Os pilotos Tenente Helton Furlan (esquerda) e Tenente Felipe Kawka, os novos integrantes da Esquadrilha da Fumaça. (Foto: EDA)

Era para ser mais um voo rotineiro de instrução na Academia da Força Aérea (AFA) para os pilotos Tenente Helton Furlan e Tenente Felipe Kawka, a bordo dos T-27 Tucano. Para a Esquadrilha da Fumaça, era o aguardado dia de anunciar os seus novos pilotos, selecionados em conselho e que integrarão a equipe a partir de 2020.

Tradicionalmente, o anúncio aos novos pilotos é realizado por meio de uma interceptação aérea. Ou seja, durante um voo de instrução do novo piloto, que está instruindo um cadete da AFA, uma aeronave da Esquadrilha da Fumaça o aborda (intercepta) e comunica pelo rádio o aceite para integrar a equipe.

A bordo do A-29 Super Tucano, o Capitão Renan Santoro, piloto da posição #3, aproximou do Tucano do Tenente Kawka: “Tenente Kawka, olhe para a sua esquerda. Você está sendo interceptado pela Esquadrilha da Fumaça. A partir deste momento, você é um Fumaceiro! Parabéns!”.Tenente Kawka, primeiro a ser interceptado como novo piloto da Fumaça

Em seguida foi a vez de o Tenente Furlan ser interceptado, desta vez pelo Capitão Rafael Grothe, piloto da posição #2 da Esquadrilha da Fumaça. Realizando duas passagens sobre a AFA, o Capitão Grothe anunciou ao novo integrante o seu aceite e posicionou a aeronave no dorso (de cabeça para baixo), ao lado do Tucano do novo integrante, marca registrada do Esquadrão. “Tenente Furlan, parabéns! Você é agora um novo integrante da Esquadrilha da Fumaça!”, informou o Capitão Grothe pelo rádio.

Recebidos em solo pelos amigos, familiares e atuais integrantes da Esquadrilha da Fumaça, os novos pilotos pousaram logo após as interceptações. “Desde muito pequeno meu pai me trazia nos Portões Abertos da AFA e isso despertou uma admiração pela aviação e pela Esquadrilha da Fumaça. Entrar para o time é a realização de um sonho antigo que nunca foi esquecido”, afirmou emocionado o Tenente Furlan, que é natural de Pirassununga/SP, cidade onde fica sediada a Academia da Força Aérea e a Esquadrilha da Fumaça. Também como sonho de infância, o Tenente Kawka contou que assistia às demonstrações do Esquadrão na Esplanada dos Ministérios, em Brasília/DF, sua cidade natal, na sua infância: “Muito antes de me imaginar como um oficial da Força Aérea Brasileira, eu assistia às demonstrações da Fumaça. Hoje, ao ser interceptado, além de enorme emoção e felicidade, visualizo poder inspirar jovens brasileiros a sonharem alto e sentirem orgulho do Brasil”.Tenente Furlan, novo piloto da Esquadrilha da Fumaça

O piloto da Esquadrilha da Fumaça tem um período previsto de cinco anos como integrante na equipe. Após esse período, é transferido para outras unidades da Força Aérea Brasileira, abrindo-se, usualmente, de uma a três vagas anualmente para novos pilotos. Com saída prevista do Capitão Nilson Gasparelo e do Capitão Lucas Yoshida no final de 2019, os dois novos pilotos ocuparão as suas vagas. Antes de começarem a voar em demonstrações do Equadrão, os novos integrantes passarão por um período de adaptação à aeronave A-29 Super Tucano, aeronave utilizada pela Fumaça e, em seguida, pelo curso de Piloto Operacional de Demonstração Aérea (PODA).


Texto: Tenente Marcus Lemos – Revisão: Capitão Rafael Grothe – Fotos: Tenente Marcus Lemos e Subofocial Ribeiro

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS