F-14 da IRIAF durante o pouso. Estima-se que o Irã opere entre doze e quatorze F-14. Imagem ilustrativa.

Um F-14A da IRIAF (Força Aérea Iraniana) caiu durante o pouso. A aeronave declarou emergência ao controle de tráfego aéreo durante um voo de treinamento.

Posteriormente o caça foi autorizado a realizar um pouso de emergência em Esfahãn, mas a aeronave não conseguiu manter-se na pista e derrapou. Tanto o piloto como o RIO (Radar Intercept Officer) ejetaram segundo relatos.

Diz-se que a IRIAF possui entre doze a quatorze F-14A e F-14AM operacionais. A força enfrenta grandes dificuldades para manter seus “Persian cat’s” no ar (a versão AM é modernizada localmente e equipada com novos displays multifuncionais, aviônicos modernizados, sistema de contra medidas, sistema de navegação inercial entre outras melhorias.

No entanto, o icônico F-14 Tomcat continua sendo a espinha dorsal da frota iraniana. A Força Aérea Iraniana, devido à contínua falta de componentes aviônicos específicos, dividiu os F-14s em duas categorias: ‘parvazi’ , significando “navegável”, mas sem sistemas operacionais e radares AN / AWG-9; e ‘amaliyãti’, que significa ‘totalmente capaz de missão’, a maioria dos quais tem aviônicos operacionais e são considerados capazes de realizar todos os tipos de missões de defesa aérea. As antigas aeronaves são usadas para treinamento de novos pilotos, assim como para treinamento de proficiência, e têm um papel secundário como caças-bombardeiros equipados com bombas de uso geral e mísseis ar-ar AIM-9 Sidewinder no caso de uma guerra.

Até o momento não há fotos do ocorrido bem como não foram divulgadas informações sobre as condições de saúde da tripulação, os danos na aeronave nem as causas do fato.


FONTE: the aviation geek club, edição CAVOK.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. É um feito e tanto o Irã conseguir manter esses aviões operacionais(?) por tantos anos e ainda passando por uma guerra de quase uma década, sem nenhum apoio do fabricante (aparentemente com uma ajudinha russa por baixo dos panos) e ainda assim conseguir uma taxa de atrito de fazer inveja a Força Aérea Indiana. ahaha
    No mais, pilotos sãos e salvos, vida que segue..

Comments are closed.