Foto: Diego Alves

Em 31 de julho foi apresentado na área militar do aeroporto de Tegel, em Berlim, o primeiro Airbus A400M configurado como um meio de cuidados intensivos de evacuação aeromédica. Foi a Força Aérea Alemã, ou Luftwaffe que equipou a primeira aeronave, vinte anos, capaz de executar operações internacionalmente chamados ICAE (Intensive Care Evacuação Aeromedical).

O avião apresentado em Tegel pode transportar até seis pacientes, incluindo dois em estado crítico, já que possui sistemas de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Também foi anunciado na apresentação que a estação modular ICAE será posteriormente modificada para que tenha capacidade para até dez pacientes graves.

Com a adição deste MEDEVAC (Evacuação Médica) para o A400M, incrementa-se a frota, hoje composta unicamente a um Airbus A310 MRTT (Multi-Transport Role Tanker), que também pode transportar até seis pacientes graves, além de fornecer cuidados médicos intermediários para mais dezesseis pessoas e vinte e dois com lesões menos graves.

Interior do A400M Ejército del Aire. Foto: Diego Alves

Embora o A310 tenha um alcance e capacidade neste campo um pouco maior que o A400M, ele tem a desvantagem de não ser capaz de operar em um ambiente tático, especialmente quando não consegue pousar em pistas não preparadas. O aparelho apresentado com configuração ICAE, matrícula 54+03, pertencente à frota de Transporte ou LTG62 (Lufttransportgeschwader 62), com base em Wünsdorf, completando-se a sua transformação com o novo aparelho Airbus.

A Luftwaffe já designou ao LTG63, que é baseado no aeródromo de Hohn, para receber o A400M, entretanto atrasos na entrega das 53 unidades encomendadas postergaram o recebimento para 2021.

O A400M Luftwaffe concluiu testes e certificação para reabastecimento em voo para países aliados, com o abastecimento de um F-18 espanhol. Em 23 de julho conquistou mais um marco na breve história da aeronave no esquadrão: fez a primeira missão de transporte de tropas ao Afeganistão, durante a qual 75 soldados alemães voaram de Wunstorf para a cidade afegã de Mazar-i-Sharif.

1 COMENTÁRIO