10 anos atrás, o Su-57 voava pela primeira vez. (Foto: Sukhoi – Imagem ilustrativa)

Dez anos atrás, em 29 de janeiro de 2010, na instalação de montagem de aeronaves de Komsomolsk-on-Amur, voava pela primeira vez o caça furtivo russo de quinta geração Sukhoi Su-57, na época ainda chamado T-50 PAK FA.

O prestigiado piloto de teste da Rússia, Sergey Bogdan, realizou o bem sucedido primeiro voo da aeronave, que durou cerca de 45 minutos.

Em junho do ano passado, o governo russo anunciou que assinou um contrato para aquisição de 76 caças Su-57, do qual as entregas devem ser finalizadas até 2028.

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

    • Mais que os 4° geração provavelmente, além de não levar as armas do lado de fora.

    • O que se fala é que ele tem um ótimo nível de stealth na parte frontal, mas nao na parte traseira. A filosofia dos russos se baseia nas experiencias de decadas passadas, onde os americanos sempre apostaram em avioes que tornariam o dogfight inicuo (caso do phantom e outros), mas na pratica não foi o que ocorreu.
      Portanto, numa interceptação, em situação de defesa nacional, os su-57 irão "de frente", mantendo sua vantagem, de modo que o atacante somente vera o su-57 quando for tarde demais.
      Alem disso, num eventual dogfight, o su-57 teria enorme vantagem pela manobrabilidade. Levando-se em conta o desenvolvimento dos atuais sistemas de hardkill (laser, etc), é bem possível que os atuais misseis se tornem obsoletos, ou forcem os atacantes a virem com montes deles, o que tambem reduziria seu stealth.
      Dentro desse conceito, uma aeronave de defesa, com maior foco em interceptação, o Su-57 é perfeito.
      Já o americano F-35, é um aviao pensado para ataque em profunfidade. Eles abriram mao da manobrabilidade e capacidade de carga em nome do stealth. Atacar sem ser visto e poder retornar para a base.
      Mas lembro do caso do F117, chamado "invisível" à época, que foi derrubado pelos sérvios. À época os ´servios chegaram a brincar dizendo "desculpe, não sabíamos que era invisível". E o F117 virou um grande mico.
      Então, o grande "porém" é que as tecnologias de radar estão avançando rapidamente. A china ja diz possuir radar capaz de 'ver' os f35. E os russos andam calados demais, como sempre. Caso o stealth se demonstre o "rei nu" (se acha invisivel, sem ser), os americanos terão feito uma aposta alta demais, e terminarão com um mico na mao.
      Os americanos sempre buscam tecnologias "disruptivas" (ganhar o jogo no "roubo", com uma vantagem tremenda), mas o problema é que se elas deixam de ser "disruptivas", os trilhões investidos acabam indo pelo ralo. Mas, claro, eles tem dinheiro para isso.

      • F-35 não tem muita comparação com F-117 de 40 anos atrás que nem sistema de defesa eletrônica possuía e que foi abatido em grande parte pelo mal uso da aeronave.

      • Essa ideia de que o F-35 depende apenas da furtividade está muito equivocada, amigo.

      • Mas lembro do caso do F117, chamado "invisível" à época, que foi derrubado pelos sérvios. À época os ´servios chegaram a brincar dizendo "desculpe, não sabíamos que era invisível". E o F117 virou um grande mico.

        O F-117 nunca foi invisível. Somente os torcedores e os que não fazem a menor ideia do que significa stealth o classificam como invisível.

        Mico? Por UM abate? Mais uma vez, coisa de torcedor e que não faz a menor ideia do que significa stealth.

        Tática do duplipensar comigo não rola.

  1. Fiquei triste com essa matéria. Porque parece que foi ontem , mas foi há dez anos… tá passando rápido demais.

Comments are closed.