivas do Cavok Brasil.

Centenas de pessoas no Battery Park, em Nova York, a espera do ônibus espacial Enterprise. (Foto: Wagner Damasio / Cavok Brasil Team)

Eram por volta das 10:30 locais, quando a euforia tomou conta daqueles que ali estavam, alguém avistará, ainda longe no horizonte, algo grande e diferente voando em direção a Manhattan, dois minutos depois, exatamente as 10:32 local o ônibus espacial Enterprise, que nunca chegou a entrar em órbita, transportado no topo do Boeing 747 da Nasa, especialmente modificado para transporta-lá, começava a penúltima etapa de sua viagem final, sobrevoando a baixa altitude a área metropolitana de Nova York, especialmente sobre pontos de referência como a Estátua da Libertade e o Intrepid Museum, Intrepid esse, que será a nova casa da Enterprise. Antes de seguir para pouso no JFK, ela ainda fez mais duas passagens, quando finalmente, vinte minutos depois do primeiro sobrevoo, a Enterprise era autorizada a fazer seu último pouso, no aeroporto JFK, onde ereceberá os ajustes necessários antes de subir as margens do Hudson em direção ao Intrepid, que será sua casa definitiva.

A Enteprise, sobre um 747 da NASA, realizou um sobrevoo sobre os pontos de Nova York. (Foto: Wagner Damasio / Cavok)

Já no aeroporto JFK, onde foi recebidas com requinte de super evento, a Enterprise ficou durante menos de 48 horas posicionada em uma área remota, onde foi realizada uma cerimônia oficial de despedida, com autoridades e convidados. Durante esse curto período, não era raro ver aeronaves prolongando seu taxi para poder passar bem perto desse símbolo espacial norte americano. Posteriormente, ela foi transportada para um hangar, especialmente montado para recebe-lá e passará por todos os ajustes necessários, para que no dia 19 de Julho, esteja acomodada e pronta para receber todos os visitantes do Intrepid Air Space Museum.

Apesar de nunca ter realizado nenhum voo espacial, a Enterprise, devido ao seu especial nome, chamou a atenção de diversos entusiastas para ver a psssagem dela sobre Nova York. (Fotos: Marcos Alexandre Cruz / Cavok Brasil Team)

Algumas curiosidades sobre a Enterprise:

A aeronave Enterprise, nas costas do 747 de transporte da NASA, realizando a última passagem sobre Nova York. (Foto: Marcos Alexandre Cruz / Cavok Brasil Team)

Originalmente, o ônibus espacial receberia o nome de “Constitution”, mas foi rebatizada de “Enterprise” para atender aos apelos dos fãs da Série “Guerra Nas Estrelas”, que era um fenômeno da época.

A aeronave agora está sendo preparada para exposição no Intrepid Air Space Museum. (Fotos: Wagner Damasio / Cavok)

A Enterprise, serviu apenas como um veículo de teste, a honra do primeiro voo de um ônibus espacial americano, foi dada a Columbia, aeronave irmã da Enterprise.

As aeronaves do Intrepid tiveram que ser realocadas para conseguir um espaço para nave Enterprise, que será colocada no porta-aviões museu em julho. (Foto: Wagner Damasio / Cavok)

No mês de Julho, a Enterprise será transportada de barco até o Intrepid Museum, e mais uma vez deve chamar a atenção de moradores e turistas de Nova York.

A Enterprise é mais uma das naves espaciais da NASA que foram cedidas para museus nos EUA. (Foto: Wagner Damasio / Cavok Brasil Team)

O voo de despedida originalmente estava previsto para dia 23 de Abril, mas por razões meteorológicas foi duas vezes adianto, causando angustia desses que vos escreve e estava com retorno ao Brasil marcado para dia 30 de Abril.

O museu Intrepid em Nova York, será amplamente divulgado numa nova seção que estamos preparando para vocês.

17 COMENTÁRIOS

  1. Ora, vejam só, a cópia descarada do BURAN passeando por aí. Os odiados estadunidenses roubaram até a idéia do An-225 levando o veículo "nas costas". Engraçado é ainda terem a cara de pau e a indecência de desfilarem com sua idéia roubada por nova iorque.

    • Caro Relojoeiro,

      Acho que até o Putin passa essa hem? 🙂

      Tem alguma fonte dizendo que os shuttles americanos são cópia do Buran?

      No mais, aguardando a próxima nave a receber o nome "ENTERPRISE"!

