Gripen_F-X2_FAB

De acordo com o portal de notícias aeroespaciais Flightglobal, durante a Conferência Internacional de Aviação de Caça, que começou hoje em Londres, um oficial de alta patente da FAB teria confirmado que o Brasil vai adquirir 108 unidades do caça Gripen NG.

O objetivo da FAB é utilizar as novas aeronaves em substituição aos caças Dassault Mirage 2000C (que já foram aposentados) e, gradativamente, também substituir os caças Northrop F-5EM e Alenia/Embraer A-1M que ainda estão em serviço ativo com a força.

Ainda segundo o militar (cujo nome não foi revelado no artigo), as 108 aeronaves serão entregues em três lotes, sem especificar, entretanto, quantas serão do modelo monoplace – Gripen E, e biblace – Gripen F, respectivamente.

O 1º lote corresponde às quantidades do contrato assinado em outubro desse ano, pelo qual a FAB adquiriu 36 aeronaves, sendo 28 do modelo Gripen E e 8 do modelo Gripen F, 15 das quais serão totalmente montadas no Brasil, enquanto as outras 21 serão construídas por engenheiros brasileiros e suecos (sic). O artigo está, entretanto, em discrepância com as informações oficialmente divulgadas pela FAB no tange ao valor do contrato, haja vista o valor divulgado pelo Flightglobal como sendo relativo à aquisição do 1º lote das aeronaves é de US$ 5,8 bilhões, em vez dos US$ 5,4 bilhões oficialmente anunciados pela autoridades brasileiras no último mês de outubro.

Para as quantidades dos modelos das demais aeronaves, a FAB estaria em conversações com a US Navy, afim de utilizar o expertise dos americanos quanto ao mix ideal, levando-se em consideração as variantes de um e dois lugares. Consultas para esta mesma finalidade também estariam sendo feitas junto à SAAF – Força Aérea da África do Sul, que atualmente opera 26 aeronaves, sendo 17 Gripen C (monoplace) e 9 Gripen D (biplace).

Ainda segundo o artigo, a FAB, nas palavras do referido oficial, estaria satisfeita e confortável com a Transferência de Tecnologia provida pelo fabricante da aeronave. Também foi destacado o favorecimento à indústria brasileira nesse projeto, que teria a participação nacional em 80% dos contratos de aeroestruturas da aeronave.

Outro ponto tratado no artigo é integração do míssil ar-ar A-Darter, desenvolvido conjuntamente pelo Brasil (Mectron) e África do Sul (Denel Dynamics) à suíte de armamentos dos caças adquiridos pela FAB, assim como também o míssil nacional anti-radiação MAR-1, desenvolvido pela Mectron.

 

FONTE: Flightglobal  – EDIÇÃO: Cavok

NOTA DO EDITOR: De acordo com a Agência Estado, o oficial de alta patente da FAB, presente na Conferência Internacional de Aviação de Caça, que começou hoje em Londres, e que teria afirmado que o Brasil vai adquirir 108 unidades do caça Gripen NG, foi o presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC) da Força Aérea Brasileira, brigadeiro José Augusto Crepaldi Affonso. Adicionalmente, obrigado aos leitores e amigos CelsoL1011 e R_F, que também esclareceram essa questão!

Anúncios

61 COMENTÁRIOS

  1. Vou te responder tudo apenas com uma outra pergunta: Se o negócio é assim tão natural, correto e vantajoso, pq a FAB/EMBRAER/SAAB ainda não publicaram o que contempla o contrato afinal, para que os brasileiros, principalmente para os que se acham mais patriotas que os outros, possam entender e aceitar? a nebulosidade deste contrato é fato! e é disso que nós, críticos, estamos falando! será que deu para entender? mais uma vez: foi o Gripen que “venceu” e é sobre ele que pairam dúvidas e desconfianças…sem falar da lógica do risco maior e dos custos “ajustáveis”. E, por favor, segredo militar? só se for para os brasileiros, os tolos que aceitam estas bobagens… pois USA, França, Russia, Inglaterra, China,Argentina, Venezuela, Chile
    … para citar apenas alguns, sabem bem o que contempla as negociações… a sim, a FAB, também acha que o que ela opera deve ser segredo militar… escondem até AIM-9B…

