Rostvertol Mi-26T2, Foto - Kirill Naumenko
Rostvertol Mi-26T2 / © Kirill Naumenko, em caráter ilustrativo

Conforme nós noticiamos ontem, o site Sputnik News informou que o Brasil estava interessado na compra de novos lotes de helicópteros russos, tendo recebido, inclusive, a indicação da Rússia para o modelo Mi-26T2.

A notícia referente ao suposto interesse brasileiro foi atribuída à Sergei Ladygin, identificado como sendo o chefe da delegação da agência russa para exportação de armas, Rosoboronexport, durante a FIDAE 2016.

A fim de determinar a veracidade das alegações, o Cavok tomou duas ações:

  1. Contatamos pessoalmente o pessoal da Rosoboronexport na FIDAE. Fomos gentilmente recebidos e  com relação ao que foi publicado pelo Sputnik News, ambos apenas se limitaram a informar que o representante citado pelo noticioso russo, Sergei Ladygin, não estava participando do evento.
  2. Contatamos a FAB e o Exército Brasileiro. Através do CECOMSAER – CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA AERONÁUTICA, nos foi informado o seguinte:

“Com relação ao seu questionamento, informamos que no momento não há nenhuma negociação por parte da Força Aérea Brasileira (FAB) para a aquisição de novos equipamentos de origem russa.”

Quanto ao Exército Brasileiro, estamos aguardando a resposta, e tão logo a tenhamos informaremos aqui o site.

Rostvertol Mi-26T2, Foto - Svido Stanislav
Rostvertol Mi-26T2 / © Svido Stanislav, em caráter ilustrativo

RELEMBRE:

divider 1

EDIÇÃO: Cavok

Anúncios

27 COMENTÁRIOS

  1. MAS não entendi porque deram chancela a esta sputinice! Esse pessoal é aleijado cerebral, não adianta. 100% do que postam tem alguma porção de sandice.

  2. Lamarca, precisa fazer o título da notícia ficar coerente com a nota da FAB que você reproduziu na matéria. A nota diz que "no momento não há nenhuma negociação por parte da Força Aérea Brasileira (FAB) para a aquisição de novos equipamentos de origem russa." A rigor, isso não quer dizer que o interesse é inexistente.

    • Obrigado por sua sugestão, JoliLeChat, mas entendemos que o título do artigo está adequado à realidade dos fatos.

      • Lamarca,

        Como especialista em defesa, de forma geral, o que vc acha de um chefe de estado que usa telefone celular sem criptografia?

          • Aí, a gente fica esperando planejamento estratégico de uma mandioca ambulante.

            Um abraço,

  3. Vai ver alguém viu um milita brasuca olhando a maquete do heli e PÁ: Sputinik publica as coisas de sempre.

  4. Não é de causar espanto, a FAB está quebrada a mais de 30 anos. O nosso país só tem os Forévis porque os americanos feios e maus deram quase de graça por causa da guerra fria na década de 70.

  5. Bom dia Senhores!

    Desfeito o mito! Agora vamos esperar o que de concreto teremos na FIDAE2016.

    CM

  6. Agora subiu no telhado, na Record News estão informando que: foi cortada a verba de investimento do Ministério da defesa mais de 3 bilhões de reais, desviados para suprir o déficit do fundo parlamentar que é de 6 bilhões de reais.

    • Nada a declarar…lamentável … este desgoverno me faz lembrar o que a história conta sobre os últimos dias do Terceiro Reich!

      CM

  7. O texto do Sputnick disse que o Brasil tem interesse em adquirir no lote do helicóptero Russo, uma vez que Brasil opera o Mi-35M Russo, foi indicado versão Mi 26T2, segundo o chefe da delegação da Rosoboexport, Sergei Ladying. Nenhuma vez o texto mencionou que o Brasil vai comprar helicóptero Mi 26T2 ou está preste a comprar, apenas disse que há interesse. Brasil tem tantos interesses em vários armamentos que não pode comprar devido falta de verbas…

  8. Do Sputnik nós já esperavamos coisas como essa…
    O engraçado são os "inocentes" que defendem essas falácias.

  9. Mi 26T2 ? No Brasil?
    .
    As asas rotativas das três forças já são uma desgraça em termos de padronização, não me espantaria se introduzissem mais esse monstrengo no meio da conta…
    .
    Ai, meia dúzia de maluco vai alegar que é mais barato, mais robusto, rustico, simples, a ladainha toda e no final vão concluir dizendo que foi vetado ao Brasil a compra de modelos mais novos de Chinooks e que só "sucatas" foram oferecidas… Como sempre, aliás.

