O Lockheed Martin LM-100J voa durante os preparativos para o Farnborough International Airshow, no dia 2 de julho. (Foto: Todd McQueen / Lockheed Martin Aeronautics)

A Lockheed Martin apresentará em voo e na estática seu cargueiro comercial LM-100J Super Hercules no Farnborough International Airshow (FIA) 2018, realizado em Farnborough, Inglaterra, de 16 a 22 de julho.

O LM-100J, uma variante de produção do C-130J Super Hercules, participará da exibição de voo diária da exposição e estará na exibição estática. A versão militar da aeronave já foi selecionada por 18 nações até o momento.

“Embora o LM-100J seja conhecido por suas capacidades de entrega de carga, a aeronave foi citada em toda a indústria como a plataforma perfeita para requisitos especializados, como combate a incêndios, medevac, spray aéreo e apoio humanitário”, disse George Shultz, vice-presidente e gerente geral dos programas de Mobilidade Aérea e Missões Marítimas na Lockheed Martin. “O Farnborough Airshow é o principal evento da indústria aeroespacial do ano e nos oferece uma oportunidade ideal para mostrar ao mundo a versatilidade inigualável e o desempenho superior do LM-100J.”

O KM-100J durante apoio as vitimas pela passagem do Furacão Maria, em Porto Rico, em outubro de 2017. (Foto: Lockheed Martin)

Juntando-se ao LM-100J, estará o helicóptero S-92 da Sikorsky, que é o padrão da indústria para transporte off-shore e VIP / VVIP / chefes de estado e busca e resgate. O S-92 estará em exibição estática no Chalet da Lockheed Martin (site D8-10).

Além disso, os líderes da Lockheed Martin e especialistas no assunto oferecerão insights e atualizações sobre a aviação, espaço e recursos de defesa em camadas da corporação por meio de uma série de sessões informativas, abertas a todos os jornalistas e membros da mídia presentes no evento.

1 COMENTÁRIO

  1. Andando por aí, a gente ouve até umas coisas engraçadas: alguém da indústria aeronáutica comentando que uma das primeiras vendas do KC-390, intermediadas pela Boeing, pode ser para uma empresa civil, de cargas. Mas qual, de onde? A Embraer já deve ter pesquisado, claro.

    Criando uma linha aqui (C-390?), empregando gente aqui e daqui, tanto faz… 🙂