O Exército dos EUA acredita que no final da década de 2040 o helicóptero Apache terá que ser substituído em algumas missões.

Os Estados Unidos estão querendo comprar as futuras aeronaves de reconhecimento e ataque (FARA, Future Attack Reconnaissance Aircraft) para substituir 350 ou metade dos seus helicópteros de ataque Boeing AH-64 Apache.

Os novos helicópteros deviam substituir apenas a frota de 300 helicópteros Bell OH-58D Kiowa Warrior já aposentados anteriormente.

O Exército dos EUA possuem cerca de 750 helicópteros Apache em operação.

“O programa FARA só substituirá Apaches em nossos esquadrões de reconhecimento de ataque pesado e isto representa aproximadamente a metade da frota de Apache”, um porta-voz do Chefe do Estado-Maior do Exército, Gen. Mark Milley, disse ao site Aviation Week.

Um consórcio da Boeing e da Lockheed está desenvolvendo o helicóptero SB-1 Defiant e a Sikorsky, empresa da Lockheed desenvolve ainda o S-97 Raider menor que poderia atender aos requisitos da FARA. A Bell está trabalhando no tiltrotor V-280 que também pode atender às necessidades do Exército.

O S-97 Raider da Lockheed Martin.

“Estamos à procura de uma aeronave que, sem entrar em requisitos ou classificações específicas, essencialmente vá além, consiga enxergar ainda mais objetivos específicos e possa se engajar em alcances maiores do que as atuais e tenha uma capacidade maior – pode voar ainda mais com um maior carga útil de sistemas de armas”, disse Milley ao Congresso em 26 de março de 2019.

A Bell acredita que o V-280 Valor pode atender a requisição do programa FARA.

A relevância e sustentabilidade da plataforma AH-64 em condições após 2048 é questionável, de acordo com o site The War Zone.

Separadamente, a Boeing está desenvolvendo um derivado do helicóptero AH-64E, com um propulsor na traseira, que terá maior velocidade máxima e melhor economia de combustível em relação aos Apaches existentes. Até agora, a fabricante com sede em Chicago não disse oficialmente quem poderia comprar este Apache avançado, embora o Exército pareça a opção mais óbvia, ou se planeja inserir esse projeto no programa FARA.

O Exército espera integrar atualizações significativas em suas versões mais recentes do AH-64E Guardian até 2026. Elas incluem atualizações em seus sistemas de controle de armas e de pontaria, melhor compartilhamento de dados e recursos de fusão, melhores sensores, uma capacidade mais robusta de trabalhar diretamente com aeronaves não tripuladas e mais, acrescentou a reportagem.

7 COMENTÁRIOS

  1. E o Brasil está planejando o que para sua força de helicópteros???? Parece piada essa pergunta, mas a resposta é triste..

    • oi! o EB esta no aguardo da doação dos S. Cobra com os Sherpas pelo pentágono. brasil esta quebrado para comprar novos

  2. O Apache AH-64E Guardian é um dos Helicópteros de ataque mais avançados que existem, uma versão modernizada do mesmo seria pra por medo em qualquer um que estiver na mira.

  3. Alô EB, 2048 é o tempo limite dos Apache, é exatamente o tempo que o EB vai consumir para estudar a aquisição de algo em sua força de ataque lol.

  4. só um país ricos para ter esse luxo. o projeto do comanche foi abandonado e agora tem esse ai que não são stealths. o V-280 é grande demais e o S-97 são teria que ser menor. Boeing vai tentar copiar a ideia da L. Martin com apache vai ter problemas. vai ter que ter contra-rotores também

  5. Li que esses helicopeteros estao sendo doados agora (2019) por Israel para o Brasil, para Combate em favelas, etc…

Comments are closed.