Um dos modernizados interceptadores MiG-31BM entregues para Força Aérea da Rússia. (Foto: Dmitriy Pichugin)

Chegaram no aeroporto “Kansk” Krasnoyarsk mais seis modernizados interceptores MiG-31 para Força Aérea da Rússia. Conform informado pela RIA Novosti, com referência ao representante do Comando Militar Central (CVO), as aeronaves entraram em serviço na Segunda Força Aérea.

Segundo a fonte, as aeronaves passaram por uma profunda atualização para a versão MiG-31BM. Em particular, os caças agora possuem um novo sistema de controle de armas, o qual pode detectar alvos a uma distância de até 320 km e atingi-los a uma distância de 280 km. A aeronave pode rastrear simultaneamente até 50 alvos e atingir 5 alvos aéreos.

Em 2012 um total de nove aeronaves MiG-31BM foram recebidas pelo Comando Militar Central. Conforme relatado anteriormente, a Força Aérea da Rússia planeja atualizar 60 aviões MiG-31 para versão BM até 2020.

No total, de acordo com o Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS), em serviço com a Força Aérea da Rússia estão 198 caças interceptadores MiG-31. O banco de dados da Flightglobal estima o número em 146 unidades.

O MiG-31 é projetado para dois tripulantes, pode atingir velocidades de até 3.000 quilômetros por hora e tem um raio de combate de 720 km. Aeronave está em serviço com um canhão de seis canos GSh-6-23, assim como leva mísseis ar-ar em seis pontos fixos.

Agradecemos as contribuições até o momento. Graças à colaboração de algumas pessoas estamos conseguindo manter o site no ar, pois o valor necessário para manter o Cavok no ar é alto. Continuamos pedindo a ajuda de todos com as contribuições, que podem ser de qualquer valor. Se cada um ajudar um pouco, poderemos assim manter esse local como o melhor site de aviação do Brasil. Continuamos também lutando para conseguir um patrocínio, que ajudaria bastante nas despesas mensais do site. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já meu muito obrigado!




Enhanced by Zemanta
Anúncios

82 COMENTÁRIOS

  1. lindo interceptador, lindo. admiro demais o foxhound, o primeiro caça com radar pesa do mundo.
    belissimo interceptador!

  2. Esse ai é o F-22 russo.

    Caro para comprar, caro de manter, nunca foi usado em combate, desatualizado e não tem serventia até hoje!!!

    Não é o que os russófilos falam do F-22???

    ORHEAIOEHAOIEHIOAEHAIOHEAIOEA

    • O F 22 russo seria em tese o t 50 pak fa. Comparar o Mig 31 com o F 22 demonstra no minimo uma bela falta de discernimento, meu caro.

      O F 22 é caro e isso é fato. Nunca foi usado em combate e isso é outro fato. Se esta desatualizado ou não eu nunca disse isso.

      O Mig 31 nasceu COM UMA FUNÇÃO ESPECÍFICA NUMA ÉPOCA ESPECÍFICA PARA UM PAÍS ESPECÍFICO.

      E está justamente sendo atualizado COMO A REPORTAGEM ACIMA DISSE.

      Ser sarcastico sem argumentos , não significa nada.

      • "O Mig 31 nasceu COM UMA FUNÇÃO ESPECÍFICA NUMA ÉPOCA ESPECÍFICA PARA UM PAÍS ESPECÍFICO."

        Blah blah blah.

        Agente cansa de falar o mesmo do F-22, que é um caça de superioridade aérea, não feito pra jogar bombinhas em talibãs e vcs falam : blah blah blah pq ele é ruim, mas não olham pra essa tranqueira senil que deveria estar usando fraldas!
        eahioeaioeoaiuioehahioaehoi

        No mais o Mig-31 é bonito, mas tb é velho, senil, antiquado, peça de museu, retardatalho, antigo, árvore de natal de AWACS, usador de fraldas geriátricas e tudo mais que um senhor velho e desatualizado pode ter!
        aeohioeiahaeiohio

  3. Excelente aeronave para fazer parte dos museus aeronáuticos pelo mundo..

    Mas hj não passa de uma velharia, a modernização visou a retirada do coco de passarinho e ferrugem..

    • symon….qual país do mundo tem 3 tipos diferentes de bombardeiros?
      qual país do mundo s preocupa em manter uma frota de interceptadores?

      para cada arma, a sua contra-medida.
      e nossa…belanave

      • É claro e obvio q ele nao pode detectar um B-2, apesar q com sua aeronave awacs [acho q um iluishin..confesso q nao sei o nome dos awacs russos] pode ter alguma chance.

        Mas mantém e muito afastado os b-52 e b-1b.
        Afinal, o seu pai o poderoso mig-25 e ele tbm o proprio mig-31 foram um dos motivos
        [alem do preço] da usaf tirar os sr-71 da sua função.

        Repito as perguntas:
        quem mantem 3 tipos de bombardeiros?
        quem mantem uma frota de interceptadores?

    • Symon

      O Mig 31 ainda é um avião sem paralelo no ocidente, e um vetor necessário para uma país tão grande quanto a Russia.

