Instituto de Estudos Avançados recebe projeto detalhado do demonstrador tecnológico SCRamjet 14-X S

O Instituto de Estudos Avançados (IEAv), unidade da Força Aérea Brasileira (FAB) em São José dos Campos (SP), recebeu a documentação do Projeto Detalhado do Demonstrador Tecnológico SCRamjet 14-X S, entregue pela empresa Orbital. Essa é a última fase contratual do projeto, que visa ao desenvolvimento de um motor hipersônico aspirado – ou seja, capaz de fazer veículos voarem a mais de 6.000 km/h, utilizando o próprio oxigênio atmosférico para a queima de combustível.

O SCRamjet (do inglês, Supersonic Combustion Ramjet) é o nome dado ao motor, cuja tecnologia apresenta vantagens como ganho de espaço de carga útil, redução de peso total de decolagem e da quantidade de combustível necessária para a operação.

Projeto Detalhado do Demonstrador Tecnológico Scramjet. (Foto: Capitão R1 Reinaldo / IEAv)

Neste mês, a empresa contratada está realizando uma série de reuniões com especialistas do próprio IEAv, do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) e do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), para revisão do projeto detalhado, avaliando e ratificando as informações lá existentes.

“Finalmente estamos a ponto de dizer que alcançamos o estado esperado, como projetado, de todos os subsistemas do demonstrador Scramjet 14-X S, os quais ainda vão ser revisados, a fim de que então possamos iniciar a fabricação, qualificação e integração, o que ocorrerá ainda neste ano de 2019”, comenta o gerente do projeto 14-X, Israel Rêgo. Para o Diretor do IEAv, Coronel Aviador Lester de Abreu Faria, o projeto 14-X, batizado desta forma em homenagem ao centenário, em 2016, do primeiro voo do 14-Bis, vai colocar o Brasil em um grupo seleto de países. “Estamos cada vez mais perto de romper essa barreira tecnológica da propulsão hipersônica, que hoje é diferencial no mundo. Com a superação dessa etapa, o Brasil se coloca entre as maiores e mais desenvolvidas potências mundiais, dando a demonstração de que o domínio de alta tecnologia e de tecnologias disruptivas fazem parte de nossas capacidades e competências”, avalia o oficial.

Assinatura da última fase contratual do projeto motor Scramjet 14-X S. (Foto: Capitão R1 Reinaldo / IEAv)

Para o Diretor do IEAv, Coronel Aviador Lester de Abreu Faria, o projeto 14-X, batizado desta forma em homenagem ao centenário, em 2016, do primeiro voo do 14-Bis, vai colocar o Brasil em um grupo seleto de países. “Estamos cada vez mais perto de romper essa barreira tecnológica da propulsão hipersônica, que hoje é diferencial no mundo. Com a superação dessa etapa, o Brasil se coloca entre as maiores e mais desenvolvidas potências mundiais, dando a demonstração de que o domínio de alta tecnologia e de tecnologias disruptivas fazem parte de nossas capacidades e competências”, avalia o oficial.

Em 2020, a FAB realizará o primeiro ensaio em voo para demonstração e operacionalização da tecnologia de propulsão hipersônica aspirada, que terá aplicação tanto civil quanto militar.


Fonte: IEAv – Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli

22 COMENTÁRIOS

  1. "o Brasil se coloca entre as maiores e mais desenvolvidas potências mundiais". De falácia em falácia vamos 'tocando o barco'. A iniciativa é espetacular, mas existe um abismo muito grande entre fazer um desenho, um protótipo e se ter um produto operacional num país que sequer conseguiu lançar um satélite com meios próprios, considerando todas as facilidades que Deus nos deu, a exemplo da localização de Alcântara.

  2. Não entendo a FAB, pesquisa, pesquisa e pesquisa, mas produto que é bom nada consegue concretizar. Veja os exemplos de mísseis, foguetes, motores, sistemas, radares embarcados, etc, etc, etc…. Uma típica instituição brasileira, realmente,

  3. Não sei porque criticam tanto nossos projetos, pois é assim que se constroe um grande nação, e começando, aprendendo, errando e fazendo novamente, melhor que os críticos aqui que em vez de apoiar só criticam, por isso o país cresce devagar, falta de apoio do governo e dos nossos próprios cidadãos, avante Brasil, há de ser uma potência ainda, confio em vc meu país…