  2. Vou te responder tudo apenas com uma outra pergunta: Se o negócio é assim tão natural, correto e vantajoso, pq a FAB/EMBRAER/SAAB ainda não publicaram o que contempla o contrato fanal, para que os brasileiros, principalmente para os que se acham mais patriotas que os outros, possam entender e aceitar? a nebulosidade deste contrato é fato! e é disso que nós, críticos, estamos falando! será que deu para entender? mais uma vez: foi o Gripen que "venceu" e é sobre ele que pairam dúvidas e desconfianças…sem falar da lógica do risco maior e dos custos "ajustáveis". E, por favor, segredo militar? só se for para os brasileiros, os tolos que aceitam estas bobagem… pois USA, França, Russia, Inglaterra, China,Argentina, Venezuela, Chile
    … para citar apenas alguns, sabem bem o que contempla as negociações… a sim, a FAB, também acha que o que ela opera deve ser segredo militar… escondem até AIM-9B…

  3. Vou te responder tudo apenas com uma outra pergunta: Se o negócio é assim tão natural, correto e vantajoso, pq a FAB/EMBRAER/SAAB ainda não publicaram o que contempla o contrato fanal, para que os brasileiros, principalmente para os que se acham mais patriotas que os outros, possam entender e aceitar? a nebulosidade deste contrato é fato! e é disso que nós, críticos, estamos falando! será que deu para entender? mais uma vez: foi o Gripen que "venceu" e é sobre ele que pairam dúvidas e desconfianças…sem falar da lógica do risco maior e dos custos "ajustáveis". E, por favor, segredo militar? só se for para os brasileiros, os tolos que aceitam estas bobagens… pois USA, França, Russia, Inglaterra, China,Argentina, Venezuela, Chile
    … para citar apenas alguns, sabem bem o que contempla as negociações… a sim, a FAB, também acha que o que ela opera deve ser segredo militar… escondem até AIM-9B…

  4. Blaya,

    A FAB, de fato, comprou um projeto, mas a responsabilidade fabril é da contratada, no caso a Saab (juntamente com suas subcontratadas), e isso inclui o estabelecimento da linha de fabricação/montagem das aeronaves, e todos os custos inerentes ao processo.

    É correto afirmar, entretanto, que nos valores cobrados pela Saab à FAB, todas essas variáveis já foram consideradas.

    Sds!

  5. Blaya,

    A FAB, de fato, comprou um projeto, mas a responsabilidade fabril é da contratada, no caso a Saab (juntamente com suas subcontratadas), e isso inclui o estabelecimento da linha de fabricação/montagem das aeronaves, e todos os custos inerentes ao processo.

    É correto afirmar, entretanto, que nos valores cobrados pela Saab, todas essas variáveis já foram consideradas.

    Sds!

  6. É Chicão, aqui no Brasil se anuncia previamente um negócio por US$ 4,5 bilhões, afirmando-se que o preço é fixo… um contrato é assinado, e, logo em seguida, é informado que seu valor aumentou em aproximadamente US$ 1 bilhão. Daí, as pessoas acham chato quando se questiona esse sobrepreço.

    É complicado entender o ser humano.

  7. Perfeito, Chico…

    Eu, na qualidade de Editor, Leitor, Entusiasta, e, principalmente, Cidadão, farei tantos questionamentos quanto ache cabível.

    Simples assim!

  8. Ninguém prestou a atenção à citação da US Navy nessa joça?

    O que os navais americanos tem com isso, quem os convidou, por que não a USAF? Falta explicação sobre o tal “mix ideal” (e que ninguém fantasie ter algo a ver com Sea Gripen, pois tal alucinação marítimo-aérea não está contemplada em nenhum dos assuntos tratados no artigo)…

  9. Especulações faço quantas quiser. Não lhe devo satisfações. Mas já que estamos falando de “especulações”. Todos estes seus ” fatos ” não passam de especulação. Sobre-peso? Já há pelo menos um protótipo voando para sabermos o peso da aeronave? Há tá, é a opinião abalizada do dr. Chico, engenheiro aeronáutico, empresário gráfico e pai de santo nas horas vagas. Valor do contato, sabe o que esta no contato? Eu não sei, mesmo porque, país nenhum no mundo pública contrato de aquisição de equipamento militar. Ha, mas dr. Chico sabe tudo! Quanto a esse papo esquizofrênico de “outro blog”: DESENCANA! Se o pessoal de lá tratou você mal, te expulsou ou seu lá o que, é problema seu. Eu sequer tenho registro para comentar lá. Me esquece. Isso já esta ficando constrangedor. No que me concerne, você pode falar as asneiras que quiser. Tenho coisa melhor para fazer do que ficar bancando Freud pra você. Adeus.

Comments are closed.