Força Aérea Indiana recebeu as primeiras propostas com informações sobre concorrentes para substituir seus caças MiG-21 (foto acima) e MiG-27.

Seis fabricantes globais de aeronaves responderam a uma Solicitação de Informações (RFI) da Força Aérea Indiana (IAF) para fornecer 110 aviões de combate. O prazo para a RFI era 6 de julho. Todos os seis fabricantes haviam feito uma oferta anteriormente para a competição de aeronaves de combate médias multi-função (MMRCA), que foi cancelada em 2015.

As autoridades indianas confirmaram que seis propostas foram recebidas, das quais o Lockheed Martin F-16 e o ??SAAB Gripen são caças monomotores, enquanto o Boeing F/A-18 Super Hornet, o Dassault Rafale, o Eurofighter Typhoon e o MiG-35 da United Aircraft Corporation são bimotores.

“As propostas serão avaliadas, após o que a IAF emitirá a Solicitação de Proposta (RFP) com as especificações exatas da aeronave a ser adquirida. A RFP está prevista para o começo do próximo ano”, disse uma fonte oficial.

O RFI, divulgado em 6 de abril, afirma que o governo planeja comprar 110 caças, dos quais 85% terão de ser construídos na Índia sob o programa “Make in India” em parceria com um “Parceiro Estratégico / Agência Indiana de Produção”.

Caça MiG-27 da IAF.

A aquisição será processada através do modelo de Parceria Estratégica (SP) no âmbito do Procedimento de Aquisição de Defesa. No entanto, o próprio modelo de SP precisa de algum esclarecimento que pode atrasar o processo.

Fontes da Força Aérea Indiana expressaram confiança de que a avaliação técnica e os testes podem ser concluídos muito rapidamente, já que todas as aeronaves foram exaustivamente testadas anteriormente.

“Uma vez iniciado o processo, desde a avaliação técnica até a seleção de uma aeronave pode ser concluída em menos de dois anos. Depois disso, depende de quão rápido as negociações do contrato podem ser concluídas”, disse uma fonte.

Antes, a IAF estava à procura de um jato monomotor para substituir os MiG-21 e MiG-27s, mas a RFI não o especificou, abrindo o concurso para jatos de um ou dois motores. Autoridades disseram que ambas as configurações são igualmente competentes e que a escolha final dependerá do preço e da extensão da transferência de tecnologia.

A Índia já encomendou 36 caças Rafale da França.

De acordo com estimativas informais, o custo total poderia valer mais de US$ 15 bilhões. Aeronaves monomotoras custarão menos do que os jatos bimotores, tanto em custos unitários quanto operacionais.

A mudança ocorre quase duas décadas depois que a IAF começou o último grande esforço para adquirir jatos de combate em grande número. O esforço culminou no leilão global para 126 combatentes sob o acordo MMRCA que foi cancelado em 2015, depois que o governo de Modi decidiu comprar 36 caças Rafale da França sob um acordo de governo a governo.


Fonte: The Hindu

11 COMENTÁRIOS

  1. Compra o resto em Rafale tb ja que ja compraram 36…ou 36 monomotores e o resto rafale

  2. Dinheiro jogado fora. Na velocidade indiana, são 15 anos para os primeiros esquadrões iniciarem a operação.

    Está muito aquém das necessidades de defesa deles.

    Eles precisam de um lote de prateleira urgente. Ou de Rafale ou de SH, casando com a marinha. Daí partindo em seguida pro 5g.

    Essa concorrência caducou.

  3. Pelo custo de aquisição e operação ,aposto no Mig35 (eles já operam versões antigas) , GripenE e Super Honert…o resto acho difícil..Rafale muito caro, é bem improvável que compre mais dele…

    • Ganha que der o maior Jabá para as autoridades indianas e não o melhor cava kkkkkk

  4. Já vimos este filme por estas bandas de cá! A grande diferença é que por aqui não existem inimigos declarados, já para o indianos, existem dois, de ambos os lados de suas fronteiras (Paquistão e China).

    • Pois eh eu compraria td em rafale …ta doido com esses vizinho eu taria com c na mão por mim e pelo meu povo

  5. A força aérea indiana é uma miscelania de aviões… Eles não pensam em padronizar isso o mais rápido ? Gastariam menos e com menores dores de cabeça…

  6. O que a Índia precisa são de mais Rafales, tanto na Força Aérea como na Marinha. Por isso acho que dará F-18 e Typhoon, pois as escolhas indianas são contra a logica.

Comments are closed.