Dois caças Lockheed Martin F-35 Lightning II atribuídos à 56ª Ala de Caça da Base Aérea de Luke, Arizona, aterrissaram na sexta-feira (30/03) em Santiago do Chile para a Feria Internacional del Aire y del Espacio 2018 (FIDAE), marcando a primeira vez que o F-35 vai para a América do Sul.

A aeronave líder foi pilotada pelo capitão Andrew Olson, comandante e piloto do F-35 Heritage Flight Team, chegou acompanhada em um voo de formação por um F-22 Raptor e um F-16 da V Brigada Aérea da Força Aérea Chilena. Uma segunda aeronave F-22 também acompanhou os dois F-35A, juntamente com aeronaves logísticas KC-10, KC-135 e C-17

A aeronave chegaram em Santiago, Chile, e ficarão em exibição estática no show aéreo da FIDAE, de terça-feira, 3 de abril a domingo, 8 de abril.

Levar o F-35 para a FIDAE ajuda a atender às necessidades de treinamento das tripulações e pessoal de manutenção em várias operações, incluindo voos de longo alcance, reabastecimento ar-ar, além de proporcionar uma oportunidade de fortalecer as relações militares com parceiros regionais.

Os dois F-35 da FIDAE fazem parte da Equipe Heritage Flight do F-35. O Lightning II se qualificou para participar do programa de Demonstração Aérea Heritage Flight em 2016. A equipe inclui um piloto e 12 mantenedores, todos selecionados pela Base Aérea de Luke. O F-35 Heritage Flight Team está programada para participar de 13 shows aéreos na temporada de 2018.

O F-35 combina as características da aeronave de caça de quinta geração – avançada furtividade, aviônicos integrados, fusão de sensores e suporte logístico superior – com o pacote de sensores integrado mais poderoso e abrangente de qualquer aeronave de combate da história.

O CAVOK BRASIL ESTARÁ PRESENTE NA 20ª EDIÇÃO DA FIDAE EM SANTIAGO.

Anúncios

12 COMENTÁRIOS

  1. Alguém sabe me dizer porque o Brasil nunca recebe aeronaves assim e se tem algum evento que poderia receber estas aeronaves?

    • Falta interesse deles em divulgar no Brasil e nosso em receber o F-22 e o F-35 aqui.

    • Até acredito que pelos governos dos últimos 20 ou mais anos deste nosso país, nunca definitivamente alinhados com os EUA, quando não eram de esquerda, flertavam com a esquerda. E mais, o Chile hoje é uma nação que reúne muitos quesitos para ser chamada de 'primeiro mundo', um país que fez sua lição de casa e fala uma linguagem que o mundo desenvolvido entende.

  2. Nessas 4 aeronaves aí tem o poder de aniquilação das Forças Aéreas Sul-Americanas …

    • Penso que se um dia alguma nação sulamericana comprar o F-35, então esta deverá ser o Chile.

    • Acho muito difícil, porém não impossível.

      Motivos é que a força aérea Argentina não representa mais ameaça para o Chile
      O problema de mar com o Peru já foi resolvido, acalmando as tenções com a FAP dificilmente vão entrar em conflito.
      O único problema é a Bolívia mas a FAB vai fazer dogfight com K8 X F16? Não dá né

      Talvez lá por 2025 eles vão começar a substituir os F-16 holandeses, mas creio que também vão substituir por aeronaves semi novas(F16,18 ou europeu)
      Os F-16 comprados novos de fábrica vão mais 20 anos tranquilamente.

      O que a FACh precisa de mais urgência é substituir seus F-5 por um treinador avançado. Não me espantaria se a Rainha vendesse alguns Hawks para a FACh por preços atrativos.

      Lá por 2030/35 que eles vão começar a pensar em substituir os F-16.

      • A manutenção da soberania do espaço aéreo não ocorre apenas quando há um inimigo externo declarado! Forças aéreas decentes e profissionais buscam sempre estar preparadas (sem exagerar, claro).

        O Chile pode se tornar operador do F-35A, caso os preços continuem caindo e haja alinhamento político/diplomático entre Santiago e Washington. Quem sabe, daqui alguns anos, a FACh possa comprar uns 14 caças, unidades retiradas da USAF, dos primeiros que entraram em serviço.

        • Os F 35 já foram ofertados ao Chile em 2014 se não me engano. O custo continua sendo proibitivo e não se vislumbram, no horizonte próximo, ameaças que justifiquem tal gasto mas, concordo com que o Chile deverá ser o primeiro operador do F 35 na região.

      • Leonardomugi
        "Os problemas de mar com o Peru ja foram resolvidos"

        Nunca se solucionarão os problemas fronteiriços com Bolívia e Peru já que usar o Chile como desculpa política pra desviar a atenção de problemas internos, é um costume nos governos daqueles países. Na atualidade o Peru reclama propriedade sobre um triangulo terrestre na fronteira com o Chile e a Bolívi quer que o Chile entregue a Cidade de Antofgasta pros bolivianos terem saída ao mar.

Comments are closed.