Encerramento do programa finaliza um ciclo de mais de 13 anos de execução de projetos de offset que beneficiaram empresas nacionais e organizações do Comando da Aeronáutica. (Foto: David Branco Filho)

A Força Aérea Brasileira (FAB) e a empresa Airbus Defence & Space assinaram, no dia 31 de julho, em Brasília (DF), o Termo de Encerramento do Programa de Aplicação de Compensação do Projeto P-3BR, durante uma cerimônia realizada na Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC).

O encerramento do programa finaliza um ciclo de mais de 13 anos de execução de projetos de offset que beneficiaram empresas nacionais e organizações do Comando da Aeronáutica. Entre os projetos de compensação realizados, destaque para a transferência de tecnologia realizada pela Airbus em favor da empresa nacional “Atech Negócios em Tecnologias”, que participou ativamente do desenvolvimento do Mission System Software, do Mission Support Center e do Mission Trainer and Tactical Aircrew Trainer, todos relacionados à operação da aeronave P3-BR. Como conclusão da parceria entre a Airbus Defence & Space e a Atech, a empresa brasileira recebeu a delegação de Design Authority dos referidos sistemas, permitindo a sua manutenção e atualização no território nacional e garantindo autonomia tecnológica para a Base Industrial de Defesa brasileira, bem como ganhos operacionais para a FAB.

De acordo com o Fiscal do Acordo de Compensação e Chefe da Subdivisão de Acordos de Compensação da COPAC, Tenente-Coronel Rodrigo Antônio Silveira dos Santos, os benefícios alcançados com a conclusão dos projetos de offset vinculados ao Projeto P-3BR extrapolam o próprio projeto, uma vez que a elevação tecnológica de empresas nacionais permite que elas se credenciem a receber novos projetos de compensação, com maior grau de complexidade, garantindo a continuidade do processo de desenvolvimento tecnológico e a participação de empresas brasileiras em novos desafios. “Nesse caso, pode-se citar como exemplo a própria Atech, cuja participação nos projetos de compensação do Projeto P-3BR permitiu a aquisição de novas competências e proporcionou a sua participação no escopo das compensações tecnológicas decorrentes do Projeto F-X2, em conjunto com a empresa SAAB AB, por meio do desenvolvimento de sistemas com aplicação no novo vetor de caça da Força Aérea Brasileira”, explicou.

Foto: Capitão Kae / Ala 12

O representante da empresa Atech, engenheiro André Di Luca, afirmou que, no período de 2005 a 2009, a Atech participou com 15 engenheiros de processos de transferência de tecnologia, adquirindo conhecimento junto à Airbus na Espanha. “Quando as primeiras aeronaves começaram a chegar ao Brasil, em 2011, fomos responsáveis pelo suporte de campo e pela manutenção do Mission System Software, que culminou na entrega da versão 2.8 do sistema em outubro de 2016. Também fomos responsáveis pela manutenção de hardware do Mission Trainer and Tactical Aircrew Trainer durante o período de 2013 a 2018”, disse.

Ainda segundo o representante da empresa, neste offset não trouxe somente conhecimento, mas também a oportunidade de melhoria dos produtos a serem oferecidos tanto no mercado nacional quanto no internacional.

“Essa etapa encerra um ciclo muito importante para a Força Aérea Brasileira e para a Base Industrial de Defesa, já que o Programa de Aplicação de Compensação do Projeto P-3BR se configurou como o primeiro conjunto de projetos de offset diretamente vinculados à plataforma contratada pela Força Aérea Brasileira, nesse caso a aeronave P-3BR e seus sistemas de missão”, destacou o engenheiro André Di Luca.

O Presidente da COPAC, Brigadeiro do Ar Valter Borges Malta, disse que é muito importante demonstrar para a Força Aérea Brasileira e para a sociedade em geral que os Projetos de offset desenvolvidos pelo Comando da Aeronáutica deixam um importante legado operacional e tecnológico, não só para a FAB, mas também para o Brasil.


Fonte: COPAC, por Tenente Kelly Martins – Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Adauto Fraga

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Que a Atech use os conhecimentos absorvidos nos sistemas de missão desse Electra para beneficiar uma próxima geração de Drones e sistemas aerotransportados de vigilância e que a FAB não espere três décadas para fazer isso ou o offset terá sido apenas mais um programa para manter uma turma pendurada no sistema e um treinamento caro para o pessoal da manutenção…

Comments are closed.