Com a possibilidade de realizar buscas noturnas, o esquadrão amplia sua capacidade operacional. (Foto: 2º/10º GAV)
Com a possibilidade de realizar buscas noturnas, o esquadrão amplia sua capacidade operacional. (Foto: 2º/10º GAV)

O Esquadrão Pelicano (2°/10° GAV), especializado em Busca e Salvamento, realizou uma missão inédita na última segunda-feira (19/09). A unidade, sediada em Campo Grande (MS), executou pela primeira vez uma missão de Busca e Salvamento no período noturno. Na ocasião, as duas aeronaves do esquadrão, o helicóptero H-1H e o avião SC-105 Amazonas, foram acionadas às 18h45min para localizar uma aeronave desaparecida na cidade de Miranda, no Mato Grosso do Sul, distante cerca de 210 km de Campo Grande.

Localização da aeronave no Pantanal. (Foto: 2º/10º GAV)
Localização da aeronave no Pantanal. (Foto: 2º/10º GAV)

As tripulações tanto do helicóptero quanto do SC-105 decolaram com a utilização do óculos de visão noturna NVG (Night Vision Goggles) e prosseguiram para a área onde foram realizados padrões de busca. Às 23h38min, um dos tripulantes do helicóptero localizou a aeronave que estava desaparecida em uma região isolada no meio do pantanal. Ao aproximar-se do local a tripulação constatou não haver sobreviventes.

Aeronave SC-105

Segundo integrantes do esquadrão, foi fundamental ter o helicóptero e o avião operando em conjunto durante a missão, ambos com auxílio do óculos de visão noturna. Um dos motivos foi a comunicação, pois, à baixa altura a aeronave H-1H não pôde transmitir as informações para o Centro de Coordenação de Salvamento de Curitiba (SALVAERO) devido às interferências naturais no envio das ondas-rádio. O SC-105 foi o responsável por retransmitir de imedito os dados obtidos para os órgãos responsável pela coordenação da missão.

A aeronave SC-105 do 2º/10º GAV. (Foto: Agência Força Aérea)
A aeronave SC-105 do 2º/10º GAV. (Foto: Agência Força Aérea)

O Comandante do esquadrão, Tenente-Coronel Jorge Marcelo Martins da Silva, explicou que essa missão representa um marco na aviação de busca e salvamento. “Antes, nós tínhamos que aguardar o nascer do sol para iniciar uma missão de busca, o que poderia ser a diferença entre a vida e a morte para os sobreviventes. Hoje, decolamos a qualquer hora do dia ou da noite. O ganho operacional é inestimável”, afirmou.

Histórico

Desde 2011, o Esquadrão Pelicano, opera a aeronave H-1H utilizando o Night Vision Goggles (NVG). A partir de 2014, o esquadrão iniciou a prestação do serviço de Alerta SAR (Save and Rescue) com NVG. Nesse período, foram realizadas diversas missões de Evacuação Aeromédica na região do pantanal, mas ainda nenhuma de busca e salvamento.

A partir de 2015, com a Avaliação Operacional do SC-105, realizada no Campo de Provas Brigadeiro Velloso, em Cachimbo (PA), foi possível criar e estabelecer parâmetros que fundamentassem a doutrina para emprego do NVG em Missões de Busca (MBU). A avaliação operacional proporcionou ao esquadrão a operação 24h, o que aumenta a probabilidade de detecção de aeronaves e sobreviventes.

Fonte: 2º/10º GAV

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Quando chegarem os novos SC-105 e os H-36 C-SAR, o Esquadrão Pelicano terá um salto qualitativo ainda maior.

  2. É uma boa notícia, para se comemorar.. mas também é de se pensar como as coisas ocorrem de forma morosa nesse país. Estamos em 2016!

Comments are closed.