O Gripen E realizou voos de testes com mísseis IRIS-T nas pontas das asas e com suportes externos sob as asas. (Foto: Saab)

O programa Gripen E da Saab continua progredindo. A aeronave Gripen com a designação 39-8 conduziu uma série de voos bem-sucedidos levando suportes externos, incluindo pilares da empresa suíça RUAG Aerostructures. O chefe de área de negócios da Saab Aeronautics, Jonas Hjelm, expôs como as próximas duas aeronaves Gripen E para o programa de testes de voo estão se beneficiando das principais decisões de projeto.

“As ameaças de hoje não são as de amanhã e os caças modernos podem ser vistos como uma rede de supercomputadores em voo que buscam superar seus oponentes. Por isso, projetamos a arquitetura inteligente do Gripen para garantir que possamos apresentar os mais recentes computadores e outros hardwares avançados com rapidez e simplicidade, o que é inigualável nessa indústria. Temos a dupla vantagem de ser tanto a aeronave mais nova quanto capaz de pular sem esforço à medida que a potência de processamento avança. O piloto que está pilotando o Gripen E terá, portanto, uma vantagem inegável.”

O Gripen E “39-8” durante preparação para o voo com suportes externos sob as asas.

As duas aeronaves (conhecidas como 39-9 e 39-10) se beneficiaram com computadores novos e atualizados que foram rapidamente adicionados a elas, melhorando ainda mais a capacidade da primeira aeronave, 39-8. Um fator crítico era que isso poderia ser feito sem afetar os sistemas críticos de voo e, portanto, era concluído em dias e semanas, em vez de meses e anos, como é típico em caças. Isso significa que o Gripen E pode estar na vanguarda do combate aéreo por décadas, à medida que novos recursos ou tecnologias exigem cada vez mais poder de processamento.

Jonas Hjelm também revelou que durante o mês de julho, o Gripen E realizou seu primeiro voo equipado com um míssil aéreo IRIS-T em cada ponta da asa, quatro pilares sob as asas e o pilar central na fuselagem.

O voo incluiu várias manobras de teste em velocidade supersônica. Isso aconteceu no Mar Báltico e abre caminho para futuros testes envolvendo transporte e lançamento de mísseis, liberação de tanques e outros depósitos externos.

Os novos voos de testes foram realizados sobre o Mal Báltico.

O Gripen E é um programa internacional e houve progresso no design do Gripen F, a versão de dois lugares. Ele está sendo projetado com a Embraer no Brasil e pode ser usado para treinamento, treinamento de prontidão de combate, missões de combate e para treinamento do Oficial de Guerra Eletrônica e do Oficial do Sistema de Armas no banco traseiro. Outros destaques foram as novas entregas em torno de hardware chave, como o Wide Area Display (WAD), liderado pela empresa brasileira AEL.

O Gripen E está sendo desenvolvido para a Força Aérea Sueca, enquanto a Força Aérea Brasileira receberá tanto o Gripen E quanto o F.

17 COMENTÁRIOS

    • Sim uma unidade de testes se nao me falha memória, 2022 algumas unidades fabricadas la fora e 2024 as restantes fabricadas pela Boeing em São Jose Dos Campos

  1. Tudo muito bom, tudo muito ótimo.. Mas a gente vem escutando essas noticias a anos e anos..
    Acho que todo mundo já entendeu que o caça é muito bom. blá, blá.. etc e tal…
    Agora que tal menos papo e mais ação SAAB?
    Cronograma muito enrolado para um caça que é uma evolução de outro já pronto..
    Quantos já prontos???? 01???

    • Poxa Bruno_R que isso vá construir o teu caça com latinha de cerveja e depois vem falar alguma coisa sobre tempo, tudo bem que de novidade tem pouco mesmo mas o que importa é que esta progredindo dentro do que foi prometido pior seria se estivesse em atraso mas ficar insinuando que é fácil e rápido fazer uma evolução de um caça a partir de outro é demais né, ti damos a chance de utilizar um motor e comandos eletrônicos prontos que podem ser comprados em qualquer mercado mas o teu caça deve ser feito de latinha de cerveja e tu tem 1 ano pra deixar pronto e voando, depois que fizer isso eu ti apoio totalmente no comentário, abraços.

      • Não disse que "é fácil e rápido" Isso é por sua conta.
        Não trabalho com construção de aviões, muito menos avião de caça. Se este é seu caso,vá construir um você.
        Minha parte se resume a pagar diariamente em impostos, sendo assim me reservo o direito a tecer uma critica.
        Caso não saiba o programa Gripen existe 1987, e o conceito do NG desde 2007, ou seja pelo menos 11 anos.

        • Imagina se os gênios da SAAB mudassem uns 20% da entrada de ar do poderoso Gripen, iria mais uns 15 anos para projetar.

      • "De novidade tem pouco"?! só por que o design é parecido não significa que que apenas uma evolução de um mesmo caça como ocorre com o F-16 do jas39-C para o E é a mesma coisa que foi feita para do Hornet para o Super Hornet. Pegaram um desenho que era bom mas limitado princialmente pelo tamanho e "aumentaram". e mesmo que fosse só um melhoramento veja o que aconteceu com Super Hercules o projeto atrasou 10 anos!

    • Protótipos Gripen E números 39-8, 39-9 e 39-10.
      Basta ler para saber que já são 3 aviões envolvidos nas campanhas de teste e de certificação.

      • E basta ler para entender que eu disse PRONTOS.
        Pelo que já foi divulgado, os outros dois protótipos ainda estão em fase de MONTAGEM.
        Caso você tenha informação provando o contrário, agradeço se puder colocar o link.

        • A Saab informou que está confiante de que o segundo e terceiro exemplares de teste de seu novo caça Gripen E voarão em breve, à medida que continua o trabalho de desenvolvimento com a primeira aeronave 39-8.

          O segundo e terceiro jatos de teste, designados 39-9 e 39-10, vão “voar em breve”, disse Jonas Hjelm, vice-presidente sênior e chefe de aeronáutica da fabricante sueca.

    • Não é porque é uma evolução dos modelos atuais que o seu processo de certificação seria mais rápido, se for pelo design ok é uma etapa que pode ser praticamente eliminada mas todo o recheio do Gripen E é diferente e uma campanha necessária para que o mesmo entre em operação atendendo aos requisitos operacionais.

      O cronograma depois de algumas alterações aparentemente vem sendo seguido e isso é muito bom porque aparentemente as coisas vem acontecendo conforme planejada, a evolução de um modelo para o outro é algo que demanda um novo planejamento e isso leva tempo.

  2. Cada dia eu me convenço mais do acerto que foi essa escolha. Desenvolver o WAD, a versão F, ter possibilidade de atualizações contínuas, integrações de novos armamentos etc. e tudo a um custo que cabe no bolso do brasileiro.

  3. Há um paralelo muito interessante entre o Gripen e a família de aeronaves E2. Nos casos, gastando menos e colocando o máximo de inteligência em materiais e processos relativamente maduros a Saab e a Embraer lograram produzir aeronaves muito competitivas e modernas.

Comments are closed.