Estônia conclui que o disparado acidental foi causado por erro do piloto espanhol. (Foto: Airbus – Imagem ilustrativa)

A Estônia concluiu sua investigação sobre o disparo acidental de um míssil ar-ar AIM-120 AMRAAM por um caça Eurofighter Typhoon espanhol no espaço aéreo estoniano em 7 de agosto de 2018. Ninguém foi morto ou ferido pelo disparo acidental.

A investigação, realizada pelo Ministério da Defesa da Estônia e pelas agências civis do Ministério dos Assuntos Econômicos e Comunicações e cujos resultados foram publicados em 21 de fevereiro, concluiu que o míssil ar-ar foi disparado acidentalmente por falha do piloto espanhol em cumprir os regulamentos de segurança e não por um erro de sistema.

A investigação interna da Força Aérea Espanhola realizada em 2018 chegou à mesma conclusão, considerando que a negligência do piloto foi a causa do incidente.


FONTE: IHS Jane’s

5 COMENTÁRIOS

  1. Não acho que seja motivo para afastar o piloto, erros acontecem e este não irá repetir o mesmo concerteza.
    Misseis modernos tem diversos mecanismos de segurança e no caso não foi sequer inserido um alvo, era um míssil seco, tirando as perdas económicas e o facto de que vidas em terra poderiam ter sido postas em causa com a queda do míssil, sem dúvida terá de ser penalizado e repreendido, mas não afastado.

  2. De certa forma um erro grave, pois são necessárias algumas etapas para disparar um míssil, não é só apertar o dedo acidentalmente. O "bacana" foi no minimo displicente e cometeu no minimo duas das três falhas; Imperícia, Imprudência ou Negligencia.