O projeto “Obtenção de Capacidade de Ataque” envolve a aquisição de entre 12 e 24 helicópteros de ataque / assalto a partir de 2021. Imagens ilustrativas. Fotos Cees-Jan van der Ende

O Exército Brasileiro está considerando a aquisição de helicópteros de ataque de médio porte como possíveis candidatos para atender aos requisitos de seu Programa Estratégico de Aviação do Exército (Prg EE Av Ex).

O teste de várias plataformas candidatas foi conduzido pelo Grupo de Testes e Avaliações (GEA) do Comando de Aviação do Exército (CAvEx), com os resultados sendo analisados agora. O programa Prd EE Av Ex, que foi implementado em 2017 por R$4,9 bilhões (U$1,3 bilhão), está programado para ser concluído em 2039.

O projeto “Obtenção de Capacidade de Ataque” envolve a aquisição de entre 12 e 24 helicópteros de ataque / assalto a partir de 2021, em vez de 2031 como planejado inicialmente.


 

Anúncios

30 COMENTÁRIOS

  1. Um outro blog noticiou que os EUA ofereceram, entre outros materiais, helis AH-1 e Black Hawk usados para o Brasil via FMS.

        • Elas tem boas especificações, não são bicho de sete cabeças, acho que vale no mínimo dar uma boa olhada, tem de se saber de quando é as unidades oferecidas, se for das mais recentes e estiverem boas.. quem sabe, só a MB conferindo com muita atenção para ter uma idéia se vale apena ou se é uma furada

  2. Já há tratativas/ofertas para os Cobra usados pelos Marines. Não sei se são bons de autonomia… e a compra poderia mandar uns para o PHM Atlântico.

  3. A África do Sul produziu sua versão de ataque usando da sua experiência em produzir o Super Puma.
    A tal "transpherênphia de tequinologia" não era para isso, ou era só pra encher bolso de piliticos?

    • Num hipotético combate eu apostaria que as forças seriam incapazes de fazer manutenção, imagina então produzir algo ahahah.
      ToT só serve pra politico e militar do alto escalão se aposentar bem!

  4. Enquanto leigo, me deparo com alguns questionamentos cruciais:
    1- dois anos só para fazer avaliações?? Como é possivel??
    2- não obstante o tratamento de enfraquecimento e desmonte dispensado pelos governantes dos últimos 20 anos às forças armadas, e fora algumas poucas e bem defasadas unidades de origem russa, bem fora de contexto para o Brasil, como é possível nosso exército não possuir ainda uma "cavalaria aérea" numerosa e forte???
    3- entre 12 e 24 unidades para um exército e um país do tamanho do Brasil?? Isso não pode estar certo!
    4- tendo os EUA já oferecido mais de uma vez, sendo a última em dezembro passado, via FMS com ótimo ou nenhum custo, sendo o Cobra uma aeronave de ótima reputação e com muitas missões de sucesso, ainda precisa pensar muito????

    • Vale lembrar que os Guepard chegaram "ontem" e antes dele não havia NADA para proteger a cavalaria, um heli dedicado faria a festa com nossos tanks e isso no séc. XXI.
      Por isso fui a favor deles no EB, é ultrapassado, é, mas antes algo do que nada.
      Entendam que o EB é lento.

    • 1 – Sim é possível. Uma comissão exclusiva ficou dedicada a isso nesse meio tempo e visitou vários países, voaram várias aeronaves, testaram mesmo. Sei que parece um crime em tempos de redes sociais. Mas o EB não quis dar publicidade a isso porque hoje em dia todo mundo é contra TUDO.

      2 – Os MI-35 engolidos pelo governo brasileiro como uma condição a retirada de um "embargo" a carne brasileira, foram para a FAB(sim, teve gente de verde oliva muito PUTO em brasília) e pelo o que lí e ouvi, alguém que não me disseram o nome, mas que segundo consta, era da reserva e vestia azul ajudou a intermediar o negócio fazendo com que os nossos MI-35 fossem os mais caros do mundo. O EB não tem helicópteros de ataque porque tinha outras prioridades e parece que algumas pessoas de azul, mais notadamente alguns mais antigos, fazem o que podem para as outras forças não tenham aeronaves(sim, rivalidades bestas).

      3 – 12 e 24 unidades é o que se precisa E O QUE SE PODE PAGAR. Os tempos de gastança sem planejar, acabaram. se querem mais, perguntem antes se o exercito quer mais.

      4 – Foram analisados o AH-1W, o Z, O mangusta italiano, o MI-35, (o KA-52 não está disponível) e os oficiais tiveram uma predileção indisfarçavel pelo TAI/Leonardo A129 ATAK Turco

      Devido a proximidade do novo governo com os EUA pode ser que saia os AH-1W, mas eu tenho receio dessas aeronaves, usadas até o osso, curtidas em sal marinho e desatualizadas. Realmente prefiro helicópteros novos. E NÃO, eles não viriam de graça só por que seriam por FMS

Comments are closed.