Os EUA têm aumentado a pressão sobre a Índia em relação ao acordo S-400 assinado em outubro do ano passado. O F-35 poderá estar em uma proposta para Força Aérea e Marinha Indiana.

Os EUA poderiam oferecer o caça F-35 de quinta geração tanto para a Força Aérea quanto para a Marinha da Índia, se o acordo de US$ 5,43 bilhões com a Rússia para o sistema de defesa aérea S-400 for deixado de lado.

Os EUA têm aumentado a pressão sobre a Índia em relação ao acordo S-400 assinado em outubro do ano passado, com altos funcionários de Washington dizendo que isso teria um impacto direto em qualquer cooperação de alta tecnologia no futuro.

A Índia está acompanhando de perto o que acontece com a Turquia, aliada da OTAN, que já se inscreveu para adquirir o sistema S-400 e foi ameaçada pelos EUA com sanções e com o cancelamento de seu contrato para os F-35.

Líderes do setor, bem como funcionários dos EUA, estão visitando a Índia, mesmo com o fechamento do prazo de ação contra a Turquia. O Ministério da Defesa da Índia, enquanto isso, deverá avançar em breve na aquisição de 110 caças para Força Aérea no âmbito de um programa de parceria estratégica. A Marinha também está preparando os requisitos técnicos para a próxima compra de 57 aeronaves de combate.

Embora nenhum pedido oficial tenha sido recebido da Índia e o F-35 não tenha sido oficialmente oferecido pelos EUA, a aeronave pode ser lançada como a única plataforma aérea que será equipada e atualizada para vencer os sistemas de defesa aérea S-400. que também foram adquiridos pela China.

Como a Turquia, a Índia manteve-se firme na compra do S-400, mas se sabe que apenas pagamentos parciais foram feitos por Nova Délhi, dadas as sanções bancárias que já estão em vigor para lidar com entidades de defesa russas. Acordos mais severos do CAATSA (Ato de Sanções dos EUA contra Adversários) também foram sugeridos contra nações que compram o S-400 da Rússia.

Embora houvesse uma impressão de que os EUA poderiam dar isenções do CAATSA para Índia relativo ao S-400, recentes declarações de Washington sugerem que esse não seria o caso.

A posição dos EUA tem a intenção de não permitir que suas modernas aeronaves de combate sejam operadas em um ambiente onde a S-400 também esteja operacional, já que seria capaz de mapear essas aeronaves, permitindo atualizações de software e modificações para melhorar o desempenho.

Em um esforço para afastar a Índia do S-400, os EUA já ofereceram seu NASAMS II (Sistema Avançado Nacional de Mísseis Superfície-Ar) para proteger a região da capital nacional contra mísseis balísticos. Além disso, os EUA também estão em conversações com seus avançados sistemas de defesa Terminal High Altitude Area Defense (THAAD) e Patriot Advance Capability (PAC-3) com a Índia, embora esses investimentos sejam significativamente mais altos do que o sistema S-400.


Fonte: Economic Times

Anúncios

14 COMENTÁRIOS

  1. Tô começando a achar que esse sistema S-400 deve ser muiiito eficiente mesmo… Pelo tanto de medo e temor que causa aos EUA a ponto de entregar o F35 para os Indianos deixarem cair. Será que não passa pela cabeça deles que a Força Aérea da India, pode acabar com reputação da aeronave???

    • Todos os caças tem emissão de radiofrequência. Os caças furtivos TB tem, mas ela é diminuída no projeto dos componentes, pelo formato e pela cobertura.

      Caças furtivos não operam 100 porcento do tempo com o material absorvente por questões de economia.

      Se o país que opera o caça TB tem um equipamento de radar que 100 porcento do tempo fique coletando informações e repassando ao inimigo, irá ter mapeado as emissões do caça furtivo.

      Quando estiver em ação, mesmo com a cobertura, a emissão estará lá. O inimigo irá calibrar o seu equipamento para identifica-la e conseguir uma vantagem que não teria.

  2. E o s400 chinês? Não "mapearia" as aeronaves também? Ou iriam impor que os indianos não usassem na fronteira?

    • Se isso fosse verdade, Israel nunca poderia operar o caça. Os próprios russos operam o sistema próximo a fronteira deles.

      • Acho que vc não entendeu a questão.

        Não é o que o cliente quer comprar, mas os EUA quererem vender.

        EUA não quer vender a Turquia e a Índia por causa do S400.

        Acima foi dito que o S400 chinês seria um problema para vender a Índia.

        Não é, pois os F35 israelenses voam próximos do S400 russo na Síria.

  3. To achando que vai dar S-400 na India e na Turquia. E o Trump vai ficar chupando o dedo. Esses dois países não são republiquetas do leste europeu.

    • Eles é que saem perdendo.

      A Turquia vira escudo dos russos e vai morrer antes deles.

      A Índia vai ser colonizada pelos chineses.

      • Os EUA jamais irão enfrentar a Rússia, não haveria ganhadores, o mundo perderia, e a Índia com tanta gente não é tão vulnerável assim.

        • Já enfrentaram várias vezes. Para isso, arranjam um pateta.

          O Erdogan, no caso, é o pateta do Putin.

          Para acabar com essa festa, basta uns carregamentos de armas para os curdos.

  4. Bom, liberar o F-35 para um país cuja as armas são mais da metade de origem russa só por causa de um sistema de defesa antiaérea não parece fazer lógica pra mim. O risco não seria o F-35 ter sua frequência de radar exposto, mas sim peças inteiras e o próprio avião. Ou vai dizer que a índia não vai entregar para os russos mediante um subor-(quer dizer)-benefício.

    • As vendas de armas americanas exigem um protocolo de armazenamento, acesso… até dos manuais.

      Isso é aferido em inspeções.

      Tudo isso está no termo de usuário final.

    • O inspetor americano literalmente conta as peças uma a uma pelo código de serie dentro do depósito do cliente.

      O descarte de pecas usadas também é controlado.

      Qualquer força aérea séria toma esse tipo de precauções. Não é como certa força sul-americana com gente estranha dentro da base tirando fotos de teste secreto.

  5. A Índia jamais vai abrir mão do S-400, mais de 70% dos seus equipamentos são de origem Russa, a dois inimigos indianos um no oeste e outro no norte, eles não vão querer mais um no norte, ou os três se aliando contra ela… Para a Índia S-400 e melhor que F-35…
    Agora para a Turquia já é outro assunto…

Comments are closed.