Em Boa Vista (RR), houve adestramento em pistas críticas; no Pará, Esquadrão Grifo realizou elevação operacional de seus tripulantes.

O Sétimo Esquadrão de Transporte Aéreo (7º ETA – Esquadrão Cobra) realizou, na cidade de Boa Vista (RR), a segunda fase do Exercício Técnico de Pista Crítica, em agosto de 2019.

O objetivo foi adestrar e manter a operacionalidade dos tripulantes da aeronave Grand Caravan C-98A para pousos e decolagens em pistas consideradas críticas, localizadas na região de fronteira do Brasil.

 

Participaram do treinamento 33 aeronavegantes, sendo 19 do efetivo do 7º ETA e 14 do Primeiro Esquadrão de Transporte Aéreo (1º ETA – Esquadrão Tracajá), sediado na Ala 9, em Belém (PA).

 

Para o  Chefe da Célula de Controle de Instrução e de Atividades Operacionais do Esquadrão Cobra, Tenente Aviador Renan Cabral Ramos, é importante adestrar o efetivo para operar nessas localidades. “Apoiamos diversos órgãos e comunidades, entre eles o Exército Brasileiro e os indígenas, corroborando com a missão de integrar o território nacional”, diz: A Ala 7 foi escolhida como sede para o exercício devido à sua estrutura e localização, permitindo mais proximidade às pistas selecionadas para o treinamento. Ao término dessa etapa e somando o esforço aéreo empregado na primeira fase, foram aproximadamente 150 horas de voo, totalizando cerca de 300 pousos.

Aeronave Grand Caravan C-98A “vem” para o pouso em pista “crítica”.

“Foi muito gratificante, tendo em vista que, além de operarmos em aeródromos considerados convencionais, frequentemente prestamos apoio a comunidades e pelotões de fronteira, o que nos leva a operar em campos não preparados. Uma ótima oportunidade para o esquadrão treinar as técnicas de pouso curto”, explica o Tenente Aviador Bruno Dunham, do 7º ETA.

Integrantes do Equadrão Grifo (2º/3º GAV) posam para foto no final do exercício.

Grifo

Já no Campo de Provas Brigadeiro Velloso, localizado na Serra do Cachimbo, em Novo Progresso (PA), o Equadrão Grifo (2º/3º GAV) participou do Exercício Técnico Ar-Solo, no mês de julho.

 

A atividade foi desenvolvida com o objetivo de adestrar os pilotos no emprego de armamento aéreo para o cumprimento das ações de ataque, apoio aéreo aproximado, controle aéreo avançado e reconhecimento armado, por meio de missões de emprego ar-solo. Ao final, o Esquadrão realizou a manutenção e a elevação operacional de seus pilotos, bem como dos mecânicos que atuam com o armamento.


Fonte: 7º ETA, por Tenente Nijelschi e Ala 6. Fotos: Tenente Rafael Vilete / 7º ETA; Tenente Bento / 2º/3º GAV

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

    • Estiveram envolvidos na operação os vetores AT-29 (A e B) Super Tucano do Equadrão Grifo (2º/3º GAV) e os Grand Caravan C-98A do 7º ETA – Esquadrão Cobra e do 1º ETA – Esquadrão Tracajá.

  1. Off topic..
    Alguém sabe em que pé está a aquisição dos Sherpa pelo EB?
    A última atualização que achei a respeito ainda é do ano passado..

Comments are closed.