Caso a venda se concretize, Israel será o primeiro país estrangeiro a encomendar o tiltrotor V-22 Osprey. (Foto: Lance Cpl. Kelsey J. Green / U.S. Marine Corps)
Caso a venda se concretize, Israel será o primeiro país estrangeiro a encomendar o tiltrotor V-22 Osprey. (Foto: Lance Cpl. Kelsey J. Green / U.S. Marine Corps)

Fontes do Pentágono disseram que os EUA negociam um acordo com os israelenses para primeira exportação de tiltrotores V-22 Osprey para Israel. Também faz parte do pacote aeronaves de reabastecimento Boeing KC-135, de acordo com fontes do setor, que indicam que os acordos propostos fazem parte de um pacote mais amplo de acordos que também dizem respeito à planejada venda de sistemas de armas avançadas para a Arábia Saudita e aos Emirados Árabes Unidos.

O acordo de compra entre os EUA e Israel será um componente-chave da próxima turnê do secretário de Defesa dos EUA Chuck Hagel ao Oriente Médio. “É uma conquista significativa, e o momento desta viagem é apropriado”, disse um oficial de defesa. “O Secretário Hagel queria ter a certeza de viajar para Israel para finalizar as partes deste acordo e conversar sobre ele.”

A força aérea israelense avaliou o V-22 através de numerosos voos de testes realizados nos EUA. O número de aparelhos para a compra não foi revelado. (Foto: Israeli air force magazine)
A força aérea israelense avaliou o V-22 através de numerosos voos de testes realizados nos EUA. O número de aparelhos para a compra não foi revelado. (Foto: Israeli Air Force Magazine)

Negócios de grande alcance são projetados “não só para aumentar a capacidade de Israel, mas também para aumentar as capacidades dos nossos parceiros no Golfo Pérsico para que eles também sejam capazes de lidar com a ameaça iraniana”, disse uma fonte dos EUA.

O presidente Barack Obama instruiu os dois últimos secretários de Defesa dos EUA para estreitar o relacionamento com Israel. O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, se reuniu com o ex-secretário de Defesa, Leon Panetta duas vezes durante as semanas finais desse no Pentágono.

A força aérea israelense avaliou o V-22 através de numerosos voos de testes realizados nos EUA. O número de aparelhos, bem como o custo unitário não foi revelado. O aparelho deverá ser para uso durante as operações especiais.

A compra do KC-135 visa a substituição de um Boeing 707 convertido para a função REVO. (Foto: majalla.com)
A compra do KC-135 visa a substituição de um Boeing 707 convertido para a função REVO. (Foto: Majalla)

De acordo com a publicação Flightglobal, também deverá ser concretizada a venda de aviões-tanque KC-135, para substituir o Boeing 707 convertido atualmente e usado pela força aérea israelense para reabastecimento em voo.

Outras paradas na viagem de Hagel serão na Arábia Saudita, onde vai acompanhar um acordo de 2010 para venda de 84 caças F-15SA Strike Eagles por quase US$ 30 bilhões. O primeiro desses caças saiu da linha de montagem no Missouri, no mês passado e está atualmente na fase de testes de voo.

Os Emirados Árabes Unidos também está planejando a compra de 25 caças F-16 Block 60 Desert Falcons por cerca de US$ 5 bilhões.

O Corpo de Fuzileiros Navais tem atualmente 201 Ospreys, e empregou-os como uma parte crítica de sua capacidade de rápida implantação.


Enhanced by Zemanta
Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. Cá sabemos que os Ospreys israelenses serão pagos pelo contribuinte americano. Uma compra que na verdade não é uma compra de fato.

    E por sinal, olha o velho papo da "ameaça iraniana" no texto… Bom mesmo é o Iraque, agora uma ameaça a seu próprio povo que morre as dúzias devido a instabilidade causada pela invasão estadunidense. O Irã está certo e os EUA só não atacam porque teriam as suas bases no Kwait e Bahrein completamente OBLITERADAS se atacassem os persas.

    • Pagos ou não pelo contribuinte americano (o que acho pouco provável), o fato é que estes Osprey certamente serão uma ferramenta preciosa para as forças especiais israelenses, mormente o Sayeret Matkal, em suas operações. E sim amigo Relojoeiro, tendo em vista que o projeto geopolítico do Irã em se tornar o país hegemônico no O.M, o país persa é uma ameaça.

    • Mas pera aí. Então, por essa lógica, o contribuinte soviético, no tempo da URSS, bancava metade do mundo?????

  2. 'Os ospreys serao pagos pelo contribuinte americano",a sim ,mas por causa da maneira vira lata de perceber as coisas,os latrinos vermelhos nao percebem que,os contribuintes americanos nao podem abrir mao do petroleo que vem da regiao e que bem ou mal,israel e´uma base garantida na regiao (entao isto e´investimento),a outra observaçao eque ,isto tambem ajuda os fabricantes de armas americanos a vender armas de ponta para os inimigos de israel,nao perca o raciocinio,entao oque perde o contribuinte americano ao ponto de gerar manifestaçoes de indignaçao de latrinosamericanos,nadinha de nada,e quanto a obliteraçoes de bases,conte outra piada,nem os vermelhos acreditam nisto,e lembrando;a instabilidade no iraque e´´causada por aqueles que deixaram o poder,aqueles mesmos que matavam civis curdos e xiitas ,agora querem avacalhar para voltar a mandar,falar da atual situaçao de intabilidade e´facil pra quem nao viveu no iraque nas decadas de 80 e 90 aonde xiitas e curdos erao tratados como lixo pelo regime de sadann, pergunte a xiitas e curdos se preferem a situaçao atual ou a situaçao da era de Sadan, trollagem ideologica ,perdeu !!!!!!!

    • Olha, tem muito nexo o que você escreveu, mas o que eu não acredito, sinceramente, é que o contribuinte seja o maior beneficiário disto, seja onde for no planeta, incluindo o contribuinte americano.

  3. Excelente notícia, para o fabricante e para a IAF-IDF. As características únicas desta aeronave vão certamente ajudar as forças especiais a actuarem no quintal do anão.

Comments are closed.