      []'s

      ps:Vai demorar 🙁

    • Quem copiou foram os russos. Até as pedras sabem disso. E copiaram sem necessidade alguma diga-se de passagem pois as veneráveis naves SOYUZ sempre deram conta muito bem do recado. De igual forma o transporte por uma aeronave como o 747 é um invenção legitimamente americana. Favor não desinformar sim?

  2. O fim de uma era, agora é concentrar esforços para o desenvolvimento de meios de propulsão mais eficientes e seguros.

  3. Os russos agora irao faturar muito, levando americanos ao espaco.
    O destino apronta cada uma.!!

  4. Enterprise é o nome da Nave Estelar da série "Star Trek – Jornada nas Estrelas", não dos filmes "Star Wars – Guerra nas Estrelas".
    No caso específico, 'USS Enterprise – NC 1701', da " The Original Series – Série Original" dos anos 60 e filmes da década de 70-80. A 'Enterprise – NC 1701-D' é da série "The Next Generation – A Nova Geração" dos anos 80, portanto, posterior ao advento dos ônibus espaciais.

    • Carne para as naves de rapinas Romulanas…
      Isso, quando os klingons deixam sobrar alguma coisa… Heheheheh.

  5. relojoeiro só está trollando rapazes, nao precisam responder, ele sabe muito bem que os russos nao sabem fazer onibus espaciais, eles nao tem essa capacidade, se eles nao tivessem roubado e copiado os projetos de foguetes espaciais americanos nem teriam ido ao espaço ainda, mas fazer o que né, russo só vive disso, copinado equipamentos americanos…

    • Se vc ainda nao sabe, os russos foram os primeiros na vanguarda espacial, pondo o primeiro cosmonauta no Espaco (Yuri Gagarin..lembra??). Os americanos vieram bem depois, iniciando a famosa disputa espacial.!!!

      Os foguetes russos atuais e de projeto antigo, sao muito mais confiaveis e eficientes do que esses Onibus Espaciais americanos, onde 02 explodiram (Columbia e Challenger).

    • ah ta

      aham

      BW, vc é mesmo um comediante !!

      TUDO NA HISTORIA APENAS PROVA QUE A RUSSIA É UMA NAÇÃO DE VANGUARDA EM TECNOLOGIA ESPACIAL E AERONAUTICA E MILITAR EM GERAL, ENTÃO, ESSE PAPINHO DE AMERICANOFILOS DE QUE A RUSSIA APENAS COPIA OS USA É TUDO PALHAÇADA IDEOLOGICA.

  6. Tenho uma reportagem da revista asas sobre o Buran!
    ali eles são bem claro o dizer,que o fracasso deste se deu,ao fim da URSS,se não fosce isto o danado tinha vingado.
    Tambem mostra que o Buran tinha alguns aspectos que o Americano não apresentava.
    Mas se fomos ver,tirando os dois acidentes no decorrer das operaçoes,os danados não foram um fracasso nao.
    agora ela vai para posteridade,e pra eternidade!

  7. Apesar de visualmete parecidos, a família de ônibus espaciais americano e soviética tinham modo de operar bastante distintos. No modelo americano utilizava-se para propulsão, além de 2 foguetes auxiliares de propelente sólido, o próprio ônibus acoplado a um tanque auxiliar de combustível líquido. Isso em teoria seria mais econômico pois além do ônibus espacial, as unidades auxiliares poderiam ser reaproveitadas. Já no modelo soviético o ônibus estava acoplado a um foguete de forma independente que levava e depois era totalmente descartado, aproveitando-se apenas o ônibus. Isso dava a esse modelo uma certa independência, visto que ele ainda possuia uma propulsão própria.
    Entretanto, ao longo do tempo, esta solução (de utilizar naves reaproveitáveis) mostrou-se inviável extamente naquilo que pretendia resolver: o alto custo das vigens espaciais. As despesas decorrentes das manutenções necessárias após cada viagem do ônibus espacial, quase que equivalia às naves tradicionais.
    Não podemos no esquecer que o projeto inicial previa que ele deveria decolar e posar como um avião e não como um foguete.

  8. Falem a verdade, é demais, não?

    Um Ônibus Espacial no convés de um Porta Aviões. É fantástico até de imaginar. Ver esta cena deve ser o máximo.

    Enquanto isto, aqui na república das bananas, o único porta aviões que tivemos foi vendido como sucata. O Brasil insignificante de povo safado, preguiçoso, ignorante e corrupto.

    Dizer que alguem é brasileiro é sinônimo de todos estes adjetivos despresíveis citados acima.

    E tem gente que ainda acha que seremos potência…

    É de morrer de rir

    • Outros acham que é crime criticar a MB e seu porta aviões…

      To esperando o processo…

Comments are closed.