Concepção artística do KC-390 reabastecendo em voo caças Gripen.

As novas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), KC-390 e Gripen NG – que estão em fase de desenvolvimento – foram os principais assuntos discutidos entre o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), Dyogo Oliveira. Na reunião, que aconteceu nesta quarta-feira (08/03), em Brasília, também foram debatidos temas como orçamento e iniciativas de corte de gastos.

O Tenente-Brigadeiro Rossato destacou o desenvolvimento das aeronaves KC-390, o novo cargueiro que está fase de testes e é fabricado conjuntamente pela Embraer; além do Gripen NG – o futuro caça, projeto desenvolvido em parceria com a empresa sueca SAAB. “Esses dois aviões são fundamentais para o futuro da FAB”, pontuou o oficial-general. Segundo o Comandante, o cargueiro tem a primeira entrega prevista para o ano que vem; já a chegada do Gripen está agendada para 2019.

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), Dyogo Oliveira.

O ministro Dyogo Oliveira reconheceu a importância dos projetos para a defesa do País e garantiu a continuidade dos projetos estratégicos. “Nós teremos um contingenciamento (de verbas) do governo federal em breve, mas estamos fazendo um grande esforço para que não haja prejuízo ao cronograma desses dois projetos que são muito importantes”, acrescentou.

O Comandante da Aeronáutica apresentou ao ministro ações de reestruturação que estão sendo implementadas na Força, como economia de recursos, redução do efetivo e concentração de meios aéreos.

“A Aeronáutica tem feito um esforço muito grande de contenção de despesas e racionalização dos custos. Isso é muito importante porque nós estamos vivendo um momento no país em que a expansão orçamentária está muito limitada e é preciso que todos os órgãos do governo participem desse processo, e a Aeronáutica tem feito isso muito bem”, elogiou o ministro.

Fonte: Agência Força Aérea

6 COMENTÁRIOS

  1. O problema é que nefte paíf o que é dito hoje, não vale amanhã. No início do ano é aquele orçamento pomposo, com direito a segunda frota e tudo o mais. Passada a quarta-feira de cinzas, é contingenciamento pra cá, contingenciamento lá…
    O que se gasta com cafezinho nas assembleias legislativas deste gigante…

  2. Orçamento brasileiro destinado ao Gripen NG até agora : R$1,53 bi em 2016 + R$1,57 bi em 2017 = R$3,1 bi.

    Ué, cadê aquela promessa da Saab e FAB de que o Gripen NG só iria exigir pagamentos após a entrega do último exemplo, em 2023-2025 ???

    Ninguém acha incompatível gastarmos 8x com Gripen NG em relação a KC-390 em 2017 ?

    • Na LOA de 2015 constava mais R$ 1 Bi…

      Agora procura no portal da transparência quanto já foi gasto gasto com o Gripen até hoje. Eu pelo menos não encontrei nada.

      Vou tentar resumir de uma forma "simples" o que eu entendi do caso: o dinheiro que está sendo citado na LOA é o dinheiro que os "Suecos estão pagando" via financiamento.
      Traduzindo: para usar o crédito internacional, ou seja, para se endividar é preciso ter previsão orçamentária. Traduzindo ainda mais: O orçamento é apenas autorizativo, não impositivo.

      Leia:
      "O Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) para 2015 deverá contemplar um total de crédito na ordem de R$ 1 bilhão para aquisição dos caças Gripen New Generation (NG), Projeto FX-2 da Força Aérea Brasileira (FAB). "

      Crédito é a palavra chave…
      http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/

      O Banco sueco está pagando e a SAAB está recebendo, afinal ela também precisa de dinheiro para fabricar o caça… Quando recebermos o último caça, começamos a pagar essas parcelas adquiridas ano a ano para o "BNDES" Sueco.

      Mas é o que eu entendei… Posso estar errado em algum ponto.

Comments are closed.