Tripulantes e aeronaves C-130 na primeira missão para Antártica. (Foto: Esquadrão Gordo)

A Força Aérea Brasileira (FAB) celebra, nesta quinta-feira (23), 35 anos de participação no Programa Antártico Brasileiro, data marcada pelo primeiro pouso de uma aeronave brasileira, o FAB 2463, na Antártica, em 23 de agosto de 1983. Nesse período, em missões a bordo do C-130 Hércules, do Esquadrão Gordo (1°/1° GT), a FAB tem realizado apoio logístico à Estação Antártica Comandante Ferraz.

A primeira equipe foi formada pelo, então, Major Aviador Sabino Freire de Lima Filho, Capitão Aviador Márcio de Almeida Rosa, Capitão Aviador Antonio Airton Lemos Cirino, Sargento Aureliano de Araujo Barcellar, Sargento José Nei Candido e Sargento Nildo Pereira Verdan. A tripulação ainda era composta por cinco militares chilenos.

Aeronave C-130 contribui para a presença do Brasil na região. (Foto: Esquadrão Gordo)

O Brasil faz parte do grupo de países signatários do Tratado Antártico, um acordo que possibilita as pesquisas científicas na região. Ao longo desses 35 anos, por meio das missões realizadas pela aeronave C-130, a FAB tem contribuído para viabilizar a presença do Brasil, uma vez que as características geográficas e o clima extremo dificultam o acesso ao continente.

No inverno, período em que o mar está congelado, o acesso torna-se ainda mais difícil, sendo necessário realizar lançamento aéreo de cargas para possibilitar o abastecimento de medicamentos, equipamentos e mantimentos que suprem a Estação Brasileira. Essa atividade exige treinamento e perícia dos tripulantes, pois pequenos erros podem gerar a perda da carga.

Tripulação do Esquadrão Gordo em missão na Antártica. (Foto: Esquadrão Gordo)

“É com muito orgulho que a Força Aérea Brasileira saúda e parabeniza a todos os participantes do Programa Antártico, que, com dedicação e abnegação, vêm conduzindo esse importante trabalho ao longo desses 35 anos. Os tripulantes do 1°/1º GT ainda mantêm o legado dos tripulantes de outrora, continuando a realizar as missões em apoio ao Programa Antártico”, declarou o Major Diego Nascimento de Oliveira, piloto do Esquadrão Gordo.


Fonte: Esquadrão Gordo – Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias

2 COMENTÁRIOS

  1. Inclusive na foto acima vemos a Piloto do C130 que chegou nessa condição (Piloto Antártico) por méritos, sem cotas, sem mimimi, sem proteção e sem privilégios. Viva o Transporte!!!!!

Comments are closed.