      A Modernização dele com certeza é um belo trabalho que vai garantir sobrevida a esse belo avião, a despeito de seu odio.

  4. Tenho até medo de falar bem desse avião; foi só eu tecer elogios ao SU-34 que apareceu aquela notícia de que ISO9000 passa longe dele. Mas como que fabrica esse é a MIG, acho que não tem problema. Outro belíssimo projeto russo, de uma época em que a União Soviética era tecnologicamente equiparada ao Ocidente. Esse é um daqueles que dá vontade de ter estacionado no hangar!

  5. Não sei se é verdade, mas ouvir falar que o MIG-31 em velocidade constate de quase 3000 km por hora, a turbina começa a fundir…ou é apenas especulações?

    • nossa! acho que isso é conversa Fox… o Mig atinge tais velocidades lá nos 17mil metros para cima…

    • senao me engano essa noticia diz respeito ao mig-25 q por acaso quebrou varios recordes de velocidade

    • Buenas, vamos por parte.

      O tal problema de auto destruição dos motores é real, tanto que os sovieticos limitavam os voos a mach 2,8. Na fronteira com a Alemanha Ocidental os soviéticos se divertiam com a OTAN. Lançavam drones a mach 3, deixando os operados da OTAN estarrecidos! O que ocorre com o motor é definido como "over spinning", mas te confesso que não consigo achar uma melhor tradução e definição. Over spinning tem a ver com rotação, RPM, acima da capacidade. Quem tem moto sabe do que estou falando. Quem souber explicar melhor, eu agradeço.

      Vocês sabiam que houve a proposta para um MiG-25 "jatinho particular"? Era para levar com rapidez o alto escalão do partido! http://www.testpilot.ru/russia/mikoyan/mig/25/a/i

  6. "detectar alvos a uma distância de até 320 km e atingi-los a uma distância de 280 km."

    Caso tivesse um míssil capaz de o fazer. Faltou referir.

    É pena não dizer qual o RCS que detecta a 320 km. Também não me parece que iluminar apenas cinco alvos simultaneamente seja um feito, para um avião e consequente radome, de tamanhas dimensões.

    São só dois reparos para um avião que é um ícone da Guerra Fria e que, a meu ver, será o último interceptor de bombardeiros puro.

    • Ele tem um missil que é o r-37 com alcance de 300 ou mais quilometros.

    • CAMARADA

      Ao contrario de Portugal, a Rússia é um país muuuuuito grande. Naves como esse vetor

      são necessárias pq a geografia russa assim o exige. Principalmente as vastidoes siberianas em que nao se pode colocar bases uma proximo da outra.

      O Mig 31 é um otimo vetor com uma função específica, num país especifico.

      E não a função dele não é brigar com o F 22…

  7. É aquela velha história: 'pague o seu seguro que nada acontecerá!'…. aí você paga por anos e contabiliza o 'custo' real e chora…. mas se pergunta: 'dá pra ficar sem o seguro?'….
    O bicho é bonito por demais, sem falar em 'letal' por demais… O MiG-31BM com certeza mereceu este 'up'.

    []s

  8. Tendo um interceptador dessa natureza, seria um absurdo não selecioná-lo para uma modernização.
    O fato dele ser um vetor caro de operar, não faz diferença, pois os russos possuem a base logística, industrial e tecnológica para mantê-lo, portanto, o custo quando contextualizado não é alto. Daí a modernização, pois o desempenho do vetor é superlativo.

    Esta aeronave já possui integrada a versão atualizada do míssil R-37, o que transforma o MiG-31 em uma arma mortal contra os inimigos.

  9. O Mig-31 é uma máquina interessante; isso não se questiona, mas…

    Com seu grande RCS, é uma aeronave inadequada para exercer dominância aérea. Seria detectada a grande distância e mesmo que seja veloz, não poderia escapar de mísseis, o que limitaria sua zona de operação a uma região marginal do espaço de batalha. Em resumo, seu desempenho somente seria aceitável sob forte proteção eletrônica e dentro de território amigo. É uma aeronave basicamente para defesa…

    Apesar do radar potente, o fato é que seu desempenho seria quebrantado pelo RCS superior de outras aeronaves, contando ainda com a possibilidade de sofrer interferência eletrônica. Ou seja, o alcance de 320km é para aeronaves grandes, como aeronaves comerciais, e provavelmente somente em condições ideais. Contra aeronaves de caça, esse alcance é significativamente reduzido, com uma perda maior ainda se o radar sofresse interferência.

    É claro que é uma aeronave ainda capaz e dificilmente poderia ser ignorada em qualquer planejamento adversário. Também é fato que o número de exemplares em serviço justifica a modernização. Contudo, é força bruta e nada mais que isso… Teria pouca aplicabilidade em cenários voláteis como os que se apresentam no futuro previsível…

    • RR, voando a mais de 17mil metros, em mach 2,5, nenhum alvo é facil de derrubar… podem até saber dele, mas atacar? um AMRAM, a esta altura funciona como um estilingue com borracha cansada…

      • Francisco AMX,

        A questão é:

        Qual o piloto será louco o bastante de ficar esperando o míssil pra ver o que acontece…? Quem atira primeiro, normalmente define o combate.

        • RR, como te falei, um AMRAM praticamente não pode nada contra um Mig-31 voando a 20mil metros, mach 2,5… nesta altura, apenas mísseis potentes e de muita área alar teriam alguma chance de sucesso. Já um Mig-31 poderia disparar seu R-27/37 "de cima para baixo" que caçariam seus oponentes em altitudes menores… enfim… pode não ser tão certo quanto parece, mas de toda forma ele tem requisitos concretos que não se pode menosprezar… velocidade e altitude, poucas armas conseguem suplantar esta conjugação… diria mais, hoje, no ocidente, não existe míssil eficaz ar-ar para contrapor… quem sabe o Meteor possa lograr êxito pelo Ram-jet ser mai eficiente em todas as altitudes…

          • Francisco AMX,

            Concordo com o amigo… Realmente, estar voando a grande altitude e a grande velocidade é algo que dificilmente poderia ser superado. Contudo, a mais recente variante do AIM-120 pode sim oferecer oposição consistente, e o Meteor tenderá a ser mais eficiente. Mas lembre-se que mesmo que esse caça possa voar rápido, somente seria capaz de manter o regime de velocidade por um curto período de tempo. Por fim, se aquele radar sofrer interferência que impossibilite o engajamento, o Mig passa de caçador a caça…

            E também, um míssil sempre é uma ameaça potêncial a qualquer aeronave. Uma vez disparado, ele obriga a tomada de manobras evasívas ( como eu disse, piloto nenhum vai esperar para ver o que vai acontecer ). E isso vale para todos os lados… Por isso eu insisto: quem dispara primeiro, vence…

            • RR, o Mig-31 nas altitudes que foi projetado para operar, ele pode manter velocidade de mach 2+ por grandes períodos, na verdade ele foi projetado para cumprir suas missões neste regime, seria um concorde armado, só que menor… esta é a grande diferença dele para os outros aviões de combate. Talvez se o SR-71 fosse armado, seria superior neste sentido… é uma arma específica, que será usada de acordo com a ocasião… certamente os russos não usariam o Mig-31 contra um F-22… penso que o Mig-31 poderia desencorajar o lançamento de mísseis balísticos, por exemplo, pois neste campo, tanto russia como USA sabem bem o que um ou outro poderiam… o mnitoramento destas armas e vetores é constante, em caso de crise, os Mig-31 estariam alerta 24/7…. se eu estivesse num mig-31, voando a 20mil metros, em mach 2,5, indo interceptar algo que colocaria minha nação de joelhos, pouco ou nada me preocuparia um AMRAM-120 seja qual for a versão… pois é mais certo que não me "pegará" do que o contrário… apostaria numa chance de 10% e olhe lá… entende bro?! 🙂

              • Francisco AMX,

                Entendo o ponto de vista do amigo. Evidente que se a situação exigir, os pilotos russos não vão medir consequências e voarão de uma maneira ou de outra… E a elevada altitude e velocidade servem parcialmente como proteção…

                Quanto ao mais, entramos na questão de motor… O SR-71 tinha uma motorização única, que permitia grandes velocidades sustentadas com consumo menor de combustível. O Mig-31 conta com turbofans convencionais; potentes, é verdade, mas convencionais… Seu consumo é elevado e isso limita bastante o tempo que podem permanecer a plena potência… Mesmo que o motor suporte altas temperaturas por elevado tempo, o fato é que se o piloto insistir em manter a grande velocidade, corre risco de ficar sem combustível… E como nem sempre se pode esperar que haverá um reabastecedor a espera…

              • "apostaria numa chance de 10% e olhe lá"

                Não sei se é verdade isso, Francisco. Com certeza o AMRAAM tem pouca manobrabilidade em tais altitudes, mas um mig-31 voando a Mach 2,3 a 20 mil metros de altura não tem a mínima capacidade de manobra para desviar do míssil e quanto mais rápido voar maior será a NEZ do AMRAAM. Lembre-se que nos anos 70 uma das qualidades do F-15 sobre o F-4A justamente a capacidade de abater Mig-25 com mísseis Sparrow.

                Voar rápido na direção do adversário armado com míssies de longo alcance não é uma boa tática e muitas vezes é até evitada pelos pilotos.

    • É UMA AERONAVE com uma função específica, e não foi desenvolvida para competir em termos de RCS ou para brigar com F 22, SEU OBJETIVO É INTERCEPTAR BOMBARDEIROS ESTRATÉGICOS E NÃO TRAVAR COMBATES DOGFIGHT COM A QUINTA GERAÇÃO NORTE AMERICANA.

      • Wagner,

        Interceptar bombardeiros é algo improvavel para a nossa época… E o motivo é simples: mísseis de cruzeiro. Um bombardeiro pode lança-los sem sequer penetrar no espaço aéreo defendido. Logo, ele teoricamente atuaria fora do alcance de um interceptor… E mesmo que o bombardeiro em questão tivesse que penetrar no território inimigo, é claro que o faria sob forte proteção eletrônica e de caças, que estariam presentes no mesmo setor. Em suma, se o Mig não puder engajar caças, dificilmente poderá fazer alguma coisa contra os bombardeiros…

      • "desenvolvida para competir em termos de RCS ou para brigar com F 22"

        O prolema que F-22 é foi projetado para brigar com ele.
        Tanto é verdade que saíram algumas matérias dizendo que os Mig-31 seriam escoltados por flankers para protege-los dos caças convencionais. É estranho pq o Flanker não pode acompanhar os Foxhounds em longos vôos a mach 2,2.

    • "É uma aeronave basicamente para defesa."

      Exatamente. É uma aeronave para defesa!

    • Definitivamente o pessoal tah fazendo questao de ser ignorante…o aviao supracitado NAO É DE SUPERIORIDADE AÉREA, mas sim um INTERCEPTADOR !!

      • Ash Nostromo,

        O conceito de interceptador puro tornou-se obsoleto já pelo final dos anos 80, com o advento das aeronaves multitarefa… Não estou dizendo que o Mig não cumpre a tarefa, mas o custo/benefício de se atualizar uma aeronave que cumpre apenas um tipo de função é questionavel, para se dizer o mínimo…

        Tendo outras opções, como o PAK FA, Su-30 e o Su-35, poderia ser muito mais vantajoso saturar o espaço aéreo russo com aeronaves de superioridade aérea que tem persistência de combate, fazendo uso mais acentuado do AWACS e investindo em mísseis mais capazes…

    • Ele é um interceptador RR, ou seja, um vetor que irá reagir a uma agressão identificada. Neste contexto ele possui muito valor devido ao seu desempenho.

      Devemos lembrar que a Força Aérea Russa passa por uma transição, em que vetores antigos estão sendo substituídos por vetores novos, e que isso não se dá num piscar de olhos. Atualizar um vetor como o MiG-31, seria mandatório…

    • Tal como OS B 52, NÃO É MESMO ? OS QUAIS JAMAIS ENTRARIAM NA RUSSIA GRAÇAS AO PROPRIO MIG 31…

      dãããã…

    • NÃO É A USAF QUE ESTÁ FAZENDO OVERHAULIN DE 300 F 16 GRAÇAS AO FRACASSO FO F35 EM SER ENTREGUE A TEMPO ???

      • Duas coisas;

        1º – Não use caixa alta comigo. Eu te respeito, tu me respeita.
        2º – Que coisa, não? A USAF faz 'overhaulin' e vocês vertem ódes e milhares de bites enaltecendo a "queda do império do mal"…mas daí os russos fazem 'overhaulin' num avião quase dez anos mais velho que o F-16 e vocês batem palmas?!?!?!?!? 'overhaulin' é 'overhaulin'! Seja do F-5, do F-16 ou de MiG-25/31.

        • Minha CAIXA ALTA É PARA DESTACAR Algo E NÃO TEM OBJETIVO DE OFENDER A VC.
          Alem disso, as vezes eu esqueço ela ativada e quando vejo o texto inteiro saiu em caps… então, nem ligue…
          Mas se isso te incomoda tanto, prometo me policiar melhor.
          Eu nunca disse que o upgrade dos F 16 significa a queda do Império do mal, muuuito pelo contrario, eu sempre disse que os F16 MERECIAM UPGRADES, pois eu acho que eles ainda tem 20 anos de bons serviços para oferecer a Usaf. De fato, eu sempre deixei claro que F 16 com tinta stealth e vetoração, isso tambem para F 15 e F 18, seriam oções muito melhores que a nada econômica quinta geração norte americana.
          Eu sempre defendi o overhaulin, tal como vc fala, desses tres vetores norte americanos, daí o pq de eu ser contra o F 35.
          Não confunda minha opiniao com a opiniao de alguma outra pessoa.

        • O odio que eu eventualmente vertero é mera reação ao odio que os americanofilos fazem contra a Russia: toda materia sobre aviao russo os mesmos caras estão la xingando. pediram guerra, terao guerra.
          Ou eu tenho que ficar aqui quietinho ??? Quer que eu diga " não não, o Symon ta certo, eu acho que eu nao devio mesmo falar mais nada e adorar aos States"
          Isso nao vai acontecer…

          Uma boa tarde…

    • "para se colocar num museu"… juntamente com aqueles inúmeros encostadões lá do deserto americano (F-16, F-4, F-5, F-15 e cia)…

  10. Os americanofilos ignoram o fato de que os F 15 E F 16 de seu país estão sendo igualmente atualizados e retrofitados, então, PAREM COM ESSA DE CRITICAR A RUSSIA PQ ELA FAZ EXATAMENTE O MESMO.

    ESSA REPORTAGEM COMPROVA QUE A RUSSIA ESTÁ ATUALIZANDO A VVS NUM RITMO NUNCA VISTO DESDE A QUEDA DA URSS. Claro que os numeros não são na escala soviética, mas ja mostram uma OBVIA recuperação do parque industrial russo.

    ” aah mas existem problemas” . Eu nunca dise que nao existem, mas não precisa escrachar 140 milhoes de pessoas por cauda de alguns problemas.

  11. Deveriam dar um trato e mandar pro museu essa velharia inútil com RCS do tamanho de uma árvore de natal ahahahahha

    • Grande Idéia Galileu !!

      Ao lado deles, colocaremos F 15, F 16, F 18, A 10 e B 52… óó, esqueci, todos estes vetores ainda estao em serviço ativo na Usaf e de fato são a linha de frente dela… que lapso o meu… ahahahahaah

    • Saiba que o RCS do MiG-31 é menor que do F-4; por essa você não esperava, não é Galileu?

  12. Caro Fabrizio o míssil R-37 de Mach 6 e quase 400 km de alcance foi um sonho, que não passou disso mesmo. Não existe, nem nunca passou de projecto.

    Caro Ash

    Nesse caso o Mig-25 acabou por conseguir o que o Mig-29 nunca conseguiu: abater um caça Ocidental!
    Um só, e nem vale a pena falar no rácio de abates/abatidos.

    • Afonso, já leu matéria sobre os Mig-29 alemães nos USA? senão… deveria… sabe qual o problema dos detratores dos caças russos/soviéticos? é que praticamente todos avaliam o todo para comparar o desempenho dos aviões… um erro grave! experimente, na primeira guerra do golfo, por exemplo, "trocar" de mão os F-15 por SU-27/30, F-16 e F-18 por Mig-29 (O F-16 foi responsável por mais da metade das missões "gerais"…), todos em mesmo nível tecnológico de sensoriamentos/eletronica (sim apesar de serem poucos na russia, eles já existiam, foi quando o muro caiu que se estagnou de vez a produção destes… e ao passo que americanos aceleraram suas modernizações e desenvolveram um 5ª geração…) então… equipe os USA com aviões russos (claro, considere o treinamento também) e os Iraquianos com os equipamentos americanos, porém agora a relação 50×1 ficaria com as aeronaves russas, apoiadas por um sistema de comunicação e detecção sem precedentes… e responda: teria resultado diferente? o Iraquiano com seu F-4 (sim um Mig-25 poderia ser comparado à um F-4G) teria abatido um Mig-29…. e seria louvado ou ridicularizado? e sobre a guerra aerea? teria sido diferente? Afonso, este exemplo se aplica na segunda guerra do Golfo e na Servia… em menor proporção no Vietnã… onde houve um equilibrio maior de quantidade de vetores e tecnologia, foi na Coreia, mesmo assim ainda pendendo para os americanos a supremacia numérica…
      Falo isso pq aqui se discute muito os equipamentos russos equipando outras forças, com doutrinas diferentes… os Flankers que os americanos usaram nos exercícios forma muito elogiados por eles mesmos, na verdade americano nenhum ridiculariza seu adversário, pq sabe que se levar no lombo, e pode, ficará muito chato! não acho com isso que são superiores aos ocidentais só por parecerem ameaçadores, mas também não acho que são as porcarias que tentam fazer crer… minha opinião… abraço! e as Sardinhas!? 🙂

      • Companheiro os aviões russos foram aplicados nas doutrinas que os russos desenvolveram e aplicaram nos seus aliados, casos do Iraque, por exemplo.

        Os Mig-29 actuavam de acordo com a filosofia de intercepção soviética, baseada em radares em Terra (mais capazes que os AWACS em voo), com maior cobertura de território, mais estações, mais bases aéreas próximas, sobre solo amigo, etc… Onde você vê dificuldades para os aviões russos se darem melhor, eu vejo oportunidades para os Ocidentais se darem mal.

        E mais digo, entrando na sua "visão," acredito mesmo que F-16 e F-15 ajudados por estações de radar em terra, sobre território não-hostil conseguiriam muito melhores resultados!

        O que tem sido derrotado sistematicamente não é só a filosofia russa de batalha aérea, são os seus equipamentos principalmente, que têm tido todas as chances de se igualarem aos demais, já não digo superarem pois, para mim, evidentemente um Mig-29 não é um F-16,

        PS – Obviamente também não considero que sejam todos uma sucata. Nunca disse isso, vou dizendo sobre aqueles que merecem. Se foi levado a isso, foi culpa da generalização da Brigada Matrioska aqui do Blog, e não opinião minha.

        PS1 – O prato nacional é o Bacalhau. As sardinhas não chegariam em bom estado. Noutra altura explico o porquê do prato nacional ter a particularidade de vir da Noruega e do Mar do Norte.

        • ok, digamos que vc tenha razão (que discordo, no que tange as operações da 1ªGW, veementemente), sobre os radares, (ah, companheiro, aqui no brasil, é sinônimo de PT = "socialista" ou algo parecido rsrsrs 😉 ), em terra, mas não considerou a defasagem tecnológica da aviônica e a quantidade de meios… 20×1? 30×1?….
          Sei que o Bacalhau é o prato principal, só gostaria de saber o pq, com certeza… mas restaurante portugues que serve bacalhau tem bastante no Brasil, tem um aqui em Porto Alegre, chamado Calamares, não conheço nenhum que sirva aquelas apetitosas sardinha assadas…. 🙂
          http://www.restaurantecalamares.com.br/

          • Chicão tem por aí dados à mão que falem dessa desproporcionalidade de caças? Sem querer dar muito trabalho, se não tiver tudo bem, procuro depois.

            • he he, Afonso, eu acho que ainda fui “BONZINHO”… mas isso eu tinha de cabeça, porém é lógico meu amigo… pense conosco:
              O Iraque, à época, tinha em seu arsenal aéreo em torno de 500 aviões de combate, sendo que destes, menos de 300 seriam de sua “primeira linha” e menos de 300, ao total, estariam disponíveis para combate, os americanos, com seus tomahawks destruiram 50% da infra estrutura aérea Iraquiana nas primeiras horas, ocasinando uma série de deserções de pilotos, se considerarmos isso e fizermos uma conta de padaria, admito, teríamos disponíveis, menos de 150 aviões para combater a coalisão. Somando os meios americanos, mais de 1800 aeronaves disponíveis (não levaram o que não funciona) + 700 aeronaves aliadas… temos 2.500 variadas aeronaves, destas mais de 600 seriam F-16…
              “Iraque perdeu um total de 259 aeronaves na guerra, 122 dos quais foram perdidos em combate. Durante Tempestade no Deserto, 36 aviões foram abatidos em combate aéreo.”… vejamos: 259 – 122 = 137 estes foram destruídos no chão ou foram “desertados”, 122 se perderam em combate, apenas 36 foram abatidos em combate aéreo!
              O amigo, anteriormente falou em radares de terra, que seriam superiores e tal… só esqueceu de considerar que 50% destas estações foram destruídas por tomhawks e Harms lançados pelos F-4Gs, e bombas guiadas pelos F-117, antes mesmo do combates aereos se travarem…

              satisfeito? 🙂

        • Afonso_Portugal,

          As doutrinas utilizadas normalmente ditam a concepção de equipamento. Logo, é de se esperar que se os equipamentos forem utilizados fora de sua concepção original, não irão corresponder ao exigido.

          O sistema de defesa soviético, tal qual o que foi repassado aos árabes, preconizava um controle rígido de terra, com o GCI coordenando todos os passos dos defensores. Ou seja, em princípio não era um sistema específico para ser empregado em operações ofensivas. E quando falamos em "sistema", devemos entender que todos os elementos fazem parte dele, isso é: radares de terra, SAMs, estações de guerra eletrônica, caças…

          Para me fazer entender melhor, vamos a 1973, Yom Kippur. No começo da ofensiva, os egípcios atravessaram o Suez e postaram toda uma rede de defesa do outro lado do canal. Quando a IDF/AF foi enfrenta-los pela primeira vez, sofreu perdas catastróficas e os árabes tiveram perdas mínimas. Isso ocorreu porque toda a atuação da força aérea do Egito se dava em território coberto pelos SAMs. A partir do momento em que os egipcios passaram a atacar mais profundamente, fora da proteção dos SAMs, as perdas passaram a aumentar… Um dos principais motivos era devido aos caças serem equipados unicamente para se desempenharem bem dentro da rede defensiva, estando muito comprometidos longe da vigilância dos radares de terra e da proteção dos SAM, uma vez que os equipamentos a bordo dos caças eram simplificados.

          O que eu quero dizer com tudo isso é que, para que um sistema tenha o desempenho esperado, tudo depende de como um sistema é utilizado. Qualquer sistema que seja somente funcionará corretamente dentro de suas limitações. Os egipcios, pelas exigências do combate, não puderam ficar dentro dessas limitações e o resultado foram perdas maiores… E a culpa é dos soviéticos? Não necessariamente. Eles conceberam um sistema que prioritariamente era para defender o espaço aéreo do Egito e fizeram isso direito… Houvessem os egípcios conservado a linha de frente sem se excederem para além da cobertura de seu sistema, poderiam ter criado problemas muito maiores…

          • Caro _RR_

            Antes pelo contrário, e passo a explicar o porquê do sistema ter fracassado. Em última análise, a Guerra do Yom Kippur começou e acabou da mesma forma que a de 1967, com os soviéticos a darem um empurrão para o conflito e a pedirem às pressas um cessar-fogo.

            Em primeiro lugar o sistema de defesa aéreo egípcio (copy-paste do soviético) instalou-se no Sinai, porque a União Soviética tinha a operar no Egipto desde 1970 uma divisão inteira de defesa aérea, com SAM-2, e SAM-3, então desconhecidos no Médio Oriente, e que incluía também Mig-21, operada por cerca de 1500 russos.

            O sistema de defesa egípcio do Sinai obteve um grande êxito graças aos SAM e não aos caças, que sempre que operavam sem cobertura eram abatidos às dezenas, como foi o caso logo do primeiro dia, o Dia da Expiação judeu.

            Contudo, não foi devido só às contingências da guerra que fala e, que no caso, são o movimento de pinça levado a cabo pelos blindados israelitas que isolaram o 2º e o 3º Exército, deixando este cercado.

            O sistema soviético/egípcio de defesa continuou a operar quase na totalidade, após a vitória israelita no terreno, mas foi desarticulado, e uma vez desarticulado, os israelitas passaram a massacrar as baterias SAM, que no final do conflito já não eram problema, pela adopção de novas tácticas.

            Os SA-2, SA-3 e SA-6 passaram a ser atacados de novas formas, no caso deste último em elevados ângulos de ataque e com uso de helicópteros sinalizadores, por forma aos aviões atacantes quebrarem o contacto radar.

            Sim, os SAM foram bem sucedidos (com cerca de 120 aviões abatidos nem poderia deixar de ser), mas uma vez quebrada a sua articulação, o sistema soviético demonstrou-se demasiado rígido para se adaptar aos novos termos do combate.

            Voltamos assim ao início quer a filosofia de emprego de armas soviética, quer os caças em si, foram derrotados clamorosamente, mais uma vez.

            • Afonso, o amigo leu o que postei sobre a pergunta que me fez? tem resposta? 🙂

      • "Afonso, já leu matéria sobre os Mig-29 alemães nos USA?"

        Respeitosamente, você já leu a matéria dos pilotos e comandantes da Força Áerea Alemã sobre o Mig-29?
        Dizem os alemães que embora o caça tivesse extrema agilidade e que o sensor de disparo pelo capacete fosse uma grande vantagem o resto do avião eram só defeitos. O radar era fraco e não tinha a capacidade look down prometida, o sistema de comunicação era péssimo e o sistema de navegação era tão limitado que o Mig-29 não era capaz de liderar as missões mais simples, servindo apenas como wingman em missões de treinamento básico. Outro aspecto interessante é o fato dos mísssies R-27 com 60km de alcance em teoria só podiam ser disparados a menos de 27km do alvo.

        Na boa, concordo que não dá para julgar a tecnologia russa pelo resusltado das guerras do terceiro mundo, mas quem olha equipamento russo de perto confirma sua inferioridade. Contudo, ao que parece isso está mundando nas últimas décadas.

      • "Afonso, já leu matéria sobre os Mig-29 alemães nos USA?"

        Respeitosamente, você já leu a matéria dos pilotos e comandantes da Força Áerea Alemã sobre o Mig-29?
        Dizem os alemães que embora o caça tivesse extrema agilidade e que o sensor de disparo pelo capacete fosse uma grande vantagem o resto do avião eram só defeitos. O radar era fraco e não tinha a capacidade look down prometida, o sistema de comunicação era péssimo e o sistema de navegação era tão limitado que o Mig-29 não era capaz de liderar as missões mais simples, servindo apenas como wingman em missões de treinamento básico. Outro aspecto interessante é o fato dos mísssies R-27 com 60km de alcance em teoria só podiam ser disparados a menos de 27km do alvo.

        Na boa concordo que não dá para julgar a tecnologia russa pelo resusltado das guerras do terceiro mundo, mas quem olha equipamento russo de perto confirma sua inferioridade. Contudo, ao que parece isso está mundando nas últimas décadas.

        • Isto está diferente do conteúdo que li, mas mesmo assim, deve-se considerar que as aeronaves alemãs forma feita para operar naquele teatro, DF predominava, certamente a manutenção da República Federativa Alemã não era do mesmo nível… mas como disse, o que li colocava o Mig-29 em superioridade ao F-15 e F-16 no DF… se o radar não "era" o que falaram, não sei… é muito fácil esculhambar os russos tomando por base seus carros, por exemplo… rusticidade sempre foi a forma deles fazerem as coisas, se uma "luzinha" não acende eles não param a guerra…

          • Não pense assim caro Chicão, os técnicos da RDA e as armas usadas na RDA era "top of the soviet". A RDA era e sempre foi a montra e, em muitos casos, funcionava até melhor que a URSS.

            Quanto ao Mig-29A, o JPC falou bem e os Indianos ainda falaram mais umas coisas, como o sistema que tapa as entradas de ar no motor não funcionar na prática, já que as "janelas" deslizavam para cima, permitindo que os objectos caídos nas entradas de ar fossem sugados para os motores na mesma. Este problema aliás foi resolvido no Mig-29M – mas na realidade, mais um caso em que a prática demonstrou que equipamento soviético não é tão robusto ou bem pensado assim.

            Outros casos haveria para falar, como os An-12 puderam aterrar em pistas semi-preparadas mas depois precisarem de um "empilhador" para descarregar a carga, etc.

            • Afonso, vc plantaria suas melhores plantas frutíferas junto ao muro do seu vizinho mal-educado? 🙂

    • Hoje considera-se válida a alegação iraquiana que um dos seus MiG-29 abateu um Tornado, perda esta atribuída à AAA iraquiana. Não poderia ser possível pois não havia sistema algum de AAA na área.

  13. Fabrizio tem toda a razão, o R-37 existe e faz parte do reportório de armamentos do Mig-31M.
    É que na realidade o seu envelope de voo permite embates directos a 150 km "apenas" e não a 300 km. Embora, as autoridades russas afirmem que o R-37 abateu em testes (em 1994) um alvo a 300 km. Quanto aos 398 km que vêm na wikipedia, é só mesmo um sonho de quem escreveu o artigo, e para tal não interessa que entre o alcance máximo do radar (em iluminação) do Mig-31M e a fase final passiva do míssil (em que após receber as últimas actualizações do avião lançador este liga o seu próprio radar) distem cerca de… digamos… 100 quilómetros sem actualizações…

    Isto sem tirar o valor do R-37 como arma anti-AWAC.

    Assim como os americanos afirmavam que o AIM-54 conseguia abater alvos a mais de 250 quilómetros (aqui são um bocadinho menos mentirosos que os russos), mas o seu alcance operacional eram os mesmos 150 km.

    • viu? "todo mundo" mente! 🙂 os franceses que são realistas com o seu Mica de 60km… rsrsrs, este negócio de AIM120D, sem ramjet, alcançar 180km, mantendo o mesmo porte? "pega na mentira!!!!!"

      • Estou pronto para chegar numa solução de compromisso.
        O que acha se o"relatório final" for desta forma:

        O R-77M-PD é um míssil cujo alcance máximo é de 150 km, assim como o do AIM-120D é de 180km. Na teoria, apenas, já que nenhum provou ser capaz de atingir um alvo a essa distância, nem tão pouco possuem diferenças físicas dignas de reparo – face às versões conhecidas – que permitam o combustível extra necessário para alcançar o limite anunciado pelos fabricantes.

  14. Tem muita gente falando asneira em relação ao MIG31. Uma máquina de guerra super moderna.. Temos fanboys dos EUA, demonizando os caças Russo sem entender tecnologia militar. Apenas escrevem falando o que vem na cabeça. Chamando uma máquina desse de museu , só pode ser piada de mal gosto ou não entende nada sobre esse caça.

  15. SÃO SEMPRE OS MESMOS CARAS QUE VEM AQUI E FALM BESTEIRAS SOBRE A RUSSIA E SEUS CAÇAS :

    GALILEO, SYMON, JPC, AFONSO.

    Chamar esse aviao de Museu é mera ideologia anti-russa.

    Como se a maioria dos F 15 da Usafs fossem aquela coisa de modernidade…

    Os f 16 então, tudo em upgrade… A 10 e B 52 tem que sustentar tudo, faz o que ? 30 anos ? b 52 já fazem mais de 50 anos !!

    Continuo sem ver os prometidos 2000 F 35s que iriam substituir os F 16, F 15, F 18, A 10, E-3 Sentry e T-6 texan…, tudo ao mesmo tempo, tal como alardeado pelos americanofilos alguns anos atras…

  16. Caro Chicão… a sua resposta (estava esquecida)

    O facto dos radares terem sido destruídos e por isso justificado o resultado não pode ser usado como desculpa. Isso é a guerra, perde-se e ganha-se vantagens. É a mesma coisa que justificar uma derrota da sua equipa (time no Brasil) de futebol com o 11 inicial…

    Porém olhe os números algo diferentes do que mostra, nomeadamente face à alegada desproporcionalidade de meios aéreos (em terra era diferente).
    http://en.wikipedia.org/wiki/Air_engagements_of_t

    e
    http://www.acig.org/artman/publish/article_217.sh

    Há sim uma enorme desproporcionalidade de abates em combates ar-ar: 41 Iraquianos vs 1 Hornet.
    Nesse caso o amigo tem toda a razão!!! A desproporcionalidade é de 40×1!!! eheheh

    Saudações

    • tá bom Afonso… o amigo sempre acha uma tangente para sair da sinuca… tu me perguntou da razão de superioridade… te expus, com argumentos, mas o amigo agora vem com esta fanfarrice!? primeiro se agarra nos radares de terra para dar uma pretensa superioridade aos Iraquianos, lembro que estávamos falando de vetores contra vetores, não se esqueça, e que o amigo fala? que destruir radares é da guerra? lógico que é, mas não é disso que falamos, e sim de aeronaves contra aeronaves, tu afirma que os iraquianos só perderam por ter aeronaves russas e eu discordo veementemente, pois tivessem os Iraquianos 100 F-22, nada poderiam fazer… sobre forças em terra? por favo amigo luzitano, acha também que se no chão do deserto tivessem vagando, órfãos, M-1 Abrahams, estes rechaçariam ataques de caças russos??? é isso? lembra que falei que se os americanos tivessem em seu poder aeronaves russo/soviéticas e vice versa, nada teria mudado os rumos da guerra… lhe coloquei dados de 10×1, confirmados, e tu te apega a "forças" alienígenas ao assunto para tangenciar… tudo bem! rsrsrs é da guerra! abraço!

  17. O míssil Vympel R-37 possui um alcance de 80 milhas nauticas, ou 150km. Ele possui uma versão atualizada com booster, que amplia o seu alcacne para até 215 milhas nauticas, ou 398km… Não é portanto, um "sonho", como afirma Dom Afonso de Portugal – O Impiedoso.

Comments are closed.