    • Me desculpe Bardini mas teu argumento não se sustenta em relação ao Mi-26T2 porque não há de se falar de padronização quando se comenta sobre uma class de aeronave que o país não possui.
      E da mesma forma não há razão do mesmo argumento se a nova compra de helis russos for do AH-2 Sabre pois já operamos o modelo e temos 12 deles…
      Não há como padronizar um tipo único de aeronave rotativa pois há diferentes perfis de missões que requerem diferentes tipos de aeronaves.

      • Não há como padronizar um tipo único de aeronave de asas rotativas, isso é óbvio meu caro. Agora, dá e muito bem para se padronizar os fornecedores.

        AH-2 "óh… temos 12 deles!" Bela cag..da. Abrir uma linha logística que nunca se teve com os Russos (e nem estou questionando se funciona ou não, pouco importa, têm-se que pagar tradutor, nem inglês aquela gente "profissional" fala! Armamentos que não combinam com porcaria nenhuma do que já se tinha, novas formações foram necessárias aos montes e por ai vai, isso não sai na "faixa") e agora dizer que o certo seria trazer mais um lote de Sabre… Pra que? Vais me dizer que é para pressionar os russos a abrir um galpão de manutenção lá no meio da Amazônia, com o meu dinheiro e escrever na fachada: "Exclusivo do Poti".

        Tivessem comprado Esquilos que fosse no lugar destes helicópteros ai, teríamos mais aeronaves e aeronaves muito mais baratas de se voar, com logística conhecida, com pilotos já especializados, tudo a pronto emprego, e que daria um fim melhor ao meu dinheiro que esta sendo disponibilizado para o Poti torrar com o AH-2.

        Mas… O MD dos Sagu de Cachaça é que entendem do riscado…

  10. Com todo o respeito ao site acho que estão dois erros crassos.
    A resposta da FAB não fala de interesse, fala de negociações, não pode haver negociações se não há recursos autorizados.
    Aqui mesmo no site e em outras fontes CANSAMOS de saber de informações do tipo que a MB já mandou oficiais para avaliar o V-22 Osprey, que o Exército mandou oficiais para conhecer o Heli EC-665 Tiger e etc.
    A própria FAB começou um processo de escolha de um heli desta classe que não foi adiante, nós sabemos e os russos sabem.
    O que eles fizeram foi o mesmo que a SAAB por exemplo, faz (e outras companhias também) quando se sabia que havia dificuldades na negociação com o Rafale na Índia e soltavam notícias do tipo a Índia ainda negocia o Gripen ou coisa do gênero, faz parte do jogo do mercado. Os Russos com a proximidade e o rumor da FIDAE soltou um balão de ensaio.
    A resposta da FAB é técnica não há negociações em curso. O não há INTERESSE da FAB em helicópteros russos é uma afirmação sem BASE FÁTICA e como leitor considero a elaboração e a reiteração do título do post fruto de pré-conceito e imaginação de quem deu o título ao texto.
    Segundo RE-LEMBRO ao site que o tempo que somente os três comandos de forças decidiam quais os equipamentos iriam operar já está no passado, hoje existe uma instância superior que efetivamente decide estas demandas. Embora os Comandos participem tecnicamente estas decisões cada vez mais não mais lhe cabem.
    Como aconteceu por exemplo com o Gripen ou o H225M a decisão de compra não passou por nenhum dos 3 comandos sendo decidida no Ministério da Defesa. E cada vez mais será assim.
    Como já disse algumas vezes a implantação do SISFRONT embora liderada pelo Exército é tocada pelo Ministério da Defesa por atingir as três forças. E como o SISFRONT é uma ampliação e revisão do conceito original de proteção de fronteiras originado do SIVAM, ao meu juízo, a ampliação do sistema de proteção das fronteiras amazônicas para todas as fronteiras terrestre do Brasil FATALMENTE implicará nos próximos anos compras adicionais não só do AH-2 Sabre russo como também compras adicionais do A-29 Super Tucano para cumprir as necessidades crescentes do SISFRONT.
    E mais adiante, se e quando houver recursos orçamentários, adquirir um lote de Mi-26T2 ou um modelo equivalente desta classe pois existe necessidade operacional para o Brasil.
    Se o México, Peru e Venezuela adquiriram e operam este modelo específico de aeronave não vejo porque o Brasil não possa ou não obtenha ganhos operacionais com este aparelho. PRINCIPALMENTE em relação a Peru e Venezuela que possuem áreas de seu território na bacia Amazônica e onde estas aeronaves prestam admiráveis serviços.
    Menos pré-conceito…

    • Gilberto,

      Quando a FAB negociava com a Dassault, Saab e Boeing, antes do Gripen ser selecionado, por acaso os recursos estavam autorizados?

      É óbvio que não.
      Houve negociação porque havia interesse real para compra, e os recursos só vieram a ser autorizados quando o Senado aprovou, em 05/08/2015, a operação para compra dos caças para a FAB. Lembrando ainda que a presidente só sancionou o projeto de lei aprovado pelo Congresso que autorizou a contratação de empréstimo para a compra das aeronaves em 05/11/2015, mesmo com o Gripen tendo sido anunciado vencedor do certame em dezembro de 2013.

      GRIPEN NG BR: Senado aprova operação para compra dos caças para a FAB http://www.cavok.com.br/blog/gripen-ng-br-senado-

      GRIPEN NG BR: Dilma sanciona empréstimo de US$ 4,5 bi para compra de caças suecos http://www.cavok.com.br/blog/gripen-ng-br-dilma-s

      E como o SISFRONT é uma ampliação e revisão do conceito original de proteção de fronteiras originado do SIVAM, ao meu juízo, a ampliação do sistema de proteção das fronteiras amazônicas para todas as fronteiras terrestre do Brasil FATALMENTE implicará nos próximos anos compras adicionais não só do AH-2 Sabre russo como também compras adicionais do A-29 Super Tucano para cumprir as necessidades crescentes do SISFRONT.

      Como você mesmo disse, isso é “ao seu juízo”.
      Até que a FAB informe que pretende adquirir mais unidades do AH-2 Sabre e/ou do Super Tucano, isso reflete apenas o desejo de algumas pessoas, seguindo a lógica com que estas raciocinam, e sem que haja qualquer embasamento factual respaldado nas reais necessidades da corporação. Ou seja, na prática, é pura fantasia e vontade própria!…

      • Realmente temos um profunda divergência no assunto, só quero te dizer que meu raciocínio não é fruto de desejo é fruto de uma ANÁLISE simples. Se no sistema SIVAM há a necessidade do A-29 para interceptação e do AH-2 Sabre para intervenção de solo é lícito crer que a expansão deste modelo de vigilância de fronteira para TODA fronteira terrestre é licito imaginar que será necessária a expansão destes meios para atender toda a fronteira terrestre com a implementação do SISFRONT. Isto é apenas LÓGICA e RACIOCÍNIO APLICADO. Lamento que queiras me colar o rótulo de maluco ou burro. Diminui MUITO o respeito que lhe dedicava e resvalas perigosamente para a mesma vala das três fossas.
        E novamente na tua resposta reiteras teu equivocado raciocínio de que somente as "necessidades reais da corporação" existem; se tiveres um MÍNIMO de honestidade intelectual restante devo LEMBRA-LO que o próprio AH-2 Sabre elogiado pela FAB e por vocês próprios no CAVOK foi IMPOSTO a FAB por uma compra do governo petralha e seu ministério da Defesa vermelho.
        Foram aeronaves extremamente mal recebidas pelos oficiais generais e superiores da FAB e sua implantação prejudicada por vários incidentes em Porto Velho, no entanto a qualidade da máquina russa se impôs sem que a FAB tenha feito um MEA CULPA de sua atitude inicial.
        Mas agora tudo aquilo foi miragem e não existiu.
        SE continuar a poder postar por aqui estarei sempre diligente a te lembrar que não é só nos EUA que militares recebem mais C-17 Globemaster do que necessitam ou tem que manter aeronaves que a corporação quer aposentar e os políticos ou o DoD impõe a manutenção do A-10 Watrhog. Casos similares ocorrerão no Brasil por aquisições de governo a governo e estarei aqui para te lembrar até que aprendas e atualizes teus conceitos arraigados e ultrapassados… Boa Noite…

        • Gilberto,

          Primeiramente, não te atribuí rótulo algum.

          Em segundo ponto, não depreciamos de forma alguma o AH-2 Sabre, ou afirmamos que a FAB tenha criticado o desempenho do equipamento. Na verdade, ao contrário, o desempenho do Sabre foi amplamente elogiado pela corporação, entretanto, existe clara insatisfação com o pós-venda russo por ocasião da demora no recebimento de materiais de consumo e de reparo vindos da Rússia para a manutenção das aeronaves. http://br.sputniknews.com/mundo/20150416/776560.h

          Isso, SIM, é algo que não pode ser ignorado.

          For fim, esteja CERTO, pouco me importa o que VOCÊ pensa ao meu respeito, ou que tipo de consideração você tem com a minha pessoa. Isso é algo totalmente irrelevante.

          Passar bem.

          • La Marca, conversar com um cachorro dá mais resultado do que tentar racionalizar com esse espécime. Não perca seu tempo.

          • A recíproca é verdadeira, referia-me a consideração como leitor do blog pelo teu trabalho. Segue o barco…

Comments are closed.