A Força Aérea da Índia perdeu 33 aeronaves em pouco mais de 3 anos, incluindo 3 caças Su-30MKI. (Foto: B. Harry / Acid.org)

Segundo o Ministro da Defesa da Índia, durante os últimos três anos (2008-09 a 2010-11) e do ano corrente 2011-12 (até 13 de março de 2012), 33 aviões de caça, que incluem um Jaguar, dois Mirage 2000, três Sukhoi Su-30 e um MiG-27, e 16 caças do tipo MiG-21 e 10 helicópteros da Força Aérea Indiana (IAF), sofreram acidentes.

Nos acidentes acima, 26 membros da defesa, incluindo 13 pilotos, perderam a vida. Além disso, seis civis também perderam suas vidas.

A maioria dos acidentes acima foram devido a erro humano e defeito técnico. Todo acidente aéreo da Força Aérea da Índia é exaustivamente investigado por um comitê de investigação para determinar a causa do acidente. Medidas de reparação foram tomadas nesse sentido para verificar a sua recorrência no futuro.

No entanto, a melhoria das habilidades dos pilotos é um processo contínuo. Várias medidas foram tomadas pelo Governo nesta assunto. Dentre essas estão incluídas aumento do uso de simuladores para a prática de procedimentos e ações de emergência, treinamento dirigido e realista, com ênfase adicional sobre os aspectos críticos da missão, a introdução de procedimentos de CRM (Crew Resource Management) e Gestão de Risco Operacional para permitir a segurança das missões, cursos de Psicologia da Aviação e introdução de cabines de Segurança Aeroespacial para formação inicial da tripulação.

A decisão de banir as aeronaves foram tomadas com base em vários fatores, incluindo a vida residual operacional das aeronaves consideradas no final da vida útil de acordo com uma revisão feita pelo Governo. Este é um processo contínuo.

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. Com este nível de atrição, isso ai parece mais um MMA do que uma Força Aérea :P.

    Brincadeiras a parte, os caras voam demais também.

    [ ]s

    • Será wolf?? eu fico com a hipótese de que a IAF não esteja dando atenção a manutenção de propósito.

    • wolfpack irá me desculpar mais essa desculpa de que "quem vou e que cai" nao cola não, pois a varias outros forças aéreas que voam mais que a indiana e não tem uma taxa de perdas dessas.

      Isso tem 1 nome manutenção ruim.

  2. Acho que se eles tivessem o orçamento da nossa força aérea, o bagulho seria mais sério ainda.

  3. A IAF precisa rever seus conceitos. Treino e manutenção, caso contrário não vão ser os Rafales que vão salvar os Indianos deles mesmos.

    []'s

Comments are closed.