Avião de patrulha P-3AM é operado pelo Esquadrão Orungan, sediado em Salvador (BA).

A aeronave P-3AM Orion, do Esquadrão Orungan, sediado em Salvador (BA), realizou nesta terça-feira (21/11), a primeira missão de busca ao submarino ARA San Juan que está desaparecido desde a última quarta-feira (15/11), com 44 tripulantes.

O avião – um quadrimotor de patrulha marítima de longa distância – aguardava em Porto Alegre (RS) o engajamento nas buscas e decolou às 20h diretamente para a área designada pela Marinha Argentina, realizando oito horas de operação.

“O P-3 é plenamente equipado para fazer busca e guerra antissubmarino. Como estamos tratando da busca de um submarino, nada mais lógico do que colocarmos uma aeronave equipada para a localização desses meios”, explica o Comandante do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino.

Os dados coletados pelos tripulantes do P-3AM estão em análise e a aeronave deve ser empregada novamente na noite de hoje (22/11), com decolagem prevista para 21h a partir de Mar del Plata. Cada missão está envolvendo 19 militares a bordo da aeronave.

O P-3AM possui um dos mais modernos sistemas para identificação por radar e dispõe do mecanismo Forward Looking Infra-Red (FLIR), que complementa as informações dos tráfegos marítimos, fornecendo imagens nítidas e claras mesmo no período noturno.

Também nesta quarta-feira, a outra aeronave da FAB disponibilizada para a missão, o SC-105 Amazonas, realiza o terceiro dia de buscas, com decolagem às 13h e previsão de oito horas de operação.


Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Emília Maria

12 COMENTÁRIOS

  1. Se um submarino que está com problemas e quer ser achado não conseguimos, imagina um que queira passar despercebido ? E ainda falam da segurança nacional de nossa faixa de mar.

    • O fato é , para localizar uma fragata , um Destroier ou um Porta Avioes os meios disponiveis hoje são os ideais . Agora para achar um alvo a 300mts de profundidade no oceano ….simplismente não existe um meio realmente eficaz (ainda) , podem falar o que for mas é como achar uma agulha em um palheiro . Se este estiver sinistrado com a possibilidade de estar a mais de 500mts como falam por ai , olha é coisa para decadas …

    • O submarino provavelmente estava imóvel, assim fica dificil mesmo, mas com os motores funcionando é outros 500.

  2. Justamente POR ISSO é importantíssimo militarmente se ter uma Força de Submarinos e principalmente deter a tecnologia e CONSTRUIR submarinos convencionais e NUCLEARES…

    É tremendamente DIFÍCIL encontrar um submarino submerso e imóvel na vastidão do OCEANO.

    • Toda essa ginástica verbal é para justificar a bandalheira do PROSUB meu caro Giba, onde a OrCrim do ABC e a empreiteira "cúmpanhêra" se deram bem e a MB pagou o pato?

  3. Não é bem assim, os U-boats foram caçados um a um na segunda guerra e poucos sobreviveram. No caso do San Juan não procurem por um submarino de 100m mas uma kombi de 3m, seu tamanho atual a 1000m de profundidade. Esqueçam esses caras foram condenados nas primeiras horas. Fato, com mar grosso o translado era feito submerso. Algo aconteceu que o levou ao fundo. O submarino não estava na superficie com vagas de 6 metros. Seria muito complicado, logo minha bola cristal diz que ocorreu um acidente na superficie e mesmo assim o comandante decidiu devido ao tempo e condições submergir e dai o pior aconteceu. Lembram da história do San Luis durante a Guerra das Malvinas que quase foi a pique da mesma forma. Não é a primeira vez. Ou se investe e mantém uma Marinha de verdade ou não desça pro Play Pra brincar.

    • Esses "U-boats" que participaram de grande parte das ações alemãs eram submersíveis e não submarinos.
      .
      Os alemães só podiam atacar efetivamente na superfície ou a poucos metros de profundidade. Esses navios passavam boa parte de sua vida na Superfície. Por isso agiam majoritariamente a noite. Uma vez submerso, esses U-boats ficavam praticamente fora de combate.
      .
      A técnica que os ingleses empregaram, durante a escolta de comboios era justamente fazer um U-boat localizado submergir, para que os navios pudessem passar em segurança, já que o submersível pouco poderia fazer para atacar o comboio.
      .
      Submarino mesmo, eles operaram dos Type XXI pra frente. Mas foram irrelevantes em conflito.

  4. É uma pena, o tempo está passando e parece que o pior vai se confirmando. Pelo menos não vi ninguém falando, pelo menos nos lugares aonde eu li, que o San Juan possa ter sido afundado por um Sub Inglês ou que possa ter desertado. Não vi ninguém cogitando estas hipóteses, que mesmo que distantes, são hipóteses.

  5. Será que não podia fazer umas buscas pelo dinheiro desviado em Brasília e outros locais conhecidos também?

  6. Ficaria muito feliz se encontrassem o sub argentino o mais rápido possível, principalmente se fosse a partir de uma equipe brasileira.

Comments are closed.