Aeronaves anti-submarina Tu-142 da Marinha Russa, em foto de arquivo.

Dois jatos Eurofighter Typhoon da Força Aérea Italiana foram acionados para interceptar aeronaves russas de reconhecimento de longo alcance e anti-submarino Tu-142 rumo à costa da Islândia, de acordo com o Comando Aéreo da OTAN.

Os dois caças Eurofighter Typhoon da Força Aérea Italiana foram alertados pelo aeroporto de Keflavik, na Islândia, devido aos dois aviões anti-submarinos russos Tu-142 vistos na fronteira leste do país.

“Em 18 de março, dois Eurofighters da Aeronautica Militare Italiana atualmente deslocados na Islândia no apoio às operações de Policiamento Aéreo da OTAN foram lançados para acompanhar dois aviões russos Tu-142 voando no espaço aéreo internacional nas proximidades das fronteiras da Islândia”, disse em um comunicado.

O Tupolev Tu-142 é uma aeronave russa de reconhecimento marítimo e de guerra anti-submarino, derivada do bombardeiro estratégico Tu-95. Uma variante de comunicações especializada designada Tu-142MR foi encarregada de tarefas de comunicação de longo alcance com submarinos de mísseis balísticos soviéticos. O Tu-142 foi projetado pelo bureau de projetos Tupolev e fabricado pelas Usinas de Fabricação de Aeronaves de Kuibyshev e Taganrog de 1968 a 1994.

Os militares russos demonstraram um padrão repetido de voos próximos ou dentro do espaço aéreo islandês, muitas vezes sem aviso prévio ou sem comunicar com as autoridades islandesas antes do tempo. Em uma ocasião, eles também voaram perto de um avião de passageiros islandês.

O ministro das Relações Exteriores, Gudlaugur Thor Thordarson, declarou que a resposta da aeronave italiana estava totalmente de acordo com os regulamentos do serviço da OTAN.

Os caças Eurofighter italianos mantém a missão de policiamento da OTAN na Islândia.

Gudlaugur diz que o incidente “é mais um exemplo da importância da vigilância do espaço aéreo e do policiamento aéreo na Islândia”.

A interceptação italiana foi a primeira desde que chegaram à Islândia no início de março, mostrando a importância da missão para o Aliado no Alto Norte.

Dentro da missão de patrulhamento aéreo da OTAN sobre a Islândia, os pilotos italianos fornecem capacidades de intercepção e treinam em conjunto com a Guarda Costeira Islandesa e o Centro de Controlo e Informação da OTAN. Os jatos italianos complementarão a vigilância aérea que a Islândia executa com seus quatro radares remotos e sites de comunicação.

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS