aw609_2012updO Exército italiano e Marinha acreditam que o AW609 tilt-rotor tem um papel importante nas forças armadas.

Com o tempo que a Boeing e os fuzileiros navais dos EUA levaram para desenvolver e colocar em serviço o V-22 Osprey ‘tilt-rotor’, a italiana AgustaWestland ainda está em processo de desenvolvimento do seu próprio, e menor tilt-rotor, provocando dúvidas sobre o destino do programa.

Inicialmente desenvolvido em parceria com a Bell, o AW609 acumulou voos de teste e se transformou em um programa 100% italiano após a empresa norte-americana optar por se retirar.

Mas agora, há um novo impulso. A Marinha e o Exército italiano manifestaram real interesse no programa, justamente num momento em que a AgustaWestland anuncia uma série de atualizações planejadas para o AW609. Em 3 de março, a empresa italiana disse que estava planejando aumentar o peso máximo de decolagem de £ 18.000 graças a atualizações do motor, engrenagem modificada e melhores técnicas de controle de voo, permitindo que o AW609 voar 500 milhas náuticas em duas horas e transportando nove passageiros.

A empresa também disse que estava trabalhando na colocação de tanques de combustível extras sob as asas para aumentar o alcance máximo de 1.100 milhas náuticas, ou permitir um voo de 800 milhas náuticas, com seis passageiros em pouco mais de três horas.

AW609 bank

A porta da cabine também está sendo ampliada para que o AW609 seja qualificado para cumprir missões de busca e salvamento. AgustaWestland disse que a certificação civil pela FAA deverá ocorrer em 2017.

A empresa vê o AW609 como ideal para uso em plataformas de petróleo. Enquanto isso o Exército e a Marinha italiana estão de olho no avião. Em novembro passado, a Marinha emitiu um documento de estratégia que identificou o tilt-rotor como uma aquisição futura.

“Com um tilt-rotor existe um aumento na projeção de tropas e material, bem como um aumento da sustentabilidade de embarcações no mar”, disse um oficial da marinha italiana.

Graças ao seu alcance, velocidade e altitude, um tilt-rotor pode fornecer outros recursos que um helicóptero a bordo não pode”, acrescentou o oficial.

“Uma possibilidade é como uma plataforma de alerta antecipado, permitindo maior alcance do que um helicóptero, graças à sua maior altitude, ou como uma plataforma de reabastecimento para caças STOVL de ataque”.

A AgustaWestland e a Finmeccanica estão agora estudando uma forma de resolver o problema de exaustão de ar quente prejudiciais no convés de voo.

Em um documento estratégico emitido pelo Exército, os planejadores chamam a atenção para o desenvolvimento de uma família de tilt-rotores de 8 a 14 toneladas, incluindo uma versão de 8 toneladas para seis passageiros para transporte, evacuações e um posto de comando aéreo. A versão de 14 ton poderia ser desenvolvida para 15 passageiros ou uma carga de 2,5 toneladas.

Dado o interesse comum pelo Exército e pela Marinha, um oficial do Exército disse que o desenvolvimento compartilhado de requisitos pode ser considerado.

FONTE: Defense News – Tradução e edição: CAVOK

IMAGENS: helis.com; militaryparitet.com


Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. Eu tb acredito muito nesse projeto….acho que nossas Forças Armadas deveriam olhar com carinho, já o setor offshore…com certeza já o esta olhando.

  2. Interessante, aproveita a estrutura de um jatinho, mais leve e horrendo, seria uma boa, mas terá poucos clientes!

  3. É um projeto, ou muito me engano, fracassado há anos! A Bell se retirou do processo e não repassou a tecnologia de vôo adquirida com o Osprey, obviamente. A Agusta está, há 12 anos, tentando se virar com esse protótipo. Sem contar o tempo prévio de desenvolvimento. Só o protótipo inicial já tem 12 anos!

    • fracassado nada….o foco da agusta não era o mercado militar com esse meio só isso…a Bell queria foco militar.
      Hoje um dois maiores problemas da operação embarcada desse meio, é a projeção de calor no convés.
      A Agusta tá tão bem no quesito, que aw609 entrou em linha esse ano, e a empresa já esta com a solução em desenvolvimento..
      Já com fotos do projeto no hotsite do aw609 http://www.agustawestland.com/about-us/driving-in

  4. Nem avião nem helicóptero. Que parece ser muito útil, não dá para negar. Acredito que só o tempo responderá se essa moda vai pegar.

Comments are closed.