Aeronave comercial MC-21-300 da fabricante russa Irkut.

A Rússia recorreu contra a decisão dos EUA de impor sanções contra a Aerocomposit, empresa encarregada de fabricar asas feitas de material compósito leve para o seu avião comercial MC-21-300, que está atualmente passando por testes com protótipos.

O diário russo Kommersant escreveu que as entregas de materiais para as asas compostas do MC-21 dos Estados Unidos e do Japão foram interrompidas devido às sanções dos EUA contra a Aerocomposit. A Irkut está considerando várias opções para resolver o problema, uma delas é abandonar os compostos e trocá-los por metal.

A Aerocomposit fornece a área destacada na imagem.

A United Aircraft Corporation (UAC) disse que não abandonou e não tem planos de abandonar o uso de materiais compostos para a criação de asas do jato de passageiros MC-21, disse uma fonte anônima para agência TASS na quinta-feira.

“Ninguém rejeitou e não temos planos de rejeitar o uso de materiais compostos para a criação da asa do jato MC-21”, disse a fonte. “Depois que a Aerocomposit foi colocada na lista de sanções, iniciamos um processo de apelação sobre essa decisão. Tais decisões significam o uso de retórica de sanções em uma disputa competitiva em setores de alta tecnologia”.

As asas do MC-21-300 foram testadas com o uso de materiais compostos. Um troca de material pode afetar todo desenvolvimento da aeronave.

“Não é nenhum segredo que uma empresa absolutamente civil Aerocomposit que, de forma alguma, está ligada ao complexo militar-industrial, foi colocada na lista de sanções dos EUA anteriormente. Outro player forte emergiu em um nicho de alta margem de aeronaves de médio alcance. um novo produto deve gerar preocupações entre os players globais “, observou o serviço de imprensa da empresa.

27 COMENTÁRIOS

  1. Trocar as asas por metais segundo engenheiros Russos teria que mudar muita coisa na estrutura da aeronave ….Já não é competitivo acho que seria menos ainda com esta troca ; mas desde 2014 segundo algumas fontes Russas estão investindo na criação de materiais compósitos para uso na aviação civil…

  2. Após anos de desenvolvimento, essa notícia cai como uma bomba sobre o MC-21. Esse belo projeto tende à morrer, deve ser superado pelo Comac 919. Não é apenas uma questão de substituição de materiais ou fornecedores, é uma questão de projeto, de estrutura.
    A sanha de Putin pelo poder sobre a Ucrânia custará muito caro aos russos.

  3. Após anos de desenvolvimento, essa notícia cai como uma bomba sobre o MC-21. Esse belo projeto tende à morrer, deve ser superado pelo Comac 919. Não é apenas uma questão de substituição de materiais ou fornecedores, é uma questão de projeto, de estrutura.
    A sanha de Putin sobre o poder na Ucrânia custará caro aos russos.

    • Papo furado. É só substituir por outro fornecedor e bola pra frente

      • Logo se vê que você não leu a reportagem! Não há fornecedores disponíveis, até porque não querem sofrer sanções, e ao que tudo indica os russos não possuem capacidade de produzir tal item, tanto que estão cogitando substituir o material composto por metal.

        Aceite o fato Xings!

  4. Há a realidade e há a propaganda russa. Os russos conseguem produzir todos os componentes localmente, sim. Contudo perdem competitividade, particularmente em motores, peças em material composto e eletrônica.

    Eles não tem preço/tecnologia, por isso não vendem. Como não vendem, não tem dinheiro para investir. É um ciclo vicioso.

  5. Aerocomposit é uma empresa Russa que importa material do Grupo americano Solvay , e segundo fiquei sabendo o MC 21 é a única aeronave do mundo em sua classe a usar estrutura de asas compostas fabricada pela Aerocomposit com tecnologia de infusão de resina fora do autoclave ..
    A Rússia no século 20 já foi líder mundial na produção de fibra de carbono , mas perdeu este legado e hoje fabrica apenas 07% a 1% do total mundial , criaram uma empresa em 2015 por nome "Agabuga- Volokno" que produz a UMT42-12K usado na construção de aeronaves e navios etc , e o UMT42 -24K para outros fins industriais ..
    Ter condição de construir as asas com materiais próprios eles tem , mas eis a pergunta até que ponto isso sera viável , o material Russo e melhor ou igual em qualidade ao do Japão/EUA ? Quantos modelos de aviões civis que os Russos tem em linha de produção que justificaria tal investimento? Vão investir milhões para produzir 200 pares de asas e parar?
    Acho complicado , mas com certeza vão atrás de algum fornecedor Europeu ou Chinês…
    Pelo jeito esta sanções foi devido a grande possibilidade de vender estas aeronaves para o Irã , ou simplesmente os gringos descobriu que os Russos estavam usando o material em equipamentos militares …

    • A questão é que na economia moderna existem empresas especializadas em produzir com eficiência.
      É o que conhecemos como divisão internacional do trabalho.
      Provavelmente, a Rússia vai construir com um custo maior. Só isso.
      do trabalaho

      • Você não está se dando conta da gravidade da situação! O fato é que os russos não têm tecnologia para substituir aquilo que seria comprado da empresa sancionada.

