Caças F-5 da Força Aérea da Taiwan durante exercício que viu as aeronaves decolando de rodovias. (Foto: Reuters)

O Departamento de Estado dos EUA aprovou a venda a Taiwan de peças sobressalentes para caças F-16, F-5 e outras aeronaves militares no valor de US$ 330 milhões, levando a China a alertar na terça-feira (25) que a medida põe em risco a cooperação sino-americana.

As vendas militares dos EUA para Taiwan, que a China reivindica como seu território, irritam as relações entre as duas maiores economias do mundo. Taiwan ainda precisaria finalizar os detalhes da venda com empresas dos EUA.

“Esta proposta de venda contribuirá para a política externa e segurança nacional dos Estados Unidos, ajudando a melhorar a segurança e a capacidade defensiva do beneficiário, que tem sido e continua a ser uma força importante para a estabilidade política, para o equilíbrio militar e o progresso econômico na região”, disse a Agência de Cooperação de Segurança e Defesa (DSCA) do Pentágono em um comunicado divulgado na segunda-feira.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, disse que as vendas de armas dos EUA para Taiwan foram uma séria violação do direito internacional e prejudicaram a soberania chinesa e os interesses de segurança.

A China se opõe fortemente à planejada venda de armas e já apresentou “severas representações” com os Estados Unidos, disse ele em uma entrevista coletiva diária em Pequim.

A China pede que os Estados Unidos retirem a venda planejada e interrompam os contatos militares com Taiwan, para evitar danos sérios à cooperação sino-americana nas principais áreas e à paz e estabilidade no estreito de Taiwan, acrescentou Geng.

O Ministério da Defesa da China, em um comunicado separado, também condenou a venda planejada, acrescentando que os militares chineses tinham uma determinação “firme e inabalável” para proteger a soberania e a integridade territorial do país.

A China está profundamente desconfiada das intenções dos EUA em relação a Taiwan, que é equipada principalmente com armamentos fabricados nos EUA e quer que Washington venda equipamentos mais avançados, incluindo novos caças a jato.

Caças F-16 e IDF da Força Aérea de Taiwan.

Em um comunicado divulgado na terça-feira, o escritório presidencial de Taiwan agradeceu o apoio dos Estados Unidos e disse que a ilha continuará “mantendo estreita comunicação e cooperação” com Washington em questões como segurança.

Especialistas militares disseram que o equilíbrio de poder entre Taiwan e China mudou em favor da China, o que provavelmente poderia sobrecarregar a ilha, a menos que as forças dos EUA chegassem rapidamente à sua ajuda.

A solicitação de US$ 330 milhões cobre peças de reposição para aeronaves “F-16, C-130, F-5 e IDF, além de todos os outros sistemas e subsistemas de aeronaves e outros elementos relacionados de logística e apoio a programas”, disse o Pentágono, acrescentando que notificou o Congresso sobre a possível venda. A Lockheed Martin fabrica o F-16.

O Pentágono disse que a proposta de venda é necessária para manter a “frota aérea e defensiva” de Taiwan, e não alteraria o equilíbrio militar na região.

A China nunca renunciou ao uso da força para trazer o que considera uma província rebelde sob seu controle.

O presidente chinês, Xi Jinping, disse ao secretário de Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, durante uma visita a Pequim em junho que Pequim estava comprometida com a paz, mas não poderia desistir de um território que os ancestrais do país deixaram para trás.


Fonte: Reuters

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. Vai catar coquinho Jinping, os taiwaneses não abrem mão de sua próspera democracia para virarem escravos de uma ditadura comunista.

  2. Nem me pareceu nada demais as aquisições. Protesto típico para manter a tradição.

  3. Fico imaginando quanto interessante deve ser o plano de invasão de Taiwan, não creio que a intenção dos chinas é de destruir, creio que iriam pra algo alternativo, armas de PEM, sei lá.

  4. Trump tinha que vender o F-35B para ilha. O Chinas reclamam, mas sabem que os F-16 estão em fim de vida mesmo modernizados.. Pior os F-5 que não tem como enfrentar os caças chinas e 2 tipos precisam de pistas limpas para decolar e retornar. Obama já tinha feito isso, mas não tinha o F-35B

    • cara! to contando que o Obama fez isso para sacanear a China que já ameaçava os vizinhos e quer guerra. o Trump só fez o que o o US Congress já aprovou para evitar que Pequim controle a ilha para controlar as rotas navais. só se ele vender o F-35B para taiwan ele fará melhor que o Obama. por enquanto ele é igual nisso.

Comments are closed.