A companhia aérea norte americana United adquiriu 25 aeronaves E175 adicionais da Embraer. (Foto: Embraer)

A Embraer e a United Airlines, dos Estados Unidos, anunciaram hoje, durante o Farnborough Airshow, na Inglaterra, a assinatura de um pedido firme de 25 jatos E175, que serão configurados com 70 assentos. O contrato é avaliado em USD 1.1 bilhão, com base no atual preço de lista, e será incluído na carteira de pedidos do terceiro trimestre de 2018. O início das entregas está previsto para o segundo trimestre de 2019.

“É com entusiasmo que vemos a United adicionar 25 jatos Embraer à frota existente de quase 400 aeronaves das famílias de E-Jets e ERJ que operam na malha aérea da United Express”, disse Charlie Hillis, Diretor de Marketing e Vendas da Embraer Aviação Comercial para a América do Norte. “O E175 é a plataforma líder no seu segmento e tem grande aceitação no mercado norte-americano em razão da eficiência, conforto e disponibilidade. Esses novos E175 servirão à United e a seus passageiros muito bem.”

“As novas aeronaves E175 oferecerão para nossos clientes a experiência de um produto superior com as mais recentes novidades de conveniência e conforto a bordo”, disse Gerry Laderman, Vice-Presidente Senior de Financiamentos e atual CFO da United. “Essas aeronaves serão uma adição espetacular para a nossa frota e estamos animados em recebê-las no início do próximo ano.”

Incluindo este novo contrato, a Embraer vendeu mais de 400 jatos do modelo E175 para companhias aéreas na América do Norte desde janeiro de 2013, obtendo mais de 80% do total de pedidos no segmento de jatos de 70 a 76 assentos.

Desde que entrou em operação, a família de E-Jets recebeu mais de 1.800 pedidos e mais de 1.400 aeronaves foram entregues. Atualmente, os E-Jets fazem parte da frota de mais de 70 clientes em 50 países. Esta versátil família de 70 a 150 assentos voa com companhias aéreas de baixo custo, regionais e de linha principal.

Anúncios

11 COMENTÁRIOS

  1. Milagre!!!!!!
    Mas, não adianta a força que a união com a Boeing continua emperrada.

    • Tudo isso é vontade de sair do armário e torcer pela Bombardier/Airbus? Porque pela EMBRAER você já deu mostras que não se importa pouco significando uma joint venture com a Boeing ou não.

      Aliás, você torce para o impasse (artificialmente criado pelo afilhado da finada Marisa Letícia) apenas para que a empresa brasileira se prejudique de uma forma ou de outra. Você não engana mais ninguém! E nos poupe dessa história de "governo ilegítimo sem capacidade ou competência para decidir"! Vá ler o "livrinho" e lembre-se que a OrCrim do presidiário quis prejudicar a EMBRAER quando a empresa não recebeu um burocrata russo fanfarrão retirando as linhas de crédito do BNDES que permitem o financiamento dos E-Jets e fomentando a criação de uma concorrente com a famigerada empreiteira "Cúmpanhêra" enrolada na Lavajato.

      A verdade é que caso não estivesse inelegível e pudesse disputar as eleições, na eventualidade de ganhar era bem provável que o presidiário não apenas vetasse qualquer acordo com a Boeing como ainda por cima voltasse as tratativas acima com a sua empreiteira de estimação, para a sua alegria….

      • Bah, HMS_TIRELESS, falou aquilo que tá engasgado na nossa garganta faz tempo.
        Parabéns!!

      • Engraçado como algumas pessoas nascem com um único propósito na vida, dividir em vez de somar. É o caso do AntonioKings. O que será que ele ganha com isso?! Não dá pra entender, enfim…

        • Ainda está negociando pra quem vai nos vender: russos, chineses, venezuelanos ou cubanos.

        • No mundo da fantasia, onde turco é eslavo, chineses criaram um império de bicicletas, países são aliados militares por comprarem parafusos e aí vai.

  2. Da Família E1 e futuramente E2, o 175 é a aeronave de mais venda nos EUA. E pelo visto continuará vendendo bem.

    "Ah, mas se a Embraer não for comprada pela Boeing, morrerá em breve." Aham, tá certo!!! Rsrs

    • As vendas do E-175E2 dependem da derrubada da "scope Clause".

      Até para isso sindicato só atrapalha!

  3. Cadê encomendas da Gol, TAM, Avianca?
    Depois querem manter a empresa isolada no Brasil.
    Quando falam que a Embraer é americana é por causa disso aí, sem ironias!
    Só do modelo 175, foram 400 para os EUA, de um total de 1800 para toda a família.
    Vida longa a Embraer e aos E-jets. Que a geração 2 tenha muito sucesso e que venham as encomendas com a ajuda da Boeing.

Comments are closed.