        Aceite Xings!

      • O nome desse conceito é "Vantagem comparativa" e foi criado por David Ricardo no início do século XIX.

      • Na economia moderna empresas especializadas que produzem com eficiência e produzem para o mundo todo.

        O problema aqui é que cada vez mais esta "empresas eficientes" mundiais estão na CHINA…

        Recentemente até o Pentágono já se deu de conta, em auditorias internas de sua logística, que em inúmeros itens de defesa os produtos americanos foram sorrateiramente "substituídos" por produtos chineses maquiados de "buy american" tanto pela ganância dos empresários americanos como por uma política frouxa de fiscalização de produtores "americanos" que paulatinamente se transformaram em importadores de componentes chineses muito mais baratos.
        Muitos fornecedores quando identificados, investigados e auditados para fornecer produtos realmente americanos admitiram que não sabiam mais produzi-los por ter (a longo tempo) desmobilizado/demitido seus engenheiros/especialistas/técnicos e/ou a tecnologia ter evoluído e não mais acompanharem o nível tecnológico atual.

        Em breve a CHINA vai começar a usar esta mesma métrica americana nos seus interesses…
        Vai ser o inferno, até para os americanos…
        Breve, breve…

        • Ocorre que os EUA, país que gasta uma fortuna em ciência e tecnologia, pode muito bem defender-se de tal perigo, caso não se trate apenas de mais um devaneio da Sput(pe)nik. No mais afirmar que eles estariam ficando tecnologicamente defasados em relação à China é mais uma daquelas pérolas do risível…..

  6. Resultado? Empresas americanas e japonesas deixando de faturar. Só isso.

    • Deixando de faturar a venda de quatro ou cinco componentes que é o que os russos vendem.

    • O resultado é que os russos terão de usar metal no lugar de material composto por não terem quem fabrique no país.

      Aceite Xings

  7. Mas não são os russos que produzem material sem análogo no Ocidente?

    • É o que diziam ano passado. Esse ano estão dizendo que é a China, mas os russos não foram comprar os componentes lá.

  8. Tirando a bobageira tecnológica acima o que se filtra é a TOTAL falta de ética americana e de seus fanboys.

    O MC-21-300 é um projeto de aeronave CIVIL que receberia de outra empresa CIVIL (a Aerocomposit) peças para as asas da sua aeronave.

    Justificar esta sanção cara-de-pau comercial com a "invasão" da Ucrânia é o fim da picada da honestidade de raciocínio.

    É apenas mais uma ação de "diplomacia comercial" imoral tão ao feitio USA, um país que, desde sempre, visa manter sua liderança tecnológica e de mercado mundial usando o seu poder de todos meios.
    No caso inventando desculpas esfarrapadas para interferir e sonegar a indústrias de outros países tecnologias americanas que possam ameaçar concorrencialmente os interesses de seus grupos empresariais.

    • Total falta de ética é criticar os EUA por protegerem sua tecnologia meu caro Giba! Não sei se você sabe mas se os EUA lideram o mundo na tecnologia aeroespacial (há quem diga que 80% da tecnologia do setor seja "Made in USA") isso se deve justamente ao pesado investimento em ciência e tecnologia que o país faz. E nesse cenário estão certíssimos em aplicar os embargos e sanções que julgarem necessários…..

      No mais o caso tem um efeito pedagógico interessante ao demonstrar para o déspota Putin que ele pode até tentar brincar de Napoleão no Kremlin, mas tem pés de barro…..

    • Exatamente!! Bem assim mesmo que funciona a democracia tão propagada pelos americanos. Os russos aos poucos estão reconstruindo sua indústria de aeronaves civis com vários projetos e com essa obsessão contra os russos tentam de todas as formas minar o desenvolvimento do país em vários setores. Não se conformam com a interferência russa na Síria e na Ucrânia.

    • As ofensas e argumentação fraca de sempre.

      Engraçado que empresas de países amigos e comercialmente concorrentes não sofrem o mesmo tipo de sanção.

      O Putin não vive ameaçando o ocidente? Não faz sentido algum alimentar financeiramente a empresa estatal Irkut que reverterá o dinheiro para armas.

      Se os chineses são tão competentes (seu comentário anterior), por que os russos não compraram deles?

  9. Eu particularmente gostava muito mais quando o projeto se chamava Yakovlev Yak-242. Esse negócio de "Irkut" e "MC" ou "MS" é feio pra burro, parece nome de protótipo.

    • Vai ser rebatizado em breve para Yakovlev 242 quando iniciar a produção em serie. Ainda está na fase de testes estáticos e de vôo. Esse ano deve receber as certificações.

  10. A Mitsubishi substituiu a asa de composito por metal e manteve a qualidade do avião, o único problema foi o atraso no reprojeto.

Comments are closed.