No dia 22 de junho de 1962, há exatos 57 anos, o último dos 744 bombardeiros estratégicos B-52 Stratofortress deixava a fábrica da Boeing Military Aeroplane Company em Wichita, Kansas.

Coube ao B-52H-175-BW, número de série 61-0040, ser o ultimo. A Força Aérea dos EUA contratou 62 B-52H Stratofortresses, números de série 60-0001 a 60-0062, em maio de 1960. Um segundo grupo de 40, séries 61-0001 a 61-0040, foi encomendado posteriormente. Todos foram construídos na fábrica da Boeing Wichita.

O B-52H, como o B-52G, é uma aeronave reprojetada, estruturalmente diferente das variantes XB-52, YB-52 e B-52 ao B-52F. Ele é mais leve, transporta mais combustível interno, aumentando o alcance sem reabastecimento e é reforçado para voos de baixa altitude. A deriva mais curta destina-se a evitar as perdas causadas pelo estabilizador vertical original quando em ar turbulento. O B-52H é equipado com motores turbofan mais silenciosos e mais eficientes.

O B-52H foi desenvolvido para transportar quatro mísseis balísticos Douglas GAM-87 Skybolt lançados do ar a partir de cabides subalares montados no espaço entre os motores. O Skybolt estava armado com uma ogiva termonuclear W-59 de 1 megatonelada. O programa foi cancelado, no entanto, a USAF adotou o míssil de cruzeiro da North American Aviation AGM-28 Hound Dog. (Curiosamente, o motor turbojato Pratt & Whitney J52-P-3 do Hound Dog poderia ser usado para suplementar o impulso de decolagem do B-52 e depois ser reabastecido com combustível dos tanques do bombardeiro antes de ser lançado no ar).

Stratofortress 61-0040 em 1975

O B-52H é um bombardeiro estratégico subsônico, com asas enflechadas e de longo alcance. Era originalmente operado por uma tripulação de seis pessoas: dois pilotos, um navegador, um navegador/operador de radar, um oficial de guerra eletrônica e um artilheiro. (O posto de artilheiro foi eliminado só em 1991!). O avião tem 48,56 m de comprimento, com uma envergadura de 56,38 m. Tem 12,39 m de altura (até o topo da deriva). O B-52H usa a deriva desenvolvida para o B-52G, que tem 6,98 m de altura. Este é 2,.33 m mais curto do que o estabilizador do XB-52.

As asas do B-52H têm uma área total de 1.200 m². O bordo de ataque tem um enflechamento de 36°. O ângulo de incidência é de 6° e 2° de diedro. (As asas são muito flexíveis e exibem pronunciada anédrica quando no chão.) Para limitar a torção em voo, o B-52 tem spoilers no topo das asas, em vez de ailerons no bordo de fuga.

A diferença mais significativa entre o B-52H e os Stratofortress anteriores é a substituição dos oito turbojatos da série Pratt & Whitney J57 por oito turbofans Pratt & Whitney Turbo Wasp JT3D-2 (TF33-P-3), que são significativamente mais eficientes. Eles são mais silenciosos e não emitem as trilhas de fumaça escura dos turbojatos. O TF33-P-3 tem uma potência máxima contínua de 6.449 kg.

O B-52H tem uma velocidade de cruzeiro de 845 km/h. Ele tem uma velocidade máxima, com potência militar, de 1.028 km/h a 6.309 metros. O teto de serviço é de 14.295 metros. O alcance sem reabastecimento aéreo é de 12.875 km. Com o reabastecimento em voo, o alcance é limitada apenas pela resistência da sua tripulação.

O B-52H pode transportar uma grande variedade de bombas convencionais de queda livre ou guiadas, mísseis de cruzeiro de ataque terrestre ou anti-navio e bombas termonucleares ou mísseis de cruzeiro. Estes podem ser transportados tanto no compartimento interno da bomba quanto nos cabides subalares. A carga da bomba é de aproximadamente 31.751 kg.

O B-52H foi equipado com um canhão rotativo General Electric M61 Vulcan de 20 mm e seis canos (“Gatling Gun”) em uma torre de comando operada remotamente. A arma tinha uma taxa de 4.000 tiros por minuto e transportava uma capacidade de 1.242 cartuchos. Depois de 1991, a arma e seu sistema de radar foram removidos da frota de bombardeiros. A tripulação de voo foi reduzida para cinco.

Cento e dois B-52H foram construídos pela Boeing Wichita. A partir de 2009, dezoito bombardeiros ‘H’ foram colocados em um depósito de longa duração controlado pelo clima na Base da Força Aérea Tinker, em Oklahoma. Em 2014, toda a frota iniciou um importante upgrade de aviônica. Em dezembro de 2015, 58 dos bombardeiros permaneceram na frota ativa da Força Aérea dos Estados Unidos e 18 foram designados para a Reserva da Força Aérea.

Recentemente, um B-52H-156-BW Stratofortress, 61-0007, Ghost Rider, retornou ao status operacional após 8 anos de armazenamento na Base da Força Aérea Davis-Monthan, em Tucson, Arizona. Foram necessárias 45.000 horas-homem para restaurar o bombardeiro.

Espera-se que o B-52H permaneça em serviço até 2040.

O B-52H 61-0040 ainda está em serviço com a Força Aérea dos Estados Unidos.


Com informações de This Day in Aviation.


Leia mais sobre o B-52. Clique aqui.

Anúncios