Capacitação do Esquadrão HS-1 contou com 44 surtidas de instrução de voo com óculos de visão noturna.

Militares do Esquadrão Pantera (5º/8º GAV), sediado na Ala 4, em Santa Maria (RS), foram responsáveis pelo treinamento de implantação do voo com óculos de visão noturna (NVG, sigla em inglês para Night Vision Goggles) no 1° Esquadrão Anti-submarino (HS-1), da Marinha do Brasil, sediado em São Pedro da Aldeia (RJ).

As instruções aconteceram entre os dias 14 e 18 de maio e foram ministradas por quatro integrantes da Força Aérea Brasileira (FAB).

O Pantera foi escolhido para ministrar as instruções às equipagens do HS-1 tendo em vista à similaridade entre os projetos H-60L Blackhawk e SH-16 Seahawk, e a larga experiência do 5°/8° GAV na utilização dos óculos de visão noturna.

Esquadrão Pantera implanta doutrina NVG para a Marinha do Brasil.

Inicialmente, foram realizadas aulas teóricas e instruções aéreas no helicóptero SH-16 SeaHawk para a tripulação do esquadrão da FAB, a fim de possibilitar a familiarização com o modelo. Em seguida, foi ministrado ao efetivo do Esquadrão HS-1 um curso teórico preliminar aos vôos de instrução. Ao final, os tripulantes do Esquadrão Pantera realizaram 44 surtidas de instrução de voo com NVG, concluindo a capacitação no Esquadrão HS-1.

Interoperabilidade

O Tenente Aviador Felipe Lobo Monteiro destacou os benefícios do intercâmbio com outra Força. “Foi muito importante essa interação de conhecimentos, ver como funciona a aviação aeronaval, seus procedimentos e formação dos pilotos. Tivemos a satisfação de, ao término do curso, formar quatro pilotos operacionais e cinco tripulantes no nível básico de operação. A troca de experiências foi gratificante. É bom para Força Aérea, é bom para a Marinha do Brasil e é bom para o nosso país”, disse.


Fonte: Ala 4, por Suboficial Silveira – Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Jonathan Jayme – Fotos: Tenente Lobo / Esquadrão Pantera

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Operar hoje com Helicópteros como o SH-16, H-60L e o H-225M permite que utilizar o NVG torne-se algo corriqueiro.
    Coisa dos anos 90. É o mínimo.

  2. Muito bom este intercâmbio. Cooperação substituindo rivalidades. Espero que a aviação do exército entre nestes programas de integração.

Comments are closed.