Um caça F-5EM do Esquadrão Pampa equipado com míssil Python-4 durante testes na Base Aérea de Canoas.

A campanha de certificação do míssil de treinamento Python-4 está sendo realizada em Canoas (RS). O armamento será integrado aos caças F-5EM da Força Aérea Brasileira (FAB). A campanha, denominada Operação Python, começou em março e termina no dia 6 de junho.

As atividades são desenvolvidas pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) em conjunto com o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), Instituto de Fomento Industrial (IFI) e Instituto de Pesquisa e Ensaios em Voo (IPEV).

“A preparação para a campanha de ensaios envolveu várias análises e relatórios técnicos, abordando os aspectos aerodinâmico, aeroelástico e estrutural do míssil acoplado ao caça”, afirma o Coronel Aviador Carlos Afonso Mesquita de Araújo, coordenador da Operação Python.

O novo míssil de treinamento Python-4 fica conectado à aeronave o tempo todo, mas não é lançado. Contudo, possui características físicas próximas à do míssil real, além do sistema ativo de busca e apontamento de alvos por meio da radiação infravermelha emitida principalmente pela turbina da aeronave “inimiga”. Dessa maneira, os pilotos conseguem realizar treinamento de combate aéreo mais próximo da realidade, incluindo a informação de que o alvo se encontra ao alcance do armamento.

Os voos de ensaios servem para avaliar o desempenho da aeronave em situações mais críticas das fases de decolagem, subida, cruzeiro, combate, descida e pouso, além de verificar a integridade estrutural da aeronave F-5EM.


Fonte: DCTA

7 COMENTÁRIOS

  1. Antes da criação dos mísseis de treinamento os radares de muitos aviões que só travam no inimigo quando tem um míssil instalado geraram um curioso acidente.
    Em 1995 no Japão para treinar de modo mais real no F-15 a unica forma possível era colocar um míssel real e é claro não disparar.
    Um piloto Cap. Hino se enpolgou no treinamento e apertou o gatilho abatendo o F-15 do colega.
    Hoje com os mísseis de treinamento o avião interpreta que está apto para combate, ativando todos os sistemas e é claro sem o risco de acidentes.
    .
    . http://aviation-safety.net/wikibase/wiki.php?id=4

    O "vencedor" F-15J 62-8870
    . https://lh3.googleusercontent.com/proxy/PltvqNQoL
    .
    Os restos da vítima, o F-15J 52-8846.
    